segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

 Isaías 43:18-19
 
 Isaías profetizou aos filhos de Israel em um sombrio período de sua História.

Eles estavam em cativeiro, eles perderam tudo o que eles pensavam que iriam manter para sempre, e eles estavam doentes, tristes, desmotivados, cabisbaixo, por causa da terra e as bênçãos que Deus lhes havia prometido.  
O primeiro passo para abraçar a coisa nova que Deus quer fazer em sua vida é... 

I. Mude seu foco. Pare de olhar para trás e comece a olhar para frente. V.18


Esqueça as coisas passadas, não viva focado no passado. 
Se você está constantemente olhando para trás você não pode ver onde você está indo. 
Se você estiver indo sempre em frente para as coisas novas em Cristo, você tem que aprender que... 

A. Você não pode depender de vitórias passadas para sustentá-lo. Esqueça as coisas passadas; Os filhos de Israel tiveram muitas vitórias no passado: 
1. Saíram do Egito 
2. Conquistaram a Terra de Canaã 
3. Lutaram com prospectiva de conquistadores 
4. Sobreviveram a uma divisão em seu país 

B. Mas agora eles estão em cativeiro. Todas as suas vitórias anteriores não estavam fazendo nada para libertá-los. 
1. Eles precisavam de um novo mover, um novo milagre, uma nova vitória. 
2. A questão não é o que Deus tem feito 
, a questão deve ser: 
3. O que Deus está fazendo em sua vida agora? 
4. O que é que você quer que ele faça em sua vida agora? 
Em segundo lugar , a fim de avançar para novas coisas em Cristo você deve saber que... 
C. Você não pode permitir que os fracassos do passado possuam-no. ... Não fique preso ao passado.
Os filhos de Israel falharam miseravelmente com Deus. Todas as vezes que ele os abençoou com coisas boas, eles devolveram para ele coisas más: 
1. Deus lhes deu o Templo - deram-lhe a adoração de ídolos 
2. Deus deu-lhes a verdade - viveram e proclamaram a mentira 
3. Deus lhes deu os seus mandamentos - eles viviam como se fossem sugestões. 
4. Deus lhes deu riqueza - eles usaram para abusar dos pobres 
5. Deus lhes deu a si próprio - deram-lhe nada, exceto a rejeição. 
Os filhos de Israel não mereciam receber nada de Deus. Contudo, Ele ainda os amava e Ele sinceramente queria ajudá-los a mudar. Observe a mensagem de Deus: “Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas. Eis que farei uma coisa nova” 
Deus não estava condenando-os pelo seu passado, não podiam fazer nada para mudar isso. Em vez disso Deus estava estendendo a mão de esperança. Ele na verdade está dizendo: “Esqueçam o passado - Eu estou lhes dando uma oportunidade de começar de novo.” 
Isaías 55:7 “Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele, torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar” 
Se você está indo a lugar algum em sua vida espiritual, você deve compreender que... 

D. Você não pode viver na fé de ontem 
1. Os filhos de Israel haviam experimentado grandes bênçãos espirituais em toda sua história. A partir da primeira Páscoa, a travessia do Mar Vermelho, a conquista da terra de Canaã, a construção do templo, os filhos de Israel tinha visto a mão de Deus operando através de suas vidas. No entanto, a sua fé no que Deus havia feito não fazia nada para livrá-los da sua situação atual. Sua antiga fé não foi suficiente para livrá-los de seus problemas atuais. Eles precisavam de nova fé, uma nova visão para o que Deus poderia fazer. Eles precisavam de uma nova porção de fé que os haviam feito conquistar todas as vitórias de antes. 
Salmo 85:6-8a “Não tornarás a vivificar-nos, para que o teu povo se alegre em ti? Mostra-nos, Senhor, a tua misericórdia e concede-nos a tua salvação. Escutarei o que Deus, o Senhor, disser...” 

O segundo passo para você abraçar a coisa nova que Deus quer fazer em sua vida é... 

II. Esclareça seu foco – Descubra o que Deus quer para você

Esqueça as coisas passadas, nem considereis as antigas. Veja, eu estou fazendo uma coisa nova! Agora ela surge você não percebe? Estou fazendo um caminho no deserto e ribeiros no ermo. 
O que você vê quando você olha para a sua vida? Você vê possibilidades ou problemas? Observe o que Deus disse: “Estou fazendo um caminho no deserto e ribeiros no ermo” 
Os filhos de Israel tinha uma escolha. Elas poderiam olhar para o passado e os problemas do presente, ou que podiam se concentrar naquilo que Deus queria fazer em suas vidas. 
Caminho versus Deserto 
Rios versus Ermo (lugar vazio) 
A fim de descobrir o que Deus quer para você... 

A. Você deve primeiro se vê como Deus te vê. 1. Os filhos de Israel sentiram como se estivessem recebendo apenas o que mereciam por causa da maneira como eles viveram. Alguns até acreditavam que Deus nunca teria mais nada a ver com eles. Mas eles estavam errados! 
2. Você pode sentir-se como se o seu passado tivesse feito da sua vida um terreno baldio, mas em Deus, sua vida pode tornar-se um fluxo de vida. 
3. Romanos 8:1,2 “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me libertou da lei do pecado e da morte” 
4. Colossenses 1:21-22 “A vós também, que noutro tempo éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora, contudo, vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, para, perante ele, vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis” 
Para descobrir o que Deus quer para você,... 

B. Tem de ver as suas possibilidades como Deus vê. “... estou fazendo um caminho no deserto...” 
1. Deus é capaz de transformar as áreas desérticas da sua vida em campos de bênção e abundância. Deus pode tomar uma vida seca e inútil e transformá-la em uma vida de propósito e graça: 2 Coríntios 3:17-18 “Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. Mas todos nós, com a face descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” 

O maior passo para abraçar a coisa nova que Deus quer fazer em seu a vida é... 

III. Comprometa-se com o plano de Deus

A. Deus já havia colocado em movimento os acontecimentos e as pessoas que levariam Israel do cativeiro de volta para a terra da bênção. Mas ainda era necessário eles decidirem se eles queriam o que Deus estava oferecendo. Se eles recusassem o plano de Deus, se eles se recusassem seguir, onde Deus estava conduzindo, então eles estariam condenados a permanecer no cativeiro. 

B. Deus está dizendo: “Eu estou fazendo uma coisa nova! Agora ela surge você não percebe? Estou fazendo um caminho no deserto e ribeiros no ermo” 


C. Deus já colocou em marcha um novo rumo e um novo propósito para sua vida - você irá segui-Lo? 


D. Salmos 95:7-8 “Porque Ele é o nosso Deus, e nós, povo do seu pasto e ovelhas da sua mão. Se hoje ouvirdes a sua voz, não endureçais o coração, como em Meribá e como no dia da tentação no deserto”
Conclusão:
Deus deseja fazer um grande e maravilhoso milagre em sua vida. 
Jesus nos ensinou que coisas maravilhosas são possíveis. 
Jesus nos garantiu que é possível viver uma vida melhor. 
Você deseja isso? Deseja uma vida melhor? Deseja tirar a palavra impossível do seu dicionário? 
Você deseja viver uma história de sucesso e realizações? 
Você deseja encontrar paz? 
Você já está cansado de viver uma vida pequena, medíocre, apagada, sem brilho, sem realizações? 
Você deseja abandonar vícios, restaurar relacionamentos quebrados, vencer o fracasso crônico, acertar, prosperar? 
Você realmente quer mudar de vida, para melhor? 
Se você deseja começar uma nova história, saiba que Deus quer fazer uma coisa nova em sua vida. 
O maior milagre não está para acontecer FORA de você, O maior milagre vai acontecer DENTRO de você. 

Deus deseja mudar a sua vida hoje. 

O maior milagre de Deus para você é mudar o seu coração e o seu destino eterno. 

Através do arrependimento dos pecados e da fé em Jesus, sua vida pode mudar completamente.
A partir daí SUA VIDA SERÁ O MILAGRE.
BISPO Anderson Camargo 

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

ÁS DUAS PESCAS 
A bíblia relata não apenas uma, mas duas ocasiões em que, sob a palavra de Jesus se efetuaram pescas maravilhosas. Cronologicamente a primeira acontece quando Jesus começa a montar a equipe com a qual trabalharia durante todo seu ministério. Tal fato esta relatado no livro de Lucas no capitulo cinco, quando ao andar junto ao lago de Genesaré , também conhecido como Mar da Galiléia e ainda mar de Tiberíades, viu dois barcos junto a praia do lago e depois de entrar em um dos barcos e ensinar a multidão que estava por ali, ordenou aos pescadores que lançassem a rede, mesmo depois de toda uma noite de tentativas frustradas; contudo tinham novamente que se lançar em alto mar que aqui bem pode representar o esforço necessário a ser empregado durante a dispensação da lei, através de todo o ritual e sacrificios, para conseguir o resgate da alma. O resultado nos conhecemos, a bíblia diz que pegaram grande quantidade de peixes e aqui um detalhe interessante, a rede se rompia, alusão profética clara ao que aconteceria com Jesus o qual teria que ter sua carne dilacerada na cruz do calvário para resgate da alma humana. A segunda grande pesca acontece logo após a morte e ressurreição de Jesus e esta registrada no livro do evangelista João no capitulo 21 onde a bíblia nos mostra que o amargurado Pedro (por ter negado a Jesus) estava de volta a sua antiga vida de pescador comum, e ainda havia arrastado com ele Tomé (Didimo), Natanael, os filhos de Zebedeu e outros dois discípulos. Como em Lucas 5, novamente eles tentaram durante toda a noite mas sem sucesso em alcançar êxito na pescaria. Contudo, de manhã, Jesus agora ressurreto dentre os mortos, se apresenta na praia e a principio sem ser reconhecido por seus discípulos pergunta-lhes se tinham algo para comer, ao que eles respondem, Não! Então ele lhes diz lançai a rede do lado direito do barco e então grande quantidade de peixes foi alcançada. Entre tantas diferenças entre Lucas 5 e João 21 a que mais me chama a atenção esta no versículo 11, onde a bíblia especifica a quantidade de cento e cinqüenta e três grandes peixes, apenas a 90 metros da praia (200 covados) o que tipifica a dispensação da graça (favor imerecido), e acrescenta a seguinte informação: mesmo sendo tantos peixes, a rede não se rompeu. Se a rede que se rompe em Lucas 5 no inicio do ministério de Jesus aponta para sua crucificação por força das exigências da lei outorgada ao povo de Israel através de Moisés, a rede que não se rompe em João 21 fala da perfeição de seu sacrifício que foi necessário apenas uma vez para nos aperfeiçoar para sempre, e assim instaurar a graça. Ele morreu uma vez por todos nós, mas ressuscitou, e vive para sempre. Glórias a Deus hoje e sempre
Bispo Anderson Camargo

sábado, 20 de dezembro de 2014

Por que saí da madre, para ver trabalho e tristeza, e para que os meus dias se consumam na vergonha? (Jeremias 20:18)
O que estou fazendo neste mundo, afinal? Essa é uma pergunta recorrente que sempre fazemos principalmente nos momentos de crise. O profeta Jeremias a fez em um dado contexto de sua missão. Se o profeta se questionava, é natural que nós também tenhamos momentos em que ficamos sem saber qual é a nossa missão. Contudo, devemos saber que as respostas a essa questão existencial será encontrada na Bíblia e está respondida em vários momentos. Salomão em Provérbios 16.4a nos dia que o “O Senhor faz tudo com um propósito”. Então, mesmo que estejamos inseguros em relação à nossa missão, devemos confiar nesta palavra sabendo que Deus tem um propósito especifico em nossa vida, inclusive nas nossas dificuldades momentâneas, conforme nos ensina o apóstolo Paulo em Efésios 1:4 “Muito antes de estabelecer as fundações da terra, Deus nos tinha em mente, tendo nos escolhido como foco de seu amor”. Devemos saber que Deus nos criou por AMOR e nos garante em Colossenses 1:16 que “todas as coisas, absolutamente tudo, nos céus e na terra, visíveis e invisíveis... tudo começou com ele e encontra nele seu propósito”. “ Eu sou o seu Criador e o tenho ajudado desde o dia em que você nasceu”, afirma o Senhor em Isaías 44:2. E Paulo garante no Salmo 139: 16 “todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir”. Contudo, muitas vezes temos gasto nossas energias e provocamos angústias e sofrimentos porque não reconhecemos a ação de Deus em nosso favor e tentamos fazer as coisas a nosso modo, por não compreender o que está ocorrendo, conforme diz Isaías 49:4ª “Tenho me afadigado sem qualquer propósito; tenho gasto minha força em vão e para nada”. “Mas os planos do Senhor permanecem para sempre; os propósitos do seu coração por todas as gerações”, afirma Davi em Salmo 33:11. Deus nos criou para viver na Eternidade, porém a forma como viveremos essa Eternidade somos nós quem escolhemos. Por isso precisamos seguir a orientação do sábio em Provérbios 9: 6 “Deixem a confusão empobrecida e vivam ! Andem pelo caminho da vida com significado”, tendo claro qual é o nosso propósito. Quando conhecemos a Deus, o nosso propósito fica mais claro. Conhecendo a Deus, sabemos que temos valor. Quando nos valorizamos não deixamos que o mundo nos absorva e nem fazemos o jogo do inimigo, pois sabemos que somos criaturas de Deus escolhidas para ser seus filhos. E filho é herdeiro. Salomão diz que “se você conhece o Deus Santo, então você tem compreensão das coisas”. – Provérbios 9:10b. Em Jesus descobrimos quem somos e o propósito de nossa vida. Quem tem Jesus, mesmo que passe por momentos tumultuados sabe onde deve colocar seus olhos e firmar sua mente.
BISPO Anderson Camargo
Mateus 8:14,15 – A cura da sogra de Pedro
Jesus, após o Sermão do monte, segue em direção a Cafarnaum. Os milagres o seguem de modo surpreendente atestando e certificando sua identidade e missão. A essa altura as multidões o seguiam. Ele chega à casa de Pedro e encontra ali a sogra deste com febre e prostrada em sua cama.

Não há palavras registradas entre eles. Jesus tão somente a toma pela mão e a febre a deixa de maneira que ela imediatamente passa a servi-lo. É um Sábado à tarde e o início da noite que põe fim a um dia cerimonial. No entanto, o dia estava apenas começando para Jesus e seus discípulos, pois logo as multidões chegariam à casa de Pedro. Muito trabalho ainda os espera.

Jesus a toma pela mão. Talvez essa cena seja despida de sofisticação na casa daquele pescador, mas tem um grande significado que transcende e chega até nós como exemplo da iniciativa divina de resgatar a humanidade de seu estado febril pecaminoso.

Logo a sogra de Pedro se levanta, símbolo da redenção. Ficar em pé diante de Deus é receber em si mesmo a salvação, a reconciliação, a redenção dos pecados, o que nos torna aptos para o serviço. Ela fica de pé e passa a servi-lo. O serviço é a vocação do cristão redimido. A lição está bastante explícita aqui: somente pode servir a Jesus aquele a quem ele toma pela mão e põe de pé.

Temos aqui um símbolo da Eleição, como uma iniciativa de Deus em relação à humanidade pecadora e também da vocação do serviço como resposta de gratidão da humanidade que deve ser imediata. Apenas um toque das mãos do Criador nos recoloca na perspectiva correta e nos torna aptos para exercer nossa vocação.

Não é possível servir acometido de febre. Ela imobiliza, retira as forças para o serviço e mantém-nos prostrados e subjugados. Muitos crentes estão acometidos da febre da indiferença. Estão a ponto de convulsionar, pois a indiferença impede um olhar de amor sobre o serviço cristão. Não permite reconhecer a comunhão local nem o valor dos relacionamentos.

A febre da omissão, que retarda qualquer iniciativa de valor quanto ao trabalho da fé. Ou mesmo a febre da ingratidão que é um sinal de grave infecção no caráter. A ingratidão machuca muito, pois todo investimento feito em uma pessoa ingrata a seus olhos é irrelevante e para quem investe são como feridas abertas na alma.

A febre do desacordo. “Andarão dois juntos se não houver entre eles acordo?” (Amós 3:3) O acordo gera virtude, dinâmica do Espírito, aceitação, parceria e cumplicidade. A febre do desacordo é uma desgraça que causa letargia e prostração.

Amados irmãos, que qualquer sinal de febre em nossa vida,familia seja rapidamente rechaçado pelo toque das mãos de Jesus. Precisamos estar em pé diante do Criador e prontos para servi-lo e as multidões que se aproximam no fim do dia.
Obrigado, pois o Senhor é o Deus que nos toma pela mão e nos diz: “Não temas, eu te ajudo.” (Isaías 41:13) Ajuda-nos, portanto a estar de pé e assim servi-lo. Em Nome de Jesus, Amém!
Bispo Anderson Camargo

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

VEJA BEM ESSE VERSÍCULO:
E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe NUM MOMENTO de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero.
-- Lucas 4:5-6
ESTAVA PENSANDO:
Após seu batismo nas águas Jesus foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto para ser tentado pelo diabo. Durante o período de 40 dias passou por muitas tentações e vencendo todas elas, nos mostrou que é possível vencer as tentações obedecendo a Palavra de Deus, e só desta forma podemos vencer o pecado que bate a porta do nosso coração todos os dias. Mas o que chama atenção a este texto, é que o reino, as coisas, as propostas que o diabo faz são por apenas um momento. O diabo não tem e não terá o poder eterno, tudo tem um tempo determinado para ele. O poder que foi entregue a ele tem seus dias contados. Refletindo sobre isso podemos pensar que não vale a pena por um momento trair a confiança de nosso cônjuge, roubar de alguém algo que não temos, mentir para ter benefícios circunstânciais. O pecado cometido pode levar a pessoa para o inferno, pois está pessoa esta vivendo apenas de momentos, mas quando deixamos de viver momentos em benefícios próprios e começamos a olhar para Jesus e toda a Sua Glória e vivemos pensando na eternidade com Ele, todos os "benefícios" terreno não terão sentido para nós, e assim como Jesus podemos rejeitar todas as propostas do diabo. Faça isto!
De ao diabo uma resposta sai em nome de jesus .

Bispo Anderson Camargo 

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

SALMO 126 e 137
O TEMPO DE CANTAR CHEGOU 
O estudo, ora apresentado é sobre o Salmo 126 registrado na galeria dos salmos dos degraus. Este salmo é um louvor a Deus pela restauração e retirada do cativeiro, pois é um salmo pós-exílio. O povo estava experimentando a tão sonhada libertação, depois do cativeiro na Babilônia.

O Salmo 126 é um salmo pós-exílio, ele foi escrito após o cativeiro babilônico. Esse Salmo, que está contido nos cânticos cantados durante a peregrinação a Jerusalém (das subidas, dos degraus, de ascensão, entre outros subtítulos que aparecem na seção dos salmos 120-134), traz em si a síntese do passado e do futuro. Ele fazia parte da história do povo de Deus, a temática e a importância desse salmo na história do povo de Deus é que toda a síntese desse salmo vem refletir o sofrimento, as dores, as decepções, as provações que o povo de Deus na sua história de vida vivenciou, mas esse salmo também retrata o triunfo, a conquista, o cumprimento das promessas de Deus, a fidelidade para com o seu povo.
“Grandes coisas fez o Senhor por nós, por isso estamos alegres”. Nosso louvor e nossa alegria são motivados pelas grandes obras de Deus realizadas em nosso favor. Israel, o povo de Deus, confessou com alegria estas palavras. Pois o Senhor, por seu poder e misericórdia, fez grandes coisas por eles. Toda a história de Israel no AT mostra-nos os grandes atos de salvação realizados por Deus em favor do seu povo (êxodo, deserto, Canaã). Deus sempre foi fiel e bondoso para Israel. Mas Israel, por muitas vezes, respondeu ao Senhor com ingratidão e rebeldia. E o Senhor sendo justo, castigou o seu povo várias vezes por suas transgressões. Um dos castigos que Deus deu ao seu povo foi o cativeiro sob um povo estranho (Dt. 28.49,64). Dois principais cativeiros ocorreram na vida do povo de Deus por causa dos seus pecados: cativeiro assírio (722 a.C.) e babilônico (586 a.C.).
O Senhor castigava o seu povo a fim de levá-lo ao arrependimento e restaurar a comunhão com ele. No castigo, o Senhor lembrava-se da sua misericórdia. Ele agiu em favor do seu povo restaurando-lhe a sorte: derrotou os babilônios e libertou o seu povo do cativeiro (539 a.C.). Um homem chamado Ciro foi o instrumento usado por Deus para libertar o seu povo (Is. 44.28; 45.1-7). O povo de Deus voltou para Jerusalém e restaurou a cidade e o templo do Senhor que antes foram destruídos por causa do cativeiro.
O Salmo 126 se encaixa dentro desse contexto histórico. Os salmos expressam as emoções dos salmistas em relação a Deus e estão ligados a uma situação histórica. Quando o salmista confessa que o Senhor restaurou a sorte do seu povo ele está se referindo à libertação do povo do cativeiro babilônico e o seu retorno à Jerusalém. Não foi somente um retorno físico, mas um retorno espiritual (Deus presente no meio do seu povo a fim de ser adorado no templo em Jerusalém que representava presença de Deus). Esse salmo era cantado pelo povo quando subia o monte Sião a fim de adorar o Senhor no templo.O salmista que escreveu o salmo 126, reconhece com alegria a graça e a fidelidade de Deus para com seu povo (v. 1-3 ).
As nações testemunharam as obras de Deus em favor do seu povo (v. 2 b). O grande amor de Deus para com seu povo era visível a todos bem como a sua ira. No castigo, Israel era zombado e escarnecido pelas nações pagãs inimigas do povo de Deus. Mas o testemunho das nações no salmo 126 é sobre a misericórdia de Deus para com seu povo.
O que ocorre na vida de um povo que é abençoado por Deus? Este povo só pode ser um povo grato e cheio de alegria. Vejam a situação de Judá. Antes, sob o domínio de um povo pagão no cativeiro, não tinham alegria, mas tristeza. Poderiam encontrar alegria na Babilônia? Entoar um hino de louvor ao Senhor numa terra estranha como escravos? Salmo 137:1-4 expressa a tristeza dos exilados.
Nos versículos 5-6 o salmista na regência da vontade divina, banhado pela inspiração do Espírito ele resume toda a história desse povo com uma linguagem totalmente agrícola para expressar as agonias, o sofrimento, mas também a conquista, os frutos que eles colheram. O final do Salmo recupera uma idéia generalizada na antiguidade, de que o processo de semeadura era difícil e, por isso, triste. Semear dá trabalho. Enquanto se semeia, os pés e mãos se ferem, o corpo se cansa, o sol castiga.
Em algumas mitologias antigas, a idéia de morte está presente na semente sepultada sob a terra. Semear é um tempo de dor. Mas a visão dos campos floridos, dos frutos amadurecidos compensa tudo. A lágrima não foi desperdiçada: ela regou a colheita. A restauração tem frutos como resultado. Ela é sempre um processo frutífero, por mais dolorido que seja. Por isso, é possível ver sorrisos onde antes havia lágrimas.É isso que vemos no contexto do salmo 126, um quadro totalmente diferente: a tristeza deu lugar à alegria. Agora poderiam tocar suas harpas e cantar salmos de louvor ao Senhor em Jerusalém, pois o Senhor lhes restaurou a sorte, fez grandes coisas por eles.

Conclusão:
O Salmo 126 nos mostra varias lições e ao mesmo tempo nos convida a redescobrir o sonho e a vivê-lo nas pequenas e grandes restaurações que Deus faz em nossa vida. A restauração tem frutos como resultado. Ela é sempre um processo frutífero, por mais dolorido que seja. É sempre fonte de alegria, de regozijo e de esperança.
Podemos nos lembrar todos os dias das restaurações que Deus tem operado em nossas vidas, assim como o povo poderia se lembrar de inimigos que se levantaram contra eles ao longo dos séculos: egípcios, assírios, filisteus, cananeus em geral, babilônios. Não faltaram oposições nem opressões ou exílios. Entretanto, a todo o tempo, Deus proveu livramento, consolo, milagres, sinais e a possibilidade de recomeçar, reconstruir e renovar a vida e a esperança. Por isso, o sofrimento ou dificuldade presente é sempre uma condição tanto de memória quanto de esperança. Sabemos o que Deus fez e cremos no que ele fará.
Mas infelizmente em nosso mundo hoje, temos perdido a capacidade e a dimensão do sonho. Vemos isso nas coisas mais simples do cotidiano. Observe apenas os jovens à sua volta: como tem sido difícil para eles sonhar! Antigamente, sempre havia facilidade em dizer o que a gente queria ser quando crescesse, pois eu falei isso varias vezes (sonhei). Mesmo que fosse impossível, o sonho existia. Hoje, infelizmente, quando se faz essa pergunta a um jovem pré-universitário, não é raro receber a triste resposta: “Ainda não sei”.

Bispo Anderson Camargo 

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

INDEPENDENTEMENTE DA TRISTEZA NEEMIAS CONTINUOU SERVINDO.
No capítulo 2:2 de Neemias ele diz: “nunca antes eu tinha estado triste a presença dele, por isto o rei me perguntou: “Por que o seu rosto parece tão triste, se você não está doente? Essa tristeza só pode ser do seu coração”. Perceba, o fato de aparecer diante do Rei de forma diferente o fez notar uma situação anormal em seu homem de confiança. Uma pessoa instável dificulta a possibilidade de se tornar algo normal em sua vida, porém no caso de Neemias foi diferente. Sua atitude abriu portas espirituais para que ele pudesse desencadear uma onda de salvação sobre todos os seus amigos e parentes.ou seja ele não deixou com que a tristeza viesse deixa-lo de servir ao rei,portanto todos nós também não podemos deixar que ás tristezas dessa vida venha nos impedir de servirmos ao nosso Rei Senhor e Salvador JESUS CRISTO !
Uma mente ocupada com as coisas certas tem muito mais capacidade de resolver problemas. Neemias desenvolveu em pouco tempo uma estratégia funcional para convencer Artaxerxes da necessidade de recuperar algo que ele mesmo havia destruído. Vamos ver isto em Neemias 2.3 - “Que o rei viva para sempre” – Mesmo sabendo quem era autoridade maior sobre sua vida Neemias reverenciou a autoridade de Artaxerxes. Claro, não falamos em reverenciar a autoridade de satanás, porém é preciso respeitar a lei “dos homens”, é preciso cumprir com as regras e respeitar as autoridades colocadas sobre nós. Todas as coisas estão sujeitas ao poder de Deus inclusive as autoridades e portanto, devemos respeitá-las. “... a cidade em que estão sepultados os meus pais está em ruinas e as portas foram destruídas pelo fogo” – Neemias diz “a cidade”, mas não diz que é Jerusalém. Isto era um segredo entre ele e Deus e não deveria ser revelado ao rei, até porque havia sido ele mesmo quem destruiu a cidade de Jerusalém
Muralhas e portas fechadas: 
COLHA RESULTADOS
Os resultados na vida de Neemias são claros e evidentes. Da mesma forma os resultados na sua vida serão muito claros
Neemias pediu e recebeu cartas
No capítulo 2, e versículo 7 Neemias recebe cartas do rei endereçadas aos governadores do Trans-Eufrates. Estes na realidade eram homens estabelecidos pelo rei para governar em algumas regiões de acordo com condições sociais, geográficas e até religiosas. Estas cartas representam a autoridade de Neemias sobre todas estas coisas de forma que elas não poderiam mais atrapalhar os seus objetivos. 
Deus vai dar a você quantas cartas que forem necessárias para você superar todas as suas dificuldades. De qual carta você precisa. Creia e o Senhor vai entregá-las na sua mão.
Neemias pediu e 
recebeu bens materiais
Ainda na mesma oportunidade Neemias pediu ao Rei uma carta para ASAFE, o guarda da floresta do rei, para receber madeira para reconstrução, das portas e dos muros da cidade e também para a casa onde iria morar. Perceba isto: A obra espiritual na qual se envolveu Neemias iniciou-se através de coisas materiais. Deus opera no mundo espiritual através de coisas materiais. Esta é a mensagem. Não podemos multiplicar o que não temos. Sem madeira, sem reconstrução. 
Deus vai providenciar todo o material necessário para reconstruir o que parece estar perdido em sua vida.
Neemias não foi sozinho
No versículo 9 está escrito: “acompanhou-me uma escolta de oficiais do exército e de cavaleiro que o rei enviou comigo”. ­Deus não vai permitir que você esteja sozinho na sua batalha. Assim como ele enviou uma escolta com Neemias para a reconstrução de uma Jerusalém física, Ele também envia a você uma escolta dos seus mais gabaritados oficiais para ajuda-lo em sua batalha. Você não está sozinho. Jesus está com você juntamente com seus anjos. Avance, lute, creia,deixe a tristeza de lado. A vitória é toda sua! em nome de JESUS.
Bispo Anderson Camargo