sexta-feira, 31 de março de 2017

A que foi fiel e acabou honrada
(Texto Bíblico: 2 Samuel 21:1 a 14)
A história desta mulher, de nome Rispa, é uma história muito triste. Mas embora não tenha tido um final que poderíamos chamar de ‘feliz’, foi um final de honra que ainda hoje nos traz ensinamentos.
Podemos entender no texto bíblico que lemos que seus únicos filhos foram entregues para serem executados por causa dos pecados antes cometidos pelo pai de ambos, o Rei Saul – que nesta época já estava morto. Não vamos discutir aqui as formas do povo de Deus lidar com o pecado antes de Jesus ter vindo ao mundo para morrer por nós. O que precisamos saber é que naquela época, quando Rispa vivia, a humanidade estava debaixo da Lei, e não da graça, e por isso a remissão dos pecados só vinha através de sacrifícios. Além disso, os povos viviam em guerra para conquistar territórios e obter domínio – inclusive o povo de Israel, já escolhido por Deus como nação santa. Mas era uma época em que havia também muita rebeldia, paganismo, crueldade e ao mesmo tempo, provisão do Senhor para seu povo quando estes se arrependiam e o buscavam de todo coração. Quanto às mulheres, elas tinham poucos direitos e quase nenhum poder de opinar ou agir.
Davi, já coroado rei, enfrentava seca e fome em seu Reino. Como homem de Deus, consultou o Senhor e Ele lhe revelou o motivo: o não cumprimento de um voto de seu antecessor, o Rei Saul, que, sanguinário, tentou exterminar os gideonitas, que não eram israelitas, mas, tinham um acordo de paz com o povo de Israel. Como forma de quebrar a maldição que sobreveio sobre seu reino por conta dessa violação, Davi e os gideonitas decidiram executar sete descendentes de Saul – entre eles, os dois únicos filhos de Rispa.
Assim feito, a Bíblia relata que essa mãe ficou dias, talvez meses, velando o corpo dos filhos, que não receberam um funeral de respeito, como era costume na época. Ela não podia fazer nada por eles nesse sentido, mas seu amor de mãe não admitia que os corpos dos filhos servissem de alimento para aves e animais. Então ela ficou lá, dia e noite, zelando por eles. Durante esse tempo, o castigo sobre Israel terminou – pois começou a chover sobre a terra seca – e o Rei Davi acabou sabendo da atitude de Rispa. Então ele mandou buscar os ossos de Saul e Jonatas, que estavam enterrados fora do Reino, e juntou-os aos corpos dos que foram executados, inclusive os filhos de Rispa, e deu a eles um lugar de honra, enterrando-os num túmulo próprio.
Para nós isso pode não ter muito significado, mas para Rispa, foi uma vitória, afinal, era seu último feito como mãe: conseguir um destino honrado para os corpos de seus filhos.
A perseverança de Rispa nos encoraja, em primeiro lugar, a não desistir diante das dificuldades, mesmo que nossa dor seja tão severa quanto a dor da morte de alguém que amamos. Por amor e por um desejo ardente de fazer o que era certo – naquele caso, dar um enterro digno aos filhos – ela suportou dias de sol e calor, noites de frio e escuridão. Até que alguém com autoridade viu e honrou seu gesto. Sua fidelidade foi recompensada.
Da mesma maneira, Deus deseja que sejamos fiéis ao que é certo e àqueles que amamos. Mesmo que venham dias difíceis. No final, Ele irá honrar nossa atitude de serva(o).
“Não vos conformeis (não aceite como normal) com este mundo (o ‘sistema’ deste mundo), mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento (mente)...” (Romanos 12:2).
Em toda e qualquer situação, procure agir de acordo com a vontade Deus e Sua Palavra. Espere confiantemente e a honra virá sobre você e sua casa.
Em segundo lugar, Rispa nos mostra que nem sempre a vontade de Deus é a nossa.
Muitas vezes nos desgastamos questionando aquilo que acontece a nossa volta e que, aos nossos olhos, deveria ter sido diferente. Mas lembre-se que há um Deus Todo Poderoso cuja vontade é boa, perfeita e agradável, e que, quando nos vê tomados de aflição ou caídos numa armadilha, faz questão de vir ao nosso socorro e reverter a situação, transformando maldições em bençãos e morte em vida!
Os propósitos de Deus são maiores que os nossos. No caso dos filhos de Rispa,Após ela ter se humilhado diante de Deus se vestindo de pano de saco,Ela não guardou ódio no coração,Magoa nada disso apenas se humilhou diante de Deus e nem o culpou por nada e a nação de Israel foi salva daquele momento desesperador, pois o castigo cessou e a maldição foi anulada. E como hoje, naqueles dias, tudo era consequência dos pecados. Deus nunca desejou nosso sofrimento. Não se rebele contra Ele quando acontecerem coisas na sua vida ou à nossa volta – como tragédias, guerras e assassinatos - que são resultado do mundo pecaminoso e sem Deus que vivemos. Pelo contrário: tome posição e lute com todas as suas forças para fazer o que é certo a fim de que sua família, nossa cidade e nosso país sejam transformados, guardados e salvos.
Deus quer usar você e eu para mudar a história. Está disposto(a) a pagar o preço?
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 24 de março de 2017

“Então um homem chamado Jairo, dirigente da sinagoga, veio e prostrou-se aos pés de Jesus…” (Lc 8:41)
Ao lermos a passagem do encontro de Jairo, um dirigente da sinagoga e Jesus, podemos ter muitas lições em um pequeno espaço de tempo, onde Jairo muito aprendeu e nós podemos aprender muito com esta passagem e também com a atitude de Jairo.
Jairo passava por uma situação muito difícil e delicada, sua única filha estava a beira da morte. Provavelmente Jairo a levou a vários médicos buscando a cura para a doença que afligia sua filha, mas sempre sem sucesso. Talvez até mesmo alguns médicos deram como certa a morte de sua filha, mas Jairo em algum momento ouviu falar sobre Jesus, sobre os milagres que ele vinha realizando, então, a esperança encheu o coração de Jairo.
Para que sua filha fosse curada, Jairo transpôs vários obstáculos
1 – Posição / Títulos
“Então um homem chamado Jairo, dirigente da sinagoga…” (Lc 8:41)
Jairo era o dirigente da sinagoga, ou seja, ele possuía um título, uma posição, que poderia impedi-lo de chegar até Jesus, se prostrar aos seus pés e implorar pela cura de sua filha. Certamente não cairia bem para um a pessoa pública como Jairo, se prostrar diante de outra pessoa, mas para salvar sua filha , Jairo não se importou e se humilhou.
2 – A Multidão
“Estando Jesus a caminho, a multidão o comprimia.” (Lc 8:42)
Depois de ter seu pedido atendido, Jairo teve que transpor a multidão para que Jesus chegasse até a sua casa para ver a sua filha que estava a morte. Seria muito fácil para que Jairo vendo a multidão que cercava Jesus desistisse de seu desejo. Seria muito fácil para Jairo ao ver a multidão pensasse que não conseguiria chegar até Jesus, mas Jairo transpôs a multidão por duas vezes, a primeira delas, quando chegou até Jesus, pois a multidão já o cercava (Lc 8:40), e depois quando ele conseguiu falar com Jesus e eles juntos teriam que sair do meio da multidão para chegar até a casa de Jairo (Lc 8:42).
3 – Impaciência
“Na presença de todo o povo contou por que tinha tocado nele…” (Lc 8:47)
Dos obstáculos Jairo já havia conseguido ultrapassar, agora vinha o terceiro que parecia ser mais difícil. Uma mulher que sofria de uma grave doença a doze anos e nenhum médico conseguiu curá-la, mas ouvindo falar de Jesus creu que se apenas tocasse nas vestes de Jesus poderia ser curada de sua enfermidade, e assim, conforme sua fé ela fé e foi curada. Ao perceber que alguém o havia tocado, Jesus perguntou: “Quem tocou em mim?” (Lc 8:45), algo diferente havia acontecido, pois certamente muitos já deveriam ter tocado em Jesus, tendo em vista que a multidão o comprimia,conforme o próprio Pedro afirmou no versículo 45 do capítulo 8.
Ao perceber que não passaria desapercebida, a mulher confessou que ela tocou em Jesus e foi curada, então, começou a contar o motivo que a levou a tocar nele. Agora imaginem, Jairo estava com a sua filha a morte, e derrepente uma mulher para Jesus, e começa a conversar com ele, o impedindo de prosseguir o caminho. Que provação para Jairo não é mesmo? Mas ele também ouviu o testemunho da mulher e certamente foi muito edificado e encorajado, uma vez que ele presenciou uma cura que Jesus fez, alimentando a sua esperança de que Jesus poderia curar sua filha também.
Jesus poderia deixar passar desapercebido este feito, mas ele insistiu que fosse revelado quem havia tocado nele para que fosse revelado um feito que edificaria não só a multidão mas também Jairo, principalmente pelo que viria a seguir.
4 – Incredulidade / Fatos
“Sua filha morreu. Não incomode mais o Mestre.” (Lc 8:49)
Jairo acabara de presenciar a cura de uma mulher que sofria a 12 anos e que como ele, procurou vários médicos mas não obteve sucesso, então, alguém veio da casa de Jairo e disse que a sua filha já havia morrido e que não adiantaria mais nada. Neste instante Jairo poderia jogar todo o seu esforço fora e desistido de tudo. Poderia ter acusado Jesus e a mulher que o havia pardo de ter demorado e por este motivo não ter conseguido chegar a tempo na casa dele para curar a sua filha, mas ao contrário, após ser encorajado por Jesus (Lc 8:50) Jairo obedeceu a Jesus e apenas creu que ainda seria possível. Ele pode colocar em prática a fé que a mulher curada do fluxo de sangue teve. Ele não desistiu, mas creu que Jesus poderia até mesmo ressucitar sua filha.
Havia neste momento, uma atmosfera de incredulidade onde todos já não acreditavam que seria possível que a menina voltasse a ficar bem. Todos já creram apenas no fato de a menina estar morta e choravam (Lc 8:52), pois era a única coisa que poderiam fazer.
5 – Ridículo
“Todos começaram a rir dele…” (Lc 8:53)
Ao chegar na casa de Jairo, Jesus tentou animar os que ali estavam dizendo palavras de fé que poderiam enchê-los de esperança: “Não chorem […] Ela não está morta, mas dorme.” (Lc 8:52), mas as pessoas não acreditaram e zombaram de Jesus rindo dele.
Mais uma vez, Jairo poderia ter desistido de tudo e descrido, das coisas que viu e ouviu de Jesus. Ele poderia acreditar nas pessoas que estavam com a menina, e não acreditado em Jesus, pois ele ainda não havia visto a menina, contudo Jairo se apegou em sua fé e continuou crendo que seria possível, mesmo passando por ridículo perante todos. Ele não se importava, queria sua única filha viva, custasse o que custasse.
No final do capítulo 8 podemos ver como a história terminou: “Mas ele a tomou pela mão e disse: ‘Menina, levante-se!’ O espírito dela voltou, e ela se levantou imediatamente. Então Jesus lhes ordenou que lhe dessem de comer. Os pais dela ficaram maravilhados…” (Lc 8:54-56)
Jairo em momento algum se deixou abater pelas circunstâncias e dificuldades, pelo contrário, superou cada uma delas para que depois de tudo pudesse se maravilhar e ter sua filha novamente saudável em seus braços.
Que atitudes exemplares a de Jairo para nós!
Meu desejo e que possamos também transpor nossos obstáculos para que depois de tudo, nos maravilhemos nas boas obras que o Senhor tem para nós.
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Mt 2:1 Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia,
em dias do rei Herodes,
eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém.
Que tempo foi esse?.Que Mateus tenta explicar para nós o porque Jesus nasceu no tempo de Herodes?...
Na época Judéia estava invadida pelo império romano.E tinha que demonstrar seu poder através da sua tirania,truculências etc..A exemplo disso o cego Bartimeu.. No Evangelho segundo Marcos é o que oferece mais informações sobre ele. Ao ler o livro descobrimos que era chamado de Bartimeu, era judeu, cego mas não de nascença, mendigo, o nome de seu pai era Timeu e podemos deduzir que era bastante conhecido naquela região, não encontramos mais nenhuma informação sobre ele na Bíblia.
Porem o historiador judeu Flavio Josefo, nos da algumas informações sobre seu pai, o que nos ajuda compreender um pouco mais sobre a vida e a situação daquele homem. 
Segundo Josefo. Timeu era um general que serviu o exercito de Israel em Betel, ao aposentar se estabeleceu naquelas regiões onde se tornou um prospero comerciante. No entanto quando Israel foi dominado por Roma teve seu bens confiscados e sua aposentadoria cortada. A partir daí Timeu tornou-se revoltoso contra o império romano liderando varias rebeliões. Considerado uma ameaça ao que foi caçado pelo império Romano, foi preso e condenado a morte de cruz. Após sua morte os olhos de seu filho foram arrancados como um aviso a todos que quisessem se rebelar contra Roma.
Na verdade Bartimeu não era seu nome e sim um pseudônimo, Bar significa filho e Timeu era o nome de seu pai, portanto Bartimeu significava filho de Timeu. Bartimeu como ficou sendo conhecido era um homem desprezado e descriminado pela sociedade da época tanto por judeus como por romanos, devido a sua condição física, financeira e seu histórico familiar. O modo como era chamado era uma forma de lembrar sua desgraça, o termo Bartimeu era na verdade sinônimo de uma maldição herdada de seu pai...Não sei se você está vivendo um tempo de Herodes na sua VIDA ...Desgraça,Persiguição,Escravidão,Em que vc não tem nenhuma chance,Em que todos querem te maltratar,Em que sua carreira está enfadada ao fracasso,Não tem casa para morar,Em que vc não pode abrir a boca se não arrancam um pedaço de vc,Em que não á nenhuma chance de vc ser bem sucedido,....Preste ATENÇÃO !!!..Ná Época em que Tudo está contra vc,..Ná Época em que todos querem te ver sofrer,..Nessa Época Nasceu JESUS!!!!...JESUS É A NOSSA ESPERANÇA !!!...Você que está Vivendo o Tempo de Herodes na sua vida....Deus está dizendo para nós JÁ NASCEU Á ESPERANÇA NOVA NA SUA VIDA !!!..AMÉM !...CALMA É NESSE TEMPO(ÉPOCA).QUE DEUS FAZ NASCER UMA NOVA ESPERANÇA,EMPREGO NOVO,AUMENTO,SAÚDE,ALEGRIA,..O QUE TINHA QUE NASCER JÁ NESCEU !!!!...Herodes não vai atrapalhar porque é nessa ÉPOCA que Geramos VITÓRIA !!!..Temos o Exemplo de Moisés também que nasceu no tempo de faraó...no tempo de escravidão e sentença de morte NASCEU Moisés !!!!....Tome posse da sua vitoria em nome de Jesus Amém meus amados !!!!...Jesus Nasceu !!!!...
Bispo Anderson Camargo.

domingo, 5 de março de 2017

Defenda o seu campo de lentilhas.
DEFENDA SEU CAMPO DE LENTILHAS 
2 Samuel 23.11-12 
No tempo do rei Davi eram muitos os desafios, mas ele contava com seus “Valentes”. Eles eram os heróis que realizaram grandes feitos, registrados nas Sagradas Escrituras. Um deles chamava-s...e Samá. Mas o que fez Samá para ser considerado um herói? Ele defendeu um terreno com um campo de lentilhas em Israel, enquanto o povo israelita fugia. O que são lentilhas? São leguminosas tipo sementes, contendo muito ferro, muito nutritivas mas, de pouco valor comercial. Segundo a Bíblia, Esaú cedeu a Jacó seu direito de primogenitura em troca de um prato de lentilhas. Mas Samá achou um desaforo que os filisteus subissem para destruir as plantações de Israel. Samá também sabia que estava ao lado de um povo acostumado a fugir. Por que defender algo de tão pouco valor? Aquele campo poderia ser sem valor para outros, mas tinha valor para Samá. Devemos valorizar o que Deus nos deu. A Palavra diz que “os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis”. O que significa isso? Que aquilo que Deus nos dá ele não invalida, nem toma de volta. Será que Deus está preocupado com lentilhas? Na verdade Deus quer que aprendamos as lições desse episódio. Muitos estão deixando que os demônios (os filisteus atuais) destruam o que é seu. Então, o que devemos defender? 
A unção de Deus precisa ser defendida
Só tem a visão de Deus quem tem a unção do Espírito Santo. A unção é o chamado de Deus, a capacitação para realizarmos a sua obra. Foi pela unção do Espírito Santo que Davi se tornou um rei vencedor em Israel. Por isso Paulo disse que foi fiel à visão celestial (At 26.19). Então, como defendemos a unção? Quando nos afastamos do pecado, guardamos a Palavra e a praticamos, permanecendo na presença do Senhor (Sl 119.11 e 105.4). Hoje temos a Palavra de Deus em nossas mãos e também o Espírito Santo conosco, que nos guia, nos ensina e nos capacita com sua unção e seus dons maravilhosos. Ora, se Samá deu a sua vida para defender um campo de lentilhas, nós também devemos defender a unção que Deus nos deu. 
Defenda sua família
Vivemos dias difíceis, dias trabalhosos. O inimigo tem levantado um grande cerco contra a família instituída por Deus. Vivemos a era da crise familiar. Mas se Deus te colocou numa família, defenda-a. Honre seu cônjuge. Respeite-o e ame-o profundamente. Clame ao Senhor pelas promessas que ele fez para a sua família. 
Defenda seus filhos
Os seus filhos são também o seu campo de lentilhas. Procure saber quem são os amigos de seu filho ou de sua filha, pois hoje há muitas “invasões” sobre crianças, adolescentes e jovens, tais como as drogas, os vícios e impurezas,como imoralidades, O que acontece com um campo que não tem cerca? Imponha limites aos seus filhos, enquanto são menores. Oriente-os, se são maiores. "Ensina o teu filho no caminho que deve andar" (Pv 22.6). Não deixe seus filhos dormirem na casa de seus colegas, a não ser que você conheça bem os seus pais. Mesmo assim, o melhor é não permitir. Seus filhos podem não ter valor para os outros, mas são valiosos pra você! 
Defenda sua fé
Onde está a tua fé? Em que ela está baseada? O que você está fazendo com a fé que uma vez por todas foi entregue aos santos? "Está escrito: o meu justo viverá pela fé", diz o Senhor (Rm 1.17b). A fé só se baseia na Palavra de Deus, que não passa mas, permanece para sempre. Por isso Paulo disse “combati o bom combate, completei a carreira e guardei a fé!”. 
Então, como fazer para defender o seu “campo de lentilhas”?
Não fuja como o povo israelita
V. 11c - Levante-se com coragem, posicione-se e não siga o caminho da fuga. Se você não defender seu campo de lentilhas, ou seja, um bem quase sem valor, como você defenderá os bens mais valiosos? Não esqueça que se Deus está conosco nós já somos maioria. Coloque-se no meio do seu campo de lentilhas, e resista corajosamente. 
Lute por seu campo
V. 12a - Não aceite que o medo, a crítica ou o desânimo te assustem. Não desista no primeiro obstáculo. Lute pelo que Deus te deu. Jesus nos disse que tudo o que pedirmos em oração, crendo, receberemos (Mt 21.22). É a mesma coisa nas nossas lutas: se perseverarmos venceremos! Quem sabe você está orando por alguém da sua família. Então declare: “eu e minha casa serviremos ao Senhor!” 
O Senhor te dará grande livramento
V. 12b - Samá tomou posição naquele terreno, isto é, ele se posicionou decisivamente e defendeu aquela plantação. Então diz o texto que “o Senhor efetuou um grande livramento”. Deus estava com Samá, e lhe deu grande vitória. Assim também o Senhor fará contigo, na defesa do teu campo de lentilhas. 
Conclusão
A bíblia diz que o diabo não tem nada e não dá nada pra ninguém, pois “ele vem para roubar, matar e destruir”. Mas Jesus veio para dar vida, e vida com abundância. Jesus veio para libertar o cativo e restaurar-nos para a glória de Deus. Portanto, não arrede o pé do seu campo de lentilhas. Não abra mão daquilo que Deus te deu. Veja o que Deus te deu: sua vida, sua saúde, seu casamento, seus filhos, sua família, seu negócio, seu emprego, a unção de Deus, seus sonhos etc. Não fuja, mas lute e seja valente, e o Senhor te dará grande livramento! 
Bispo Anderson Camargo