sexta-feira, 26 de setembro de 2014

ENTREGUE AOS ATORMENTADORES
E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. Mateus 18.34
Perdoar é um dos atos mais lindos e abençoados que podemos praticar. Ao fazer isso, igualamo-nos ao Senhor, o qual nos perdoa de todos os pecados. Ele deixou-nos o exemplo a ser seguido. No caso relatado, Jesus mostra que o perdão da nossa dívida, concedido pelo Senhor, é maior do que o que podemos fazer ao nosso semelhante, pois a que temos com Deus é infinitamente maior do que imaginamos ou poderíamos pagar.
O rei, ao ajustar contas com os seus servos, viu que um deles lhe devia dez mil talentos. Para melhor compreensão, um trabalhador, naqueles dias, ganhava 20 denários por dia. Um talento valia seis mil denários, ou 300 dias de trabalho. Multiplicando os dez mil talentos por 300, teremos 3 milhões de dias de trabalho, os quais multiplicados por 20 reais, dariam 60 milhões de reais. Nem que ele, a mulher, os filhos e os bens fossem vendidos, a dívida seria quitada.
Como a parábola é um ensinamento por comparação, o Mestre quis mostrar que jamais poderemos pagar pelos nossos pecados. Então, o cidadão se prostrou diante do rei e suplicou-lhe por misericórdia. O rei teve compaixão e lhe perdoou. A seguir, sem dever mais a ninguém, o servo perdoado encontrou um conservo que lhe devia cem denários, ou cem reais, e, como ele não tinha como pagar, colocou-o na prisão.
Os conservos, vendo a maldade do devedor perdoado, relataram o fato ao rei, que, enfurecido, chamou-o de servo malvado. Ora, tendo sido perdoado de tão grande dívida, ele deveria ter feito o mesmo com a pessoa que lhe devia tão pouco e não tê-la lançado na prisão. Isso nos ensina que, se formos maus, poderemos ter cancelado o perdão que já obtivemos.
A lição nos foi dada para que não tenhamos nenhum prejuízo por negar o perdão a quem nos fez algo tão pequeno. O nosso débito era impagável, e, se fomos perdoados de tão grande soma, por que não perdoar a quem nos devia muito menos? Só mesmo um coração malvado pode agir assim. Este servo teve cancelado o perdão da sua dívida e ainda foi entregue aos atormentadores. Não é bom ser mau com ninguém.
O Mestre não deu nenhum ensinamento por acaso, ou para criar pânico nas pessoas. Ele falou do que acontece com todo aquele que não se espelha em Deus e, por isso, não faz a vontade divina. Há muitos indivíduos em prisões espirituais, sendo oprimidos por atormentadores, por terem sido maus com alguém que lhes causou algum prejuízo.
Seremos tratados pela mesma medida com que tratarmos os nossos conservos na fé em Jesus(lucas 6,38).Se quisermos misericórdia, temos de demonstrá-la aos que nos ofenderam; caso contrário, os atormentadores “tomarão conta” de nós. Será que não temos ofendido o Pai em uma escala muito maior?
BP.Anderson Camargo 

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Ao ler o Salmo 23:5 que diz: “Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.”
sendo bem otimista no meu percentual, creio que 99,9% (noventa e nove vírgula nove por cento) das pessoas que lêem este versículo acreditam que o salmista Davi escreve sobre:
Triunfar sobre os inimigos;
Vencer os inimigos;
Despojar os inimigos;
Abater os inimigos.
Inclusive, os inimigos tinham nomes, um deles era Saul, os outros eram da sua própria casa, os seus irmãos, Em I Sm 17:28 diz: “E, ouvindo Eliabe, seu irmão mais velho, falar àqueles homens, acendeu-se a ira de Eliabe contra Davi, e disse: Por que desceste aqui? Com quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Bem conheço a tua presunção, e a maldade do teu coração, que desceste para ver a peleja.”
Não acredito que o homem que era segundo o coração de Deus (At.13:22) estivesse disposto a destruir/abater/despojar/triunfar seu rei e seus irmãos. Não creio.
Para os judeus a MESA era um lugar para resolver suas desavenças, era à MESA que eles resolviam suas diferenças, era à MESA que o pai chamava o filho para contar as proezas de Deus, era à mesa que o esposo tratava com sua esposa algo importante.
Quando Davi diz: “Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos”, Davi estava querendo dizer, em outras palavras, que desejava assentar à MESA com os inimigos, mas que esse encontro fosse preparado por Deus, para que eles pudessem resolver as suas pendências, que houvesse uma conversa séria entre eles e que disso tudo resultasse em PERDÃO. Que eles não fossem mais inimigos e sim que houvesse RECONCILIAÇÃO.
Talvez você esteja questionando o que está lendo, mas você lembra quando Pedro, após negar Jesus, foi pescar e viu na margem Jesus preparando peixe? Pedro mergulha e nada o mais rápido que pode para ter aquele encontro, pois Jesus havia preparado uma MESA com paes e peixe, em João 21:9 diz: “Logo que desceram para terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão.
Pedro sabia o que aquela MESA significava. Jesus estava oferecendo PERDÃO.
Não é a toa que com a mesma quantidade de vezes em que Pedro negou Jesus é a mesma quantidade de vezes que Jesus oferece o PERDÃO, veja João 21:15 a 17:
15 E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros.
16 Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.
17 Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: SENHOR, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.
Que maravilha de Deus! Amados, a essência do reino de Deus é o PERDÃO.
Existe outra passagem bem conhecida sobre o Filho Pródigo quando após sua volta para casa o pai prepara uma MESA, um banquete. (Lucas 15:23) E ali, há um reencontro em que o PERDÃO é derramado.
Voltando para o Salmo 23, o versículo 6, “Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias.” , complementa o que estamos escrevendo, Davi diz que a BONDADE e MISERICÓRDIA estará com ele todos os dias.
Mesmo que sobre a vida de Davi houvesse uma promessa onde Deus diz que “E eu derrubarei os seus inimigos perante a sua face, e ferirei aos que o odeiam.” ( Salmo 89:23 ). Para Davi o seu maior triunfo era estar bem com todos. Davi conseguia arrebatar o coração de Deus, Davi conseguia emocionar Deus com suas atitudes.
E você que está aí lendo esse texto, como está sua vida, será que não existem mágoas no seu coração? Será que a ira está habitando o seu ser? Será que você não tem que sentar à MESA com alguém e resolver algo que ficou mal esclarecido?
Só sentam à MESA aqueles que escutam a voz de Deus fazendo o convite, pois de nós mesmos, não resolveríamos e tenho certeza absoluta que o Senhor tem preparado uma MESA para sentarmos com aqueles que nos feriu, com aqueles que nós ferimos e estarmos com o passaporte carimbado para chegarmos ao céu.
Lembrando que, se não temos comunhão com quem vemos como teremos comunhão com Aquele (Deus) que não vemos?
Convido-te hoje mesmo a fazer como Davi.
E que a bondade e a misericórdia de Deus nos acompanhem.
Com temor
Bp.Anderson camargo