quarta-feira, 18 de abril de 2018

AS ROCHAS DA NOSSA VITÓRIA
Ouvindo pois, os filisteus que os filhos de Israel estavam congregados em Mispa, subiram os maiorais dos filisteus contra Israel; o que ouvindo os filhos de Israel, temeram por causa dos filisteus. Pelo que disseram os filhos de Israel a Samuel: Não cesses de clamar ao SENHOR, nosso Deus, por nós, para que nos livre da mão dos filisteus. Então, tomou Samuel um cordeiro que ainda mamava e sacrificou-o inteiro em holocausto ao SENHOR; e clamou Samuel ao SENHOR por Israel, e o SENHOR lhe deu ouvidos. E sucedeu que, estando Samuel sacrificando o holocausto, os filisteus chegaram a peleja contra Israel; e trovejou o SENHOR aquele dia com grande trovoada sobre os filisteus e os aterrou de tal modo, que foram derrotados diante dos filhos de Israel. E os homens de Israel saíram de Mispa, e perseguiram os filisteus, e os feriram até abaixo de Bete-Car. Então, tomou Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e chamou o seu nome Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR (1Sm.7.7-12).
1. EBENÉZER (rocha de ajuda).
Depois de um período de tempo sem Arca do SENHOR, a nação de Israel se humilhou, e Deus feriu os filisteus com pragas de doenças e muitos foram mortos. Quando eles perceberam que a mão de Deus estava contra eles, tendo derrubado o seu deus Dagon no seu próprio templo, pois os filisteus colocaram a Arca de Deus no templo de Dagon; eles se apressaram em devolver a Arca do SENHOR para Israel.
Tendo os filhos de Israel feito concerto com Deus e renovado a aliança, estando todos alegres por Arca do SENHOR está de volta, estando eles reunidos na cidade de Mispa, os filisteus voltam a atacar mais uma vez. Porém Samuel, o profeta de Deus, clamou e ofereceu sacrifício a Deus, e Deus agiu a favor de Israel com uma grande trovoada de pedras sobre os filisteus e a nação de Israel foi vitoriosa. Samuel tomou uma pedra como marco e pôs entre duas cidades, Mispa e Sem, e chamou o nome daquela pedra de Ebenézer, que significa rocha de ajuda, e depois disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR. Muitas vezes é preciso o inimigo se levantar, se o inimigo não se levanta, não tem graça, é preciso que venham, é preciso que haja oposições, é normal que os inimigos se levantem e venham contra. Sendo assim nós vamos clamar a Deus, e Ele vai agir a nosso favor, e nos mostrar mais uma vez que Ele peleja por nós.
2. SELA-HAMALECOTE (rocha da fuga).
Deus sempre tem uma saída, uma fuga, um escape, para nos livrar do inimigo, do perigo e de muitas situações adversas, Ele vai nos socorrer para nos dá vitória. Quando Saul perseguia Daví no deserto de Zife, Deus deu estratégia a Daví para se livrar de Saul e do seu exército que estavam a sua procura para o matar. Daví, porém fugiu para o deserto de Maom e ficou sobre uma rocha, e e vieram os filisteus contra Saul, quando ele e os seus homens já estavam prestes a encontrar Daví, ouvindo Saul a notícia que os filisteus estavam invadindo o seu arraial, deixou de perseguir a Daví e foi guerrear contra os filisteus. Diz a bíblia: Por esta razão aquele lugar se chamou Sela- Hamalecote, que significa, rocha de fuga (1Sm.23.14-29). Não temas, Deus tem uma saída para o teu problema ele vai agir a teu favor e vai confundir o teu inimigo, e se for preciso morre gente, se muda gente, se converte gente, mas a vitória é tua, em nome de Jesus. Amém!
3. JESUS CRISTO (a Rocha singular).
Moisés disse: Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita.
Como pode ser que um só perseguisse mil, e dois fizessem fugir dez mil, se a sua Rocha os não vendera, e o SENHOR os não entregará? Porque a sua rocha não é como a nossa Rocha, sendo até os nossos inimigos juízes disso (Dt.32.4,30,31).
Ana disse: Rocha alguma há como nosso Deus (1Sm.2.2).
Cristo é a Rocha perfeita, singular e de grande valor. Ele é a Pedra única de esquina, pelo fato de ser a Rocha principal que trouxe salvação tanto para os judeus como para os gentios (Sl.118.22). Ele é a Rocha firme e consistente, por isso a igreja está firmada Nele. A rocha serve de base de sustentação para que o alicerce de uma construção seja firme e sólido. Jesus nos fala de dois homens que edificaram uma casa; um edificou sua casa sobre a areia e o outro sobre a rocha. O que edificou sobre a areia teve prejuízo, porque vieram as águas, os ventos e as tempestades; e derrubou a sua casa. Mas, o que edificou sobre a rocha, sua casa se manteve firme diante das intempéries da natureza. É assim aquele que firma a sua fé na Rocha que é Cristo, ele fica firme diante das adversidades da vida. A sua estrutura espiritual não se abala, porque está firmada em Deus (Mt.7.24-27). Cristo é a nossa rocha perfeita, completa e única. A nossa vitória é certa, porque estamos firmados na Rocha singular, que é Cristo.
Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo (1Co.15.57). Amém! 
Ebenézer! Até aqui nos ajudou o SENHOR.
Deus vai te ajudar, a vitória é nossa pelo em nome Jesus! A nossa Rocha perfeita.
Bispo Anderson Camargo.

sábado, 14 de abril de 2018

EFATÁ - O PODER DE ABRIR OS CÉUS
Então, voltou os olhos para o céu e, com um profundo suspiro disse-lhe: Efatá! (Mc 7.34)
Em Tiago 1.17, aprendemos: Toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombras inconstantes. É uma segurança para nós verificarmos neste texto que o nosso Deus é imutável. Ele continua sendo o mesmo. Também nos conforta saber que lá do alto, do céu, o Pai nos envia boas dádivas e dons perfeitos. Nada melhor do que ter os céus abertos sobre as nossas cabeças.
Em Marcos 7.31-36, lemos que um homem que era surdo e que mal conseguia falar foi levado a Jesus. E as pessoas que levaram o tal homem tinham a intenção de que Jesus lhe impusesse as mãos e o curasse. Eis aqui uma lição preciosa para nós, Igreja de Jesus: não queiramos impor nossas limitações a Deus.
Por vezes, tentamos limitar a ação de Deus à nossa preferência e expectativa. Queriam que Jesus lhe impusesse as mãos. Esta era a forma tradicional de ministrar cura. Mas Jesus não é exatamente tradicional. Ele é livre para agir, criar e surpreender. Jesus tinha um jeito novo que incluiu enfiar os dedos nos ouvidos do homem, cuspir e ungir com seu cuspe a língua do homem. Quem poderia imaginar que Jesus escolheria operar desta forma? Ele é Deus e nós somos Seus servos. Que Ele faça sempre do jeito dEle em nós, sempre, o bendiremos.
Creia, Ele se importa com você. Observe o detalhe no final do verso 34, onde Marcos conta que Jesus deu um profundo suspiro. A razão deste profundo suspiro não é outra senão a compaixão que Ele demonstrou também em diversas outras ocasiões. Logo em seguida, em Mc 8.2, veja o relato de Jesus compadecido pela multidão. Em Mc 1.41, Ele ficou profundamente compadecido pelo homem leproso. E a compaixão é consequência dEle importar-se com as pessoas.
Efatá! Esta palavra foi declarada por Jesus aos céus quando ministrava na vida do homem surdo. Efatá significa "abra-se". Através de Jesus temos acesso ao céu, o lugar de onde o Senhor Deus nos supre com bondade, fidelidade, misericórdia, perdão e muitas outras bênçãos.
Ele faz tudo muito bem. Esta foi a conclusão do povo da região de Decápolis, onde ocorreu este milagre e anteriormente um endemoniado chamado o endemoniado de Gadara,Decápole é uma palavra grega que significa “dez cidades”. O vocábulo desígna 10 cidades onde predominava a cultura grega, localizadas a Leste do Jordão (exceto Escitópolis). Embora existam diferentes listas, normalmente essa é a lista das cidades que a constitue:
1. Canata (Qanawat).
2. Damasco, a capital da Síria.
3. Dion.
4. Escitópolis (Beth-Shean), em Israel, a única na Cisjordânia.
5. GADARA (Umm Qays).
6. Gerasa (Jerash, atual Djerash), na Jordânia.
7. Hippos (Hippus ou Sussita).
8. Pela, chamada hoje de Tabaqat Fahl, na Jordânia.
9. Filadélfia, atual Aman, a capital da Jordânia.
10. Rafana.
Isto significa algo maravilhoso para nós,Lembram quando Jesus libertou o Gadareno e depois expulsaram Jesus da Cidade,Agora a Situação é bem diferente,Quando Jesus volta a Cidade a MULTIDÃO está vindo até Ele,Ou seja aqueles que estão rejeitando hoje, estarão indo até Ele depois em nome de Jesus Amém!...Vejam !!!
Todos ficaram maravilhados com a forma de Jesus agir, com o poder de Deus manifesto. Nada melhor a fazer do que confiar sua vida aos cuidados do Senhor e Salvador Jesus.
O Senhor Jesus estava naquele momento devolvendo todo tempo perdido que aquele rapaz ficou sem ouvir e falar,Se prepare vc Vai recuperar todo tempo perdido da sua vida amém!! 
Há muitos textos nas Escrituras que nos convidam a nos entregarmos a Deus. Um deles é Salmo 55.22: Entregue suas preocupações ao Senhor, e Ele o susterá; jamais permitirá que o justo venha a cair. Coloque-se imediatamente sob o poder do Senhor Deus. Nada melhor do que viver sob céus abertos.
Bispo Anderson Camargo.

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Vencendo as pedradas.
Atos 7:58 “...arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedreja-lo...” 
Na verdade, as pedradas ou tempestades da vida são inevitáveis, imprevisíveis, e acima de tudo, pedagógicas.
Gostaria de compartilhar com o leitor quatro atitudes fundamentais para vencer as pedradas da vida.
1. Não deixe uma pedrada da vida amargurar seu coração,Não deixe nada azedar o seu coração.
Muitas pessoas vivem amarguradas após lavarem uma pedrada da vida. Uma decepção, frustração ou até uma tragédia azedou a vida para sempre. O viver agora é amargo, cheio de murmurações e preso a um passado triste. Se liberte da amargura do passado. Olhe para frente. A ganhadora da medalha de ouro no tênis (Serena Willians) estava de cama a meses antes da olimpíadas. Ela não pensava em jogar, porque não sabia se iria viver. Quando saiu do hospital decidiu não ficar lamentando amargurada o tempo perdido, mas aos poucos voltou a treinar, foi para a olimpíada e ganhou a medalha.Sonhos precisam ser conquistados!!
2. Se prepare para enfrentar as pedradas da vida!
Estevão estava preparado para enfrentar aquele momento adverso. A bíblia diz que ele era cheio de sabedoria (Atos 6:10); Estevão era cheio de fé (Atos 6:8). Sua fé atingia três dimensões: 1)Ele via o invisível, 2) Cria no inacreditável, 3)Recebia o impossível. O primeiro mártir da igreja era cheio do espirito santo (Atos 6:5). Uma pessoa cheia do Espirito Santo passa a ter resistência para aguentar as pedradas. Estevão conhecia a Palavra de Deus (Atos 7:2-52). E, você esta preparado??? Como esta a sua vida com Deus?
3. Confie que nenhuma pedrada da vida será maior do que a graça de Deus na sua historia!!..Minha dor não é maior do que a minha promessa amém!!!...
Não é porque você esta recebendo pedradas da vida que Deus perdeu o controle. O Senhor nunca perde o controle da história. Ele sabe o que você esta passando.Toda a ferramenta preparada contra ti não prosperará, e toda a língua que se levantar contra ti em juízo tu a condenarás; esta é a herança dos servos do Senhor, e a sua justiça que de mim procede
Isaías 54:17 . Ele nunca permitira que sejam pressionados além do limite, mas estará sempre com você para ajuda-lo a vencer a tentação. (Toda a ferramenta preparada contra ti não prosperará, e toda a língua que se levantar contra ti em juízo tu a condenarás; esta é a herança dos servos do Senhor, e a sua justiça que de mim procede
Isaías 54:17...(1 Corintios 10:13). Estevão esta levando pedradas mas ele está ORANDO Atos 7:58-59 As pedradas não são maiores que as promessas aleluia!!!..
4. Creia que as pedradas não são o teu fim
Quando Estevão vê Jesus, ele vê em pé (Atos 7:56). Mesmo que você recebeu uma forte pedrada da vida. Uma perda, uma tragédia ou uma grande decepção não será o seu fim se você crer que Jesus ainda esta em pé e vai agir em sua vida. Se Jesus esta em pé é porque ainda ele não terminou sua história. Ele tem algo novo para você. Creia em Jesus Cristo e entregue sua vida a Ele. As pedradas da vida virão, mas não será o seu fim. Você não luta por medalhas, mas pela vida. Sua vida vale mais do que tudo, e Deus se importa contigo. Se lembre do que disse o Apostolo Paulo: “Todos vocês já foram ao estádio e viram as corridas. Vários atletas correm, mas apenas um vence. Correr para vencer: é para isso que os bons atletas treinam duro. Eles fazem isso por uma medalha de ouro, que perde o brilho e o valor, mas vocês estão atrás da medalha que nunca envelhecerá (1 Corintios 9:24-25 )..Para finalizar (1º) Em Atos 7:2 Estevão esta FALANDO da glória que apareceu a Abraão, estando na mesopotâmia, antes de habitar em Harã.....(2º ) Em Atos 7:55-56 Estevão disse: Eis que VEJO os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus.
Estevão termina VENDO !!!......Você estava em uma dimensão de só falar, Mas nessa luta Deus vai te LEVAR para outra DIMENSÃO de VER !!!!...Você vai terminar VENDO a sua Vitória em nome de Jesus amém!!!....
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Quem é você em tempos de crise?
II Reis 7 Houve uma grande fome em Samaria (II Reis 6.25), quando a cidade foi cercada pelos Sírios (II Reis 6.24). Não havia o mínimo de alimento para o povo trancado dentro da cidade. Com isso, o povo estava atordoado e fazendo qualquer coisa para sobreviver (II Reis 6.26-29). O próprio rei de Israel estava apavorado (II Reis 6.30).
Quando passamos por crises muitas vezes revelamos quem realmente somos. As crises em todos os sentidos revelam sentimentos dentro de nós. Nossas reações são inesperadas quando surpreendidos por dificuldades indesejadas. Por isso precisamos refletir quem somos diante das crises da vida.
Como reagir em tempo de crise?
Vamos aprender através de uma comparação com os personagens: o rei, o profeta, o capitão e os leprosos:1- Rei: II Reis 6.31 e 7.12
O rei Jorão, mesmo sabendo que Eliseu era um profeta de Deus, que tinha sido usado para salvar o seu povo (II Reis 6.8-23), ainda assim culpou o profeta por todo o mal que estava acontecendo.
Se você é como o rei na hora da crise:
-você se sente incapaz (II Reis 6.30);
-coloca a culpa nas pessoas (v.31);
-fica nervoso e faz ameaças (v.31);
-desconfia de tudo e todos (II Reis 7.12).
Em tempos de crise pouco adianta apenas encontrar culpados. É preciso encontrar soluções para os problemas. Estamos acostumados a ser reis de nossas vidas e decidir tudo, mas quando perdemos o controle da situação apavoramos. Não adianta culpar as pessoas, brigar nem fazer ameaças. É preciso encontrar saídas para a crise.
Não seja como o rei na hora da crise!
2- Profeta: II Reis 7.1 Eliseu era o profeta da época. A sua tarefa como profeta foi anunciar a Palavra de Deus. A mensagem do Senhor era que haveria um tempo de bênção e fartura.
Se você é profeta na hora da crise:
-você abençoa;
-ministra bênçãos (v.1);
-anuncia a Palavra de Deus;
-avisa sobre as consequências da incredulidade (v.2).
Mas o profeta também avisa sobre o perigo de não acreditar na mensagem do Senhor.
Seja profeta na hora da crise!
3- Capitão: II Reis 7.2
O capitão estava na porta de Samaria era uma pessoa de confiança do rei, em que “cujo braço o rei se apoiava” (v.2).
Se você é capitão na hora da crise:
-acha que sabe tudo;
-pensa que é forte;
-duvida da Palavra de Deus.
Infelizmente muitos capitães são usados para mandar e desmandar, pensando que sabem tudo e que são fortes, pois até os reis se apoiam neles. Mas ninguém é maior que nosso Deus que pode mudar tudo e transformar a crise em oportunidade.
Na hora da crise, não seja como o capitão, mas deixe Deus ser o general em sua vida. Não seja arrogante achando que manda em todos. Você pode estar perdendo a oportunidade de experimentar providência de Deus.
Não seja capitão na hora da crise!
4- Leprosos: II Reis 7.3-9
Os leprosos foram usados por Deus para salvar o povo de Samaria que estavam morrendo de fome. Na Bíblia Sagrada, a lepra é um símbolo do pecado (Levíticos 13.1-9). Se somos todos pecadores, todos podemos ser comparados com estes leprosos (Romanos 3.23) e estamos condenados à morte (Romanos 6.23).
Se você é como os leprosos na hora da crise:
-sabe que é um pecador condenado à morte;
-busca oportunidade sem medo de arriscar (v.4 e 10);
-tem temor de Deus e pensa no seus próximo (v.9);
-compartilha as boas novas aos que precisam (v.10).
Como aqueles leprosos devemos reconhecer que não somos dignos, mas devemos permanecer fiéis ao Senhor e crer no seu poder. Quando surge uma oportunidade não devemos temer nem ser egoístas ficando com a bênção somente para nós.
Seja como os leprosos na hora da crise!
Seja fiel na hora da crise e receba a vitória!
-CONCLUSÃO: II Reis 7.14-20
A diferença acontece quando vem a vitória. Dependendo de quem você foi na hora da crise será sua condição na hora da bênção.
-O Rei: Perdeu a oportunidade. Deus manda o profeta Eliseu 
ungir Jeú no lugar de Jorão que morre perdendo o seu reinado pouco tempo após (II Reis 9.1-3).
-O Profeta: foi honrado porque se cumpriu sua palavra (v.18);
-O Capitão: foi atropelado pelo povo e não pode experimentar (v.17, 19,20).
-Os Leprosos: experimentaram abundância e tiveram a honra de salvar seu povo (v.8 e 15).
Seja profeta em tempos difíceis anunciando a vontade de Deus e também como os leprosos que foram solidários. Não seja como rei que culpou os outros nem como o capitão que não acreditou na provisão de Deus.
A crise passa e Deus te dará a vitória!...Amém!!!
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 23 de março de 2018

Vivendo na Direção de Deus Êxodo 13:17-22

“E aconteceu que, quando Faraó deixou ir o povo, Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, que estava mais perto; porque Deus disse: Para que porventura o povo não se arrependa, vendo a guerra, e volte ao Egito.” Êxodo 13:17
“Mas Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto do Mar Vermelho; e armados, os filhos de Israel subiram da terra do Egito.” Êxodo 13:18
E o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite. Êxodo 13:21
“Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite.” Êxodo 13:22
O ser humano tem a tendência de querer fazer tudo mais fácil e mais rápido. Como os marqueteiros seduzem os clientes a comprarem um produto? “ATENÇÃO”!!! Já impressiona não é? Aí vem o toque na fraqueza de todo mundo: “Fácil de Pagar”, “Mais barato”, “X Vezes sem Juros”, “Leva na Hora”, “Desconto Imperdível”, “Ganha Brinde”, etc. Mas no fim, todos sabem que aquilo tudo é só um meio pra o cliente ser pego no calor da emoção. Uma fantasia mascarada de realidade.
Um perigo muito grande é quando isso ocorre no mundo espiritual. Quando “fantasias” desse mundo querendo nos dizer que tudo pode ser “fácil e rápido”, acaba nos dando uma falsa esperança de que as coisas podem acontecer da maneira que queremos ou pensamos que deveriam ser. Por isso a frustração, a ansiedade, a depressão, a insegurança, e até mesmo a dúvida da existência de Deus, são problemas que acompanham os passos da humanidade atualmente.
Ao tirar o povo do Egito, “Deus não os levou pelo caminho que estava mais perto”. (v. 17) Por quê? 
A dificuldade seria maior. Tinham filisteus, e haveria necessidade de guerra. Andar mais era a solução de Deus. 
“Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto do Mar Vermelho”. (v. 18) Por quê? Ele queria mostrar milagre. 
“Coluna de nuvem de dia, e de fogo de noite”. (v.21) Aqui vemos duas coisas: 
1- Deus nos faz passar facilmente onde outros passariam com dificuldades. (O deserto é quente e seco de dia). 
2- Deus nos faz passar facilmente por lugares onde outros “jamais” passariam. (De noite no deserto é frio, escuro, e com animais mortais. Impossível andar).
Se tudo parece confuso, alegre-se, pois a maioria dos planos de Deus nós só entendemos no final, pois Ele não trabalha com o “fácil e rápido”, mas com o correto. Não com a emoção, mas com a razão. Ele vê o que não vemos e conhece nossas limitações e seu objetivo é sempre nos levantar. (v 18b).
E por fim, ainda nos garante que sempre estará conosco - “Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite.” (v. 22).
Compensa ser guiado por Deus!

sexta-feira, 16 de março de 2018

Atos 1:9-15                                                                                              Jesus apareceu, depois de Sua ressurreição, para mais de 500 pessoas.
Em 1 Coríntios 15.6 diz que Ele apareceu para mais de 500 irmãos de uma só vez!
Jesus ressuscitou e, por 40 dias, conforme Atos 1.3, deu provas incontestáveis de Sua ressurreição: pregou o Reino de Deus e falou para que eles esperassem o derramamento do Espírito Santo em Jerusalém.
O Jesus Ressurreto pregou, insistiu e repetiu por 40 dias para que o povo esperasse a descida do Espírito Santo em Jerusalém.
No dia de Pentecostes, quantas pessoas estavam reunidas no cenáculo em Jerusalém esperando o Espírito Santo?
A maioria vai responder:
– 500!
Outras responderão:
– Mais de 500!
Mas Atos 1.15 afirma que eram aproximadamente 120 pessoas. Portanto, nem a metade que viu o Senhor Jesus ressuscitado, que O ouviu falar por 40 dias: “Não saiam de Jerusalém, esperem a promessa!”
Sim… Nem a metade obedeceu, deu ouvidos, praticou, etc.
Por quê?
Porque Jesus foi morto em Jerusalém! E, além disso, estavam perseguindo Seus discípulos e seguidores.
Estar em Jerusalém era uma ameaça. Era um SACRIFÍCIO! Eles viviam escondidos, perseguidos por causa da fé.
Por que Jesus não prometeu o derramamento do Espírito Santo em outra cidade? Por que não em Cafarnaum, Nazaré ou Belém?
Resposta: Porque não haveria nenhum esforço! E para receber o Espírito Santo era necessário o sacrifício de estar em JERUSALÉM!!!
Os mais de 500 queriam o Espírito Santo, mas não queriam sacrificar! Queriam facilidade.
Os quase 120 Obedeceram e, mesmo ameaçados, permaneceram na cidade santa. Não importava ameaça, perseguição, nada! Mesmo correndo risco de serem mortos, obedeceram, Se você quer o Espírito Santo ou reconhece que necessita ser renovado, os 120 que obedeceram, provaram que queriam o Espírito Santo, foram transformados e fizeram história.
Foram testemunhas de Jesus e O glorificaram.Aleluia!!!
 "Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;"
Romanos 12:12

segunda-feira, 5 de março de 2018

A Parábola dos Talentos
A parábola dos talentos é contada no Evangelho de Mateus 25:14-30 
Capacidade e Talento
A condição para diferenciar a quantidade de talento a ser recebida era "a capacidade de cada um". Implica dizer que quem recebeu mais foi julgado com maior capacidade de multiplicar o talento, o que recebeu menos tinha uma capacidade menor. Então não somos iguais em capacidade, todos não temos os mesmos direitos? A quantidade aqui não designou grau de importância. Receber menos não significou ser preterido ou discriminado, pelo contrário, o tempo e a oportunidade foi igual para todos: " voltei-me, e vi debaixo do sol que não é dos ligeiros a carreira, nem dos fortes a batalha, nem tampouco dos sábios o pão, nem tampouco dos prudentes as riquezas, nem tampouco dos entendidos o favor, mas que o tempo e a oportunidade ocorrem a todos." Eclesiastes 9:11
Embora tempo e oportunidade ocorram à todos, cada pessoa tem capacidade diferente, graças a Deus por isso! Esse é o motivo de termos variedade de profissões no mundo. Na vida eclesiástica não é diferente. Romanos 12: 6-8: "De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, sejam eles exercidos segundo a medida da fé."
Deus conhece a capacidade e fé de cada homem e de forma justa distribui dons. Cabe a cada um exercer com presteza e responsabilidade o talento. Receber um talento e fazer bom uso dele pode significar multiplicá-lo à ponto de ultrapassar em números o que recebeu dois ou mais talentos. Contudo, o objetivo da parábola não é competição numérica, mas de trabalho.
Valor do Talento
Talento, em grego talanton, era também o peso legal, cerca de 26 kg, e poderia ser de ouro, prata ou cobre, sendo de um valor monetário altíssimo, equivalendo a cerca de 6.000 denários, ou algo como 6.000 dias de trabalho, ou mesmo 20 anos de tarefas para o homem comum. O uso da moeda na parábola é metafórico simbolizando algo de muito valor.
Gratidão e reconhecimento
A parábola transmite claramente que os dons pertencem ao Senhor dos servos: "E lhes confiou os seus bens" (verso 14). Os homens que multiplicaram o talento demonstraram conhecer seu Senhor, eles receberam bem a mensagem: reconheceram o valor do talento, o senhorio e de forma grata cuidam do que lhes foi dado, vigilantes sobre o dia da prestação de contas.
O que enterrou o talento tinha uma ideia errônea sobre o caráter do seu Senhor. Por que escolhe enterrar a moeda em uma cova? Que sentimento o motiva a isso? Podemos afirmar que esse servo era incapaz, não porque Deus assim o fizesse, mas porque não buscou conhecer seu Senhor e receber Dele os ensinamentos necessários para seu sucesso. A capacidade para administrar os dons espirituais tem alicerce espiritual.
Paulo bem afirma: Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. 1 Coríntios 2:11-12.
O homem que enterra o talento não era espiritual. Ele rejeita o Espirito Santo, apesar de receber nome de "servo". Sem o Espirito Santo em sua vida, não há modo de multiplicar os dons. Sem está ligado a Cristo não há modo de fazer parte do Seu corpo que é a Igreja, aquela responsável por multiplicar os discípulos na terra. Veja o que ele diz no vers Por isso, tive ``MEDO´´, ``SAI´´ e escondi o seu talento no chão. Veja, aqui está o que lhe pertence’. Dois erros graves na vida de muitas pessoas 1º ter medo, 2º Sair do lugar onde recebeu o talento, infelizmente existem muitas pessoas que estão cometendo esses graves erros de terem medo e de sairem do lugar onde receberam os talentos,percebam que os que multiplicaram os talentos permaneceram no mesmo lugar onde receberam os talentos,Portanto não saia do lugar onde Deus te colocou,Deus quer te honrar ai onde vc está,Tem muitas pessoas mudando de lugar sem a autorização de Deus!
Mateus 25:25
Há diferentes tipos de dons, mas o Espírito é o mesmo. Há diferentes tipos de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Há diferentes formas de atuação, mas é o mesmo Deus quem efetua tudo em todos. A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito, visando ao bem comum. I Cor 12: 4-7
Enterrando o dom
Percebam que o homem que enterra o talento não reconhece sua incapacidade, mas culpa seu senhor pelo fracasso. Uma atitude semelhante a de Adão no Éden ao ser interrogado por Deus sobre sua desobediência. Adão culpa a Eva, culpa a Deus, mas não reconhece que ele é o principal responsável por sua queda.
Procurar culpados é outro erro grave ! , não é atitude de vencedores. O bem deve ser nosso espelho, não o mal. A medida que o mal justifica nossas ações, nos igualamos a ele. O homem da parábola não enterra apenas o talento recebido, mas enterra a ele próprio e sem fazer uso de tudo aquilo que Deus o concedeu. Ele tinha algo de muito valor, mas ao invés de desfrutar disso, escolhe ignorar e ainda culpar seu senhor.
Quantos homens estão padecendo fracasso espiritual por não conhecerem a Deus? Criaram em suas mentes uma ideia desvirtuada de Deus e por isso não se aproximam Dele. O inverso dessa primícia é verdadeiro.
Talento para todos 
Deus distribuiu dons para os homens, de forma justa. Se vermos alguém frutificando muito para o Reino, enquanto outros nada frutificam, a razão para isso se encontra no coração do homem e na onisciência de Deus. Todos somos igualmente importantes para Deus e através de Jesus, nosso Senhor, recebemos dons para exercício do ministério. Não recebemos mais ou menos do que necessitamos, recebemos o que nos é devido. Cabe a cada um de nós multiplicar com alegria e gratidão aquilo que nos chega às mãos.
O destino dos homens que multiplicaram o talento foi o Reino celeste, junto Àquele que reconhecidamente era Senhor deles: "Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor."
O destino do que enterrou o talento foi a morte eterna, este por escolha, não se importou em conhecer seu Senhor (Jesus) nem se preparou para Sua volta quando deveria prestar contas de suas ações: E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes."
Façamos nossa escolha.
Em Cristo, o Senhor dos talentos.

AS ROCHAS DA NOSSA VITÓRIA Ouvindo pois, os filisteus que os filhos de Israel estavam congregados em Mispa, subiram os maiorais dos filis...