quinta-feira, 24 de maio de 2018


Êxodo 2:1-10 Joquebede: era judia, da tribo de Levi, e viveu no período do cativeiro de Israel no Egito, para onde o seu povo viera, a convite de Faraó, na época de José.
Ficara na terra de Gósen, boa para o gado, com muitas pastagens, no delta do Nilo. Depois da morte de José e também do Faraó que o elevara a governador, os israelitas multiplicaram-se e a nova dinastia que agora governava o país teve medo que se fortalecessem e viessem a tomar o poder. 

O Faraó então lançou uma política para enfraquecer Israel: baseava-se em matar os bebés do sexo masculino, ao nascerem. As parteiras foram chamadas à presença de Faraó e receberam ordens para executar os meninos recém-nascidos. Mas estas mulheres temeram a Deus e não obedeceram às ordens do rei. Elas desculparam-se dizendo que as mulheres hebreias eram fortes e, que, quando iam assistir aos partos as crianças já tinham nascido. Deus abençoou as parteiras (Sifrá e Puá) pelo que fizeram ao seu povo, e elas puderam ter filhos também. 

Então o Faraó pôs em prática outra medida para limitar o crescimento dos hebreus: ordenou aos pais que lançassem os filhos no Nilo, caso fossem do sexo masculino. O terror pairava sobre as famílias dos hebreus. Joquebede mesmo  em tempo de crise . Qual foi a sua estratégia?: 
1.Mesmo em tempo de crise ela se casou Exodo 2:1 Um homem da tribo de Levi casou-se com uma mulher da mesma tribo, Não permita que tempos de crise impeça de vc realizar seus sonhos,Nada  pode impedir de vc ser feliz!

2.    Recusou entregar o seu filho  à morte, por isso fez um cestinho de junco, pôs a criança lá dentro e lançou-o nas águas: as circunstâncias adversas não lhe mataram a esperança de ver o seu filho escapar à morte.Não devemos  baixar os braços! 

2.    Calafetou muito bem o cestinho, por dentro e por fora: evitou que as influências do mundo o levassem ao fundo. Se proteja  das influências de morte deste mundo! 

3.    Cobriu o cesto com uma tampa: evitou expô-lo desnecessariamente ao mundo (choro). Não devemos expor coisas de nossas vidas,Coisas desnecessárias.

4.    Orientou a filha para que o acompanhasse de perto: Miriam compreendeu que aquele bebé era precioso, e que Deus tinha um propósito para ele. Devemos  acreditar que Deus tem um propósito em nossas vidas! 

5.    Confiou em Deus: quando fazemos tudo quanto podemos resta-nos confiar em Deus. Devemos fazer a nossa  parte e confiar  em Deus! 

6.    No fim recebeu o prêmio merecido: a princesa chamou-a para ser ama-de-leite do seu próprio filho, e foi paga para isso… 

Conclusão: Se Joquebede não tivesse uma estratégia, Moisés teria morrido.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

2 Reis (5:1-27)
Estamos diante da história bíblica de um grande homem do exército sírio, Naamã, que tinha trazido muitas vitórias para a Síria e era homem valoroso, de respeito e fiel ao seu rei, porém leproso.
Ele vivia com a sua família e tinha uma de suas servas uma menina judia que conquistara em uma de suas aventuras militares, tornando-a serva pessoal de sua mulher.
Essa jovem sabia do dilema do marido com sua lepra e manifestou a sua senhora um desejo de que ele estivesse em Israel e diante de um profeta do Senhor e ele seria restaurado de sua lepra. Vejam só como a vida de Naama se parece muito com a nossa, Problemas todo mundo tem, ninguém é super homem nem mulher maravilha. Ninguém é isento de lutas nem vive só em mar de rosas. Viver é fácil, sobreviver as lutas da vida é a parte mais difícil dela. Acredite que lutar é atitude de forte porque muitos desistem de suas lutas em meio a elas. Confie que enquanto você luta, Deus da vitórias!! (Naamã, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu SENHOR, e de muito respeito; porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso.2 Reis 5.1)
Enquanto você estiver na luta VC nunca estará sozinho. Quem vê você sorrindo não sabe as suas lágrimas em oculto em seu quarto, Quem ouve o seu "vai tudo bem", não sabe as lutas silenciosas que tens enfrentado. Quem te vê de pé não sabe os joelhos no chão em seu quarto. Deus tem cuidado de ti, Ele se preocupa com a sua vida e quer te ver vencer. Ele tem providenciado a força que você tem mostrado em meio as grandes lutas. Creia que você não é o único que luta, que não é o único que chora, que sofre e passa por problemas, muitas pessoas assim como você enfrenta gigantes, vive tempestades e passa por desertos, mas a diferença está em como cada um se comporta. Alguns vão gritar suas lutas, outros contar somente para quem as poderá vencer, Deus. Ele nos coloca na luta para ver até onde poderemos crescer, como poderemos ser fortalecidos e até onde a nossa fé n'Ele nos levará. Não vai ser fácil, não será indolor, mas sempre valerá a pena. Acalma a tua alma em meio as lutas, sei que será difícil, mas creia que o cuidado de Deus tem te feito estar de pé até aqui e assim irá prosseguir. Não existe vida perfeita, existe um Deus perfeito que pode tornar todas as coisas possíveis. Não olhe para a vizinho que aparentemente não vive lutas, cada pessoa carrega seus fardos, olhe para sua bagagem, leve ela com fé, siga esse caminho com paciência e confiança que o Deus que permite as lutas é o mesmo que te livrará delas.O problema nunca foi a lepra porque Deus já tinha a CURA para Naama!!..Naama mesmo tendo um PROBLEMA dentro de Casa ele SEMPRE vestia a sua FARDA E IA PARA AS GUERRAS Efesios 6:10 Problemas todos nós temos!...Não podemos nunca jamais deixarmos de vestir a nossa FARDA Efesios 6;6 Devemos dizer o seguinte , Estou com problemas mas ESTOU VENCENDO EM NOME DE JESUS AMÉM!!!!..... Enquanto a lepra Deus já tem a cura !!!
Vista a sua farda e vai para a guerra!!!!
Ap Anderson Camargo.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

(Apocalipse 2.1-7)
O PRIMEIRO AMOR
O que é o “primeiro amor” a que o Senhor Jesus Se refere nesta mensagem?
É um fogo de grande intensidade em nosso íntimo, que coloca Jesus acima de todas as demais coisas! Isto foi bem exemplificado numa parábola de Cristo:
(Mateus 13.44)
O Senhor está falando de alguém que, além de transbordar de alegria por ter encontrado o Reino de Deus, ainda se dispõe a abrir mão de tudo o que tem para desfrutar do seu achado. Estas duas características são evidentes na vida de quem teve um encontro real com Jesus.
Esta alegria inicial foi mencionada por Jesus na Parábola do Semeador. O problema é que alguns cristãos permitem que ela desapareça diante de algumas provações:
“O que foi semeado em solo rochoso, esse é o que ouve a palavra e a recebe logo, com alegria; mas não tem raiz em si mesmo, sendo, antes, de pouca duração; em lhe chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza.” (Mateus 13.20,21)
Outros cristãos, por sua vez, até mesmo diante das mais duras provações, ainda permanecem transbordantes desta alegria:
“Chamando os apóstolos, açoitaram-nos e, ordenando-lhes que não falassem em o nome de Jesus, os soltaram. E eles se retiraram do Sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome.” (Atos 5.40,41)
O primeiro amor é o nosso primeiro momento de relacionamento com Cristo em que nos devotamos de todo o nosso ser a Ele. Abrimos mão de tudo por causa de Jesus:
“O reino dos céus é também semelhante a um que negocia e procura boas pérolas; e, tendo achado uma pérola de grande valor, vende tudo o que possui e a compra.” (Mateus 13.45,46)
O Reino de Deus passa a ser prioridade absoluta! É quando amamos a Deus de todo o nosso coração e alma, com todas as nossas forças e entendimento! Este primeiro amor nos leva a vivermos intensamente a fé. Foi assim desde o início da era cristã:
(Atos 2.41-47)
Os relatos de Atos dos Apóstolos nos revelam uma Igreja viva, cheia de paixão e fervor:
(Atos 4.32-35)
Este amor nos leva à prática de buscarmos intensamente ao Senhor. Aliás, vale ressaltarmos que há um padrão de busca que Deus determinou para nós. É quando Ele Se torna mais importante para nós do que qualquer outra pessoa ou coisa! Devemos chegar a um ponto tal neste anseio por Ele que nada mais importe!
O ser humano foi criado para buscar a Deus. Este propósito divino é claramente revelado nas Escrituras. Na pregação do apóstolo Paulo em Atenas, ele fez a seguinte afirmação:
“O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas. Nem é servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse; pois ele mesmo é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais; de um só fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação; para buscarem a Deus se, porventura, tateando, o possam achar, bem que não está longe de cada um de nós.” (Atos 17.24-27)
A declaração bíblica é muito específica: o homem foi criado e estabelecido por Deus nesta Terra para buscá-Lo! Ainda que, em cegueira espiritual, o fizesse tateando, o homem deveria buscar a Deus. E Deus quer ser achado pelo ser humano, fato esse que fez com que Paulo afirmasse que Ele “não está longe de cada um de nós”!
Contudo, Deus não esperava apenas que os homens O buscassem, mas que também o fizessem da forma correta! Através do profeta Jeremias, o Senhor Deus deixou bem claro o que é necessário para que O encontremos – não apenas uma busca qualquer, mas uma busca de todo o nosso coração:
“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.” (Jeremias 29.13)
Este amor também faz com que trabalhemos para Deus. Jesus relacionou este amor com obras quando disse a Pedro que se ele O amasse, ele deveria pastorear o Seu rebanho (Jo 21.15-17). O apóstolo Paulo falou que o amor de Cristo (ou o entendimento da profundidade deste amor) nos constrange a não mais vivermos para nós, e sim para Ele:
“Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” (2 Coríntios 5.14,15)
Foi este “constrangimento” de amor que fez com que o apóstolo Paulo trabalhasse mais do que os demais apóstolos:
“Mas, pela graça de Deus, sou o que sou; e a sua graça, que me foi concedida, não se tornou vã; antes, trabalhei muito mais do que todos eles; todavia, não eu, mas a graça de Deus comigo.” (1 Coríntios 15.10)
Isto também deve ser assim conosco hoje. O primeiro amor é uma profunda resposta ao entendimento do amor de Cristo, o que nos leva a buscarmos e a servirmos ao Senhor com intensidade e paixão.
A PERDA DO PRIMEIRO AMOR
Alguns acham que, se o primeiro amor nos leva ao trabalho, então a perda do primeiro amor poderia ser definida como sendo “uma diminuição da produtividade”. Porém, de acordo com a mensagem de Jesus na Carta à Igreja de Éfeso, a perda do primeiro amor não é apenas uma questão de “relaxarmos” no trabalho de Deus, pois o Senhor lhes disse: “Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança” (Ap 2.2a). A palavra grega traduzida como “labor” é “kopos”, que, de acordo com a Concordância de Strong, significa: “intenso trabalho unido a aborrecimento e fadiga”. Este tipo de labor seguido de perseverança, por parte dos efésios, não nos permite concluirmos que eles tenham demonstrado alguma queda de produtividade no serviço ao Senhor.
“Perder o primeiro amor” também não é “enfrentar uma crise de desânimo” ou “desejar desistir”, uma vez que, nesta mensagem profética, o Senhor Jesus elogia a persistência desses cristãos de Éfeso: “e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer” (Ap 2.3).
A perda do primeiro amor também não pode ser vista como sendo um momento de crise no trabalho ou na dedicação, uma vez que é algo que Deus “tem contra nós”:
“Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.” (Apocalipse 2.4,5)
Portanto, a perda do primeiro amor é uma queda, é chamada de pecado, e necessita arrependimento. Há muitos crentes que continuam se dedicando ao trabalho do Senhor, mas perderam a paixão. Fazem o que fazem por hábito, por rotina, por medo, pelo galardão, por quaisquer outros motivos, os quais, acompanhados daquele primeiro amor intenso, fariam sentido, mas sozinhos não!
A queixa que o Senhor faz é o fato de que esses crentes haviam abandonado o primeiro amor. A palavra grega “aphiemi”, traduzida como “abandonar” neste texto bíblico, tem um significado bem abrangente. A Concordância de Strong define esta palavra da seguinte maneira: “enviar para outro lugar; mandar ir embora ou partir; de um marido que divorcia sua esposa; enviar, deixar, expelir; deixar ir, abandonar, não interferir; negligenciar; deixar ir, deixar de lado uma dívida; desistir; não guardar mais; partir; deixar alguém a fim de ir para outro lugar; desertar sem razão; partir deixando algo para trás; deixar destituído.”
Essas expressões refletem, não uma perda que possa ser denominada como sendo meramente acidental, mas um ato voluntário de abandono, de descaso.
O Senhor Jesus tampouco está exortando esta igreja por não O amarem mais! Não se tratava de uma ausência completa de amor, pois ainda havia amor! No entanto, o amor deles havia perdido a sua intensidade e não era mais o amor que Ele esperava encontrar neles!
PORQUE PERDEMOS O PRIMEIRO AMOR
O primeiro amor é como um fogo. Se colocamos lenha, ele fica mais inflamado. Contudo, se jogamos água, ele se apaga! Falhamos por não alimentarmos o fogo e por permitirmos que outras coisas o apaguem!
Muitas coisas contribuem para que o nosso amor pelo Senhor perca a sua intensidade.
Como identificar que deixamos o primeiro amor?
a) Abandono à oração.
b) Falta de prazer na leitura da Bíblia. (Salmo 1:1-3)
c) Substituição do culto ao Senhor por outras coisas como: Festas; aniversários, jogos, shows, passeios etc...
d) Indiferença para com Deus e para com a igreja.
e) Insensibilidade para com as mensagens...
f) Prazer nas coisas mundanas...
g) Infidelidade e indiferença na entrega dos dízimos e ofertas ao Senhor.
O CAMINHO DE VOLTA
O caminho de volta é o caminho da restauração. Foi o próprio Senhor Jesus que propôs o caminho da restauração:
“Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.” (Apocalipse 2.5)
Cristo mencionou três passos práticos que devemos dar a fim de voltarmos ao primeiro amor:
1. Lembra-te!
2. Arrepende-te!
3. Volta à prática das primeiras obras!
O primeiro passo é um ato de recordação, de lembrança do tempo anterior à perda do primeiro amor. Não há melhor maneira de retomá-lo do que esta: relembrarmos os primeiros momentos da nossa fé, da nossa experiência com Deus! O profeta Jeremias declarou:
“Quero trazer à memória o que me pode dar esperança.” (Lamentações de Jeremias 3.21)
Algumas lembranças têm o poder de produzirem em nós um caminho de restauração. Muitas vezes não nos damos conta do que temos perdido. Uma boa forma de dimensionarmos as nossas perdas é contrastarmos o que estamos vivendo hoje com o que já experimentamos anteriormente em Deus.
Contudo, a lembrança em si do que eu havia provado lá não produziu mudança alguma. Ela simplesmente trouxe um misto de saudade com tristeza e arrependimento, pelo fato de eu ter deixado de lado algo tão importante!
E esta é exatamente a segunda atitude que Jesus pediu aos irmãos de Éfeso: “Arrepende-te!” Não basta termos saudades de como as coisas eram anteriormente! É preciso que sintamos dor por termos perdido o nosso primeiro amor! Precisamos lamentar, chorar, e clamar pelo perdão de Deus! É imperativo reconhecer que a perda do primeiro amor é mais do que um desânimo, ou qualquer outra crise emocional! É um pecado de falta de amor, de desinteresse para com Deus!
À semelhança dos profetas do Antigo Testamento, Tiago definiu como devemos nos posicionar em arrependimento diante do Senhor. Deve haver choro, lamento e humilhação:
“Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração. Afligi-vos, lamentai e chorai. Converta-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria, em tristeza. Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará.” (Tiago 4.8-10)
O fato de nos humilharmos perante o Senhor é o caminho para a exaltação (restauração) diante d’Ele. Se reconhecermos que abandonamos o nosso primeiro amor, teremos que separar rapidamente um tempo para orarmos e chorarmos em arrependimento diante do Senhor e para buscarmos uma renovação.
Eu sei que recordar e chorar pelo passado também não é a cura em si, mas é um passo em sua direção! É um estágio de preparação, por assim dizer. Por isso o conselho proposto pelo Senhor na Carta à Igreja de Éfeso ainda tem um terceiro passo prático: “Volta à prática das primeiras obras!” Portanto, não basta apenas revivermos as lembranças e chorarmos! Temos que voltar a fazer o que abandonamos! Essas primeiras obras a que Cristo Se refere não são o primeiro amor em si, mas estão atreladas a ele – são uma forma de expressarmos e alimentarmos o nosso primeiro amor! Elas têm a ver com a forma pela qual O buscávamos e também a maneira como O servíamos. Jesus não protestou porque os efésios não O amavam mais, e sim porque já não O amavam mais como anteriormente! Precisamos mais do que o reconhecimento da nossa perda! Precisamos voltar a agir como no início da nossa caminhada com Cristo!
É tempo de resgatarmos o nosso amor ao Senhor e dar-Lhe nada menos que um amor total! Que possamos sempre nos apossar da graça do Senhor, para vivermos intensamente a nossa obediência ao Maior Mandamento!
Ap Anderson Camargo.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

O quarto que todos nós devemos ter em nossas vidas.
Façamos-lhes,pois um pequeno QUARTO junto ao MURO e ali lhe ponhamos uma CAMA,uma MESA,uma CADEIRA e um CANDEEIRO, e há de ser que vindo ele a nós ali se recolherá(2 Reis 4.10)
I-O QUARTO
a-Lugar de intimidade(Ct 1.4)
b-Lugar de oração(Mt 6.6)(2 Rs 4.33)
II-O MURO
a-Para proteger(Sl 59.16-17)
b-Para separar(1 Pe 1.14-16)
III-A CAMA
a-Para descansar(Sl 37.7;91.1)
b-Para ter sonhos de Deus(Gn 28.11,12)
IV-A MESA
a-Para fazer refeições(Jo 12.2)
b-Para ter comunhão(Lc 14.15;22.8-11)
c-Para trabalhar(Mc 6.3)
V- A CADEIRA
a-Representa nossa eleição(1 Pe 1.2)(Ef 1.4)
b-Representa posição delegada(1 Sm 2.8)(Sl 113.8)(Et 2.4,17)
c-Representa autoridade(Lc 1.52)
VI-O CANDEEIRO
a-Para iluminar(Sl 18.28)(Mt 25.3-4)(Sl 119.105)
b-Para aquecer(Nm 9.16)
Queridos leitores, neste estudo gostaria da sua atenção.
Quando li este texto,o Senhor me despertou para este verso,onde encontramos o quarto de Elizeu, preparado por uma mulher muito importante de Suném.Esta não podia ter filhos e viu que Elizeu era um santo homem de Deus, por isso ela e seu esposo sempre o convidavam para comer pão em sua casa, como se tornara um algo rotineiro,decidira então construir um quarto para o profeta, para que ali ele se recolhesse, sempre que passasse por Suném.
Deus usa de uma linguagem simbólica para revelar verdades espirituais.
Este quarto é quarto dos SONHOS, e é também o quarto que todo cristão deve ter em sua casa...
O muro nos fala de proteção. As cidades antigas eram cercadas por uma grande fortaleza,ou seja,um grande muro.
Do mesmo modo o cristão está protegido, visto que a Biblia nos declara:
Eu, porém, cantarei a tua força; pela manhã louvarei com alegria a tua misericórdia; porquanto tu foste o meu alto refúgio, e proteção no dia da minha angústia.
A ti, ó fortaleza minha, cantarei salmos; porque Deus é a minha defesa e o Deus da minha misericórdia.(Sl 59.16-17)
Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.(Sl 46.1)
O Muro também serve para separar(neste caso não estou falando de desunião,mas de santificação).
A palavra Kadoshi significa santo em hebraico e quer dizer separação do mundo(desejos, pecados e costumes) para serviço de Deus. Vejamos:
Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância;
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;
Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.(1 pe 1.14-16)
O próprio quarto nos revela a vontade de Deus. Jesus disse em Mateus 6.6:
Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.
É muito bom estarmos reunidos nas igrejas com os irmãos,porém é muito importante termos um momento sozinhos com o nosso Deus e Pai, um momento de intimidade, onde podemos nos abrir para Ele, confessarmos a ele tudo.
Perceba o que Jó disse:
Como fui nos dias da minha mocidade, quando o segredo de Deus estava sobre a minha tenda;(Jó 29.4)
Este segredo nos fala de intimidade, a mocidade aí nos fala do primeiro amor.
Quando nos convertemos Deus parece estar bem mais perto,a unica coisa que queremos é estar perto de Deus ou falando com Ele. Jó também sentiu isso.O segredo de Deus era na minha tenda...Não perca a sua intimidade com DEUS!
Em Cantares de Salomão nós lemos:
Leva-me tu; correremos após ti. O rei me introduziu nas suas câmaras; em ti nos regozijaremos e nos alegraremos; do teu amor nos lembraremos, mais do que do vinho; os retos te amam.(Ct 1.4)
O rei me introduziu em suas camaras,ou seja, me levou aos seus aposentos, a seu quarto, a seu lugar secreto, a seu lugar de intimidade...Aleluia!
Você tem livre acesso a sala do trono de Deus, pois o sangue de Jesus Cristo nos abriu o caminho e o véu do templo se rasgou.
É claro que não contamos nossos segredos a todo mundo e nem temos intimidade com todo mundo, da mesma forma o Senhor Todo Poderoso. Veja:
Porque o perverso é abominável ao SENHOR, mas com os sinceros ele tem intimidade.(Pv 3.32)
Deus não tem intimidade com o mentiroso,com fingidos, com hipócritas, não, Ele tem intimidades com os sinceros, ele conta seus segredos e mistérios para os que o temem.
O segredo do SENHOR é com aqueles que o temem; e ele lhes mostrará a sua aliança.(Sl 25.14)
Naquele quarto também havia uma cama. A cama nos fala de descanso, precisamos aprender a descansar em Deus, Ele cuida de Nós, basta a cada dia o seu mal,não temos que nos preocuparmos em demasia com o amanhã, vamos dormir e sonhar como José, como Jacó, que mesmo passando pelo deserto pôde sonhar e ver a glória de Deus. O deserto foi a cama de Jacó e aquela pedra seu travesseiro.
Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.(Sl 91.1)
Você tem onde descansar: Debaixo da sombra do Todo Poderoso! Por isso:Descansa no SENHOR, e espera nele(Sl 37.7)
A mesa nos fala de comunhão com nossos irmãos e com Cristo. Jesus sempre ia a casa de Lázaro,Marta e Maria, com certeza eles eram irmãos unidos, então Jesus podia se assentar a mesa com eles.
Será que Jesus pode se assentar a mesa contigo? Como estás com teus irmãos? Como estás com tua casa?
A biblia diz que é muito bom que os irmãos vivam em união(Sl 133)
Foi na mesa que Jesus fez as principais refeições.Precisamos nos alimentar para ficarmos de pé.
E o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem.(Sl 104.15)
Não pode faltar estes alimentos em nossa mesa: O pão é a palavra de Deus,pois nem só de pão viverá o homem,mas de toda palavra que sai da boca de Deus(Mt 4)
O azeite é o Espirito Santo, que faz o nosso rosto reluzir da glória de Deus, e o vinho é a alegria da verdadeira adoração, não estou falando do vinho onde há contenda, a bebida alcoolica,mas do vinho novo em odres novos.
Elizeu recebeu uma cadeira daquela mulher,isso significa que Deus nos dá cadeira, posição, lugar de honra,destaque,poder e autoridade.
Se lembra de Davi que se assentou na cadeira de Saul? Se lembra de Ester que se assentou na cadeira de Vasti? E de José do EGITO que virou governador?
Deus é um Deus soberano, que abençoa quem ele quer, ele abate o exaltado, o soberbo e eleva os humildes...Deus tem um lugar para nós!
E por fim o candeeiro ou a lampada. Isto nos fala de testemunho,pois somos a luz do mundo e o sal da terra.Uma lampada não serve debaixo do velador,mas só servira se colocada no velador.Que a palavra de Deus seja luz para nossos caminhos,que o fogo do Espirito Santo venha nos iluminar.
Lembra-se das dez virgens, cinco reservaram azeite nas lampadas e outras não,estas sabias foram recompensadas,as outras ficaram confundidas.
Que nas noites frias o Senhor te aqueça com o fogo do candeeiro!
Ap Anderson Camargo.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

A Torre de TEBES... Juízes 9:50 – 54
Abimeleque – filho de Gideão que tinha 70 irmãos e os matou para reinar sozinho
Jotão escapa e profere uma Parábola mostrando que o reinado do seu irmão não provinha do Senhor
O povo de Siquém se volta contra ele e inicia uma guerra Juízes 9:7-15
ABIMELEQUE – tipo do adversário que reina neste mundo. Apesar de só causar destruição e morte , o mundo o escolheu para reinar.
SIQUÉM – tipo da religião que deseja fazer guerra contra o adversário, mas com seu PRÓPIO entendimento
Fortaleza do deus Berite – a religião se refugia em suas fortalezas vulneráveis ao adversário e confiam em “deuses” diversos para sua defesa.
A fortaleza era TÉRRIA, ao nível da terra – a religião vive ligada às COISAS deste mundo e ao alcance do adversário
Todos morreram – a religião leva o homem à morte. Abimeleque usa a madeira para destruir o povo, assim como na religião, onde o homem é responsável pela morte espiritual das pessoas que o seguem.
TEBES (LUZ,..RESPLENDOR ) – Tipo da Obra do Espírito Santo 
Uma torre forte no meio da cidade – Isso é que diferencia a Obra da religião. A igreja fiel tem a bênção da presença do Senhor Jesus em seu meio.
Todos se acolheram a ela – no momento da luta contra o adversário, toda a igreja se abriga no Senhor Jesus
Subiram para o telhado – O Senhor eleva sua igreja acima das coisas deste mundo e a torna inatingível para o adversário
Abimeleque combate “A Torre” – Quando a igreja está no Senhor, Ele luta as nossas lutas e nos defende
Uma mulher – tipo da igreja
lança uma pedra de cima da torre – a igreja usa, como arma, a PALAVRA REVELADA!!!!!.
Quebra o crânio de Abimeleque – a revelação sempre atinge o alvo e DEFINE A VITÓRIA !!!
Uma grande vitória é alcançada por uma única revelação
A igreja fiel, que tem uma “TORRE FORTE” em seu seio, e, ao se abrigar nela, está protegida do adversário. A vitória definitiva vem, então, através da revelação alcançada nesta torre.Amém!!!!
Ap. Anderson Camargo.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

AS ROCHAS DA NOSSA VITÓRIA
Ouvindo pois, os filisteus que os filhos de Israel estavam congregados em Mispa, subiram os maiorais dos filisteus contra Israel; o que ouvindo os filhos de Israel, temeram por causa dos filisteus. Pelo que disseram os filhos de Israel a Samuel: Não cesses de clamar ao SENHOR, nosso Deus, por nós, para que nos livre da mão dos filisteus. Então, tomou Samuel um cordeiro que ainda mamava e sacrificou-o inteiro em holocausto ao SENHOR; e clamou Samuel ao SENHOR por Israel, e o SENHOR lhe deu ouvidos. E sucedeu que, estando Samuel sacrificando o holocausto, os filisteus chegaram a peleja contra Israel; e trovejou o SENHOR aquele dia com grande trovoada sobre os filisteus e os aterrou de tal modo, que foram derrotados diante dos filhos de Israel. E os homens de Israel saíram de Mispa, e perseguiram os filisteus, e os feriram até abaixo de Bete-Car. Então, tomou Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e chamou o seu nome Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR (1Sm.7.7-12).
1. EBENÉZER (rocha de ajuda).
Depois de um período de tempo sem Arca do SENHOR, a nação de Israel se humilhou, e Deus feriu os filisteus com pragas de doenças e muitos foram mortos. Quando eles perceberam que a mão de Deus estava contra eles, tendo derrubado o seu deus Dagon no seu próprio templo, pois os filisteus colocaram a Arca de Deus no templo de Dagon; eles se apressaram em devolver a Arca do SENHOR para Israel.
Tendo os filhos de Israel feito concerto com Deus e renovado a aliança, estando todos alegres por Arca do SENHOR está de volta, estando eles reunidos na cidade de Mispa, os filisteus voltam a atacar mais uma vez. Porém Samuel, o profeta de Deus, clamou e ofereceu sacrifício a Deus, e Deus agiu a favor de Israel com uma grande trovoada de pedras sobre os filisteus e a nação de Israel foi vitoriosa. Samuel tomou uma pedra como marco e pôs entre duas cidades, Mispa e Sem, e chamou o nome daquela pedra de Ebenézer, que significa rocha de ajuda, e depois disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR. Muitas vezes é preciso o inimigo se levantar, se o inimigo não se levanta, não tem graça, é preciso que venham, é preciso que haja oposições, é normal que os inimigos se levantem e venham contra. Sendo assim nós vamos clamar a Deus, e Ele vai agir a nosso favor, e nos mostrar mais uma vez que Ele peleja por nós.
2. SELA-HAMALECOTE (rocha da fuga).
Deus sempre tem uma saída, uma fuga, um escape, para nos livrar do inimigo, do perigo e de muitas situações adversas, Ele vai nos socorrer para nos dá vitória. Quando Saul perseguia Daví no deserto de Zife, Deus deu estratégia a Daví para se livrar de Saul e do seu exército que estavam a sua procura para o matar. Daví, porém fugiu para o deserto de Maom e ficou sobre uma rocha, e e vieram os filisteus contra Saul, quando ele e os seus homens já estavam prestes a encontrar Daví, ouvindo Saul a notícia que os filisteus estavam invadindo o seu arraial, deixou de perseguir a Daví e foi guerrear contra os filisteus. Diz a bíblia: Por esta razão aquele lugar se chamou Sela- Hamalecote, que significa, rocha de fuga (1Sm.23.14-29). Não temas, Deus tem uma saída para o teu problema ele vai agir a teu favor e vai confundir o teu inimigo, e se for preciso morre gente, se muda gente, se converte gente, mas a vitória é tua, em nome de Jesus. Amém!
3. JESUS CRISTO (a Rocha singular).
Moisés disse: Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita.
Como pode ser que um só perseguisse mil, e dois fizessem fugir dez mil, se a sua Rocha os não vendera, e o SENHOR os não entregará? Porque a sua rocha não é como a nossa Rocha, sendo até os nossos inimigos juízes disso (Dt.32.4,30,31).
Ana disse: Rocha alguma há como nosso Deus (1Sm.2.2).
Cristo é a Rocha perfeita, singular e de grande valor. Ele é a Pedra única de esquina, pelo fato de ser a Rocha principal que trouxe salvação tanto para os judeus como para os gentios (Sl.118.22). Ele é a Rocha firme e consistente, por isso a igreja está firmada Nele. A rocha serve de base de sustentação para que o alicerce de uma construção seja firme e sólido. Jesus nos fala de dois homens que edificaram uma casa; um edificou sua casa sobre a areia e o outro sobre a rocha. O que edificou sobre a areia teve prejuízo, porque vieram as águas, os ventos e as tempestades; e derrubou a sua casa. Mas, o que edificou sobre a rocha, sua casa se manteve firme diante das intempéries da natureza. É assim aquele que firma a sua fé na Rocha que é Cristo, ele fica firme diante das adversidades da vida. A sua estrutura espiritual não se abala, porque está firmada em Deus (Mt.7.24-27). Cristo é a nossa rocha perfeita, completa e única. A nossa vitória é certa, porque estamos firmados na Rocha singular, que é Cristo.
Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo (1Co.15.57). Amém! 
Ebenézer! Até aqui nos ajudou o SENHOR.
Deus vai te ajudar, a vitória é nossa pelo em nome Jesus! A nossa Rocha perfeita.
Bispo Anderson Camargo.

Êxodo 2:1-10 Joquebede: era judia, da tribo de Levi, e viveu no período do cativeiro de Israel no Egito, para onde o seu povo viera, a...