sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Carvalho de Justiça.
Romanos 8:31-35 Que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?
Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará com ele, e de graça, todas as coisas?
Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós.
Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?
Carvalho de Justiça
Isaías 61:1-3 -> " O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados;a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem CARVALHOS DE JUSTIÇA, plantados pelo SENHOR para a sua glória."
A árvore Carvalho me chamou atenção quando eu li Isaías 61:1-3, e a partir de então, ela se tornou a minha árvore favorita. Ela é usada pelos botânicos e geólogos como um medidor de catástrofes naturais do ambiente. O carvalho é a árvore que mais absorve as conseqüências dos temporais. A cada nova tempestade, ele fica mais forte, pois suas raízes se arraigam mais ao solo, seu tronco se revigora e fica cada vez mais difícil a possibilidade dele ser extraído do solo pelos temporais, até que não tenha mais nenhum possibilidade. Por absorver as conseqüências das tempestades, a robusta árvore assume uma aparência disforme, como se realmente tivesse feito muita força. Muitas vezes parece até estar triste, por mais extraordinário que pareça.
É incrível perceber que é exatamente isso que acontece conosco. Algumas vezes pensamos que sob as tempestades da vida, mediante a dor, a perda, a renúncia,tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada, não há como ser forte. É quando não temos aparente solução para os nosso problemas, que podemos nos achegar ao Pai e revelar nosso coração diante dEle. Podemos escolher desistir de tudo ou simplesmente nos aconchegar perante o trono e adorar, adorar. Nessas horas é a coisa mais preciosa que podemos fazer. E à medida que continuamos sendo fiéis mesmo diante de circunstâncias tão difíceis, nossas raízes vão sendo arraigadas, e aprendemos a voar acima da tempestade, lá onde brilha o sol, o sol da Justiça, que traz luz as causas impossíveis.
Sabemos que Deus pode intervir sobre qualquer circunstância, mas Ele pode escolher não fazer isso. E mesmo assim, Ele continuará sendo o Deus Maravilhoso, o Pai da eternidade, o Príncipe da Paz, o Deus de amor. Que venhamos a nos submeter a vontade do Pai, e deixar Ele trabalhar conosco durante os temporais da vida. Pois é nos momentos mais difíceis que nossa fé é moldada, aperfeiçoada, até se tornar inabalável. 
O papel da árvore carvalho na natureza, tem sido sinônimo de resistência ("ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo; Ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso." [I Pedro 1:6,7]). Sinônimo também de resignação, submissão a vontade divina. E o carvalho permanece sobre a tempestade, conservando-se sólido e concreto nas florestas onde habita.
Assim o Senhor quer que sejamos. Somos chamados "Carvalhos de Justiça, plantados pelo Senhor, para a Sua glória." (Is 61:3)
"E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo." (II Coríntios 12:9).
BISPO Anderson Camargo

Nenhum comentário:

Postar um comentário