terça-feira, 22 de novembro de 2016

DESATANDO OS NÓS PARA VIVERMOS LIVRES...Salmo 124:7 nossa alma escapou, como um pássaro do laço dos passarinheiros; o laço quebrou-se, e nós escapamos. (João 11.39-44)
Nesse episódio da vida de Jesus, que gira em torno da ressurreição do Seu amigo Lázaro, de Betânia, vemos que Jesus deu três importantes comandos, que também valem para nós, como ensino de grande valor.

OS 3 GRANDES COMANDOS DE JESUS:

TIRAI A PEDRA (v. 39)

É tirar tudo aquilo que impede que as pessoas ouçam a voz de Jesus e venham até Ele. É não ter medo de sentir o odor desagradável dos que são alvo do amor de Cristo. Há muitas pedras que estão entre o Senhor e muitos cristãos, inclusive nós mesmos. Tirar a pedra é remover tudo aquilo que impede que os que ouviram a Palavra de vida saiam das trevas para a luz.

Por que tirar a pedra? Será que o Senhor não tinha poder suficiente para removê-la só com uma palavra sua? Claro que tinha, e tem, poder para fazer qualquer coisa que Ele queira; mas a questão é que quem colocou aquele obstáculo foram os homens. Ao colocarem aquela pedra na entrada do túmulo de Lázaro, eles estavam dando por encerrada a história daquele homem, isto é: acabou a esperança para a vida, chegou o fim. Retirar a pedra era um sinal de fé e obediência ao Senhor, uma resposta a Sua declaração de que “se creres, verás a gloria de Deus” (v. 40) . Tirar a pedra foi um ato profético de fé.

Essa é uma ação específica da Igreja, de cada um de nós, os que cremos a fim de vermos a glória de Deus. São ações concretas facilitadoras - são nossos encontros facilitadores! Afinal, há muitas pedras que estão entre o Senhor e vários cristãos, inclusive nós mesmos.
VEM PARA FORA (v. 43)

Maravilhosa ordem específica de Jesus, como o Soberano, o Senhor sobre todas as coisas, inclusive sobre a morte. Vir para fora é sair da morte para a vida, das trevas para a luz. Aleluia! Mas, antes e depois deste comando existiram outros: tirai a pedra e desatai-o e deixai-o ir.

Quando Jesus fala, até os mortos O ouvem e O obedecem. Eis a razão porque muitos estão na Igreja mas não conseguem ouvir, nem obedecer o Senhor da Igreja: não estão mortos para o mundo. Na verdade, quanto mais morremos, mais capacitados estamos para ouvi-lo e obedecê-lo.

Lázaro não saiu do lugar da sua paralisia da morte por meios próprios. Primeiro, o comando do Senhor liberou a ação do Espírito Santo, o Espírito da ressurreição, promovendo a ressurreição de Lázaro; depois, já cheio de vida, pelo mesmo comando, o Espírito da ressurreição o tirou da sepultura. Só pelo poder do Espírito Santo, debaixo do comando do Senhor, é que muitos conseguirão ser arrancados de suas sepulturas. Só quando morremos é que o Espírito da ressurreição e da vida nos arranca do poder e do território da morte.

DESATAI-O E DEIXAI-O IR (v. 44)

Muitos, como Lázaro, estão totalmente envoltos em ataduras, dos pés à cabeça, mesmo depois de provarem os milagres do Senhor e de estarem na presença dEle. Saíram das cavernas da morte pelo poder de Deus, mas ainda estão com as ataduras que os impedem de viver a plenitude de vida que o Senhor lhes deu.

O primeiro e o terceiro comandos demandaram ações específicas a serem realizadas por nós, os que cremos nEle e na Sua Palavra. Não podemos nos dar por satisfeitos por termos sido arrancados das covas da morte, mas precisamos nos libertar de toda e qualquer amarra que porventura exista em nossa vida. Do mesmo modo, precisamos fazer o mesmo com os nossos discípulos, aqueles que vieram das trevas para a luz de Jesus por intermédio de nossas vidas.

Desatar é tirar as ataduras, desimpedir, desamarrar. Desatar e deixar ir é uma ação também específica que Jesus requer da Sua Igreja. O Senhor espera que cada um de nós tenhamos ações concretas para libertar e facilitar o crescimento e a vida dos que Jesus traz da morte para a vida. Para melhor funcionarmos como libertos libertadores, precisamos saber o que são as ataduras, onde elas estão e o que elas estão atando.

ONDE PODEMOS ENCONTRAR AS ATADURAS NAS PESSOAS?

NA CABEÇA: obstruindo os olhos, os ouvidos e a boca.

As ataduras podem impedir a muitos de VER, OUVIR, FALAR e se ALIMENTAR. Elas podem produzir CEGOS, SURDOS, MUDOS e DESNUTRIDOS ESPIRITUAIS. Muitas MENTES podem estar atadas, inibindo o entendimento espiritual e as ações corretas de muitos salvos.
NO TRONCO: obstruindo o tórax e o abdome.

As ataduras podem apertar, o tronco de muitos, impedindo-os de respirar livremente, sufocando-os. Muitos podem estar impedidos, pelas ataduras, de experimentar as profundas INSPIRAÇÕES do Espírito Santo em suas vidas. Quantos estão engessados no peito, impedidos de desfrutar dos sopros profundos do Espírito em suas narinas espirituais. Não se enchem do Espírito Santo.

NOS MEMBROS: obstruindo braços e pernas, mãos e pés.

Quantas ataduras têm prendido pés, braços e mãos valorosos? Quantos estão PARALISADOS no caminho e no ministério, impedidos de crescer e servir por causa de ataduras? Quantas mãos estão limitadas ou impedidas de agir abençoando os outros por estarem atadas, amarradas? Quantos têm tropeçado, caído ou sido impedidos de caminhar por causa das ataduras que possuem nos pés?

QUE ATADURAS SÃO ESSAS?

São todos os mecanismos, que podem exercer papel limitante ou bloqueador para nosso crescimento ou caminhada espiritual com o Senhor, tais como: medo, maldições (miséria, falência, enfermidades, divórcios, perversos sexuais etc.), orgulho, vaidade, ódio, rancor, amargura, preconceitos, inveja, paradigmas eclesiais e denominacionais, feridas e traumas emocionais, experiências pessoais (positivas ou negativas) com o poder de Deus e com a fé, nossos dons e ministérios mal conduzidos (gerando desistência, insucesso).

A Igreja de Jesus tem papel fundamental no processo de libertação e crescimento, na vida daqueles que precisam ir a Jesus e caminhar com Ele . Algumas vezes não funcionamos por não querermos, mas, noutras, é porque também estamos limitados por causa das nossas ataduras. Como Igreja de Jesus, precisamos nos livrar das ataduras pessoais, pois temos o chamado específico para tirar as ataduras das pessoas, desatando-as para que caminhem na liberdade e desfrutem da vida abundante que o Senhor trouxe para cada um de nós. Vamos obedecer ao Senhor, alcançando os perdidos e facilitando o seu crescimento em Cristo.
Bispo Anderson Camargo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A cura da filha de Jairo. “Então um homem chamado Jairo, dirigente da sinagoga, veio e prostrou-se aos pés de Jesus…” (Lc 8:41)   Ao lermo...