terça-feira, 6 de janeiro de 2015

 "Consumado és"
Quando o nosso Senhor pronunciou as suas últimas palavras na cruz do Calvário, os chamados "gemidos da cruz" nos dão um vislumbre da profundidade da obra que estava realizando ali em sua morte.
Consideremos brevemente entre esses "gemidos" a expressão: "Consumado és". A palavra grega usada em João 19:30 é'tetelestai'. Esta era uma palavra de uso comum entre o povo daquela época, e expressa uma rica gama de significados. Pelo menos quatro classes de pessoas a utilizavam usualmente.
Por exemplo, os comerciantes a usavam para declarar paga uma dívida, emitindo para ela ao devedor um recibo com a palavra 'tetelestai', que significa 'cancelada'. O apóstolo Paulo nos diz que o nosso Senhor anulou o decreto de dívidas que nos era contrário, cravando-o na cruz (Col. 2:14). Que tremendo preço pago!
Os sacerdotes, fossem judeus ou pagãos, também a utilizavam logo depois de examinar os sacrifícios que seriam oferecidos, declarando-os 'sem defeito'. O nosso Senhor foi examinado pelas autoridades religiosas e políticas, e um deles declarou: "Não acho nele nenhum delito".João 19:4 . Que perfeito sacrifício! O nosso Senhor "...entrou no Lugar Santíssimo, uma vez para sempre, tendo obtido eterna redenção".
Os servos também a usavam para comunicar a seus amos o término de um serviço que lhes tinha encomendado. O sentido de 'tetelestai' aqui é 'terminei' ou 'terminado'. Em sua oração ao Pai, nosso Senhor diz: "Eu te glorifiquei na terra; acabando a obra que me deste para fazer". A palavra 'acabar' aqui em João 17:4 também é 'tetelestai'. Quão grande é nossa segurança ao ouvir o próprio Filho de Deus declarar que a sua obra está concluída, e que em nada pode ser diminuída!
Finalmente, os artistas também a usavam, como, por exemplo, os pintores. Quando um pintor, ao concluir uma tela, tomava distância dela para observar a beleza de sua obra, podia declarar 'tetelestai', porque ali estava sua bela obra de arte, concluída. ---O nosso Senhor nos fez "feitura sua" (a palavra aqui é 'poema', que também é uma obra de arte). Fomos criados em Cristo Jesus "para as boas obras…". A igreja se tornou a galeria de arte de Deus, onde ele expressa agora e no futuro a sua multiforme sabedoria, por causa da obra consumada na cruz do Calvário.
Quão grande privilégio para nós, pecadores destituídos da glória de Deus, ter sido feito obra das suas próprias mãos! Que o Senhor conceda que os nossos olhos sejam iluminados para ver mais da sua glória, da glória de sua obra consumada na cruz, e de "...as riquezas da glória de sua herança nos santos"                                                                              Apesar de matarem um inocente, os judeus tentam fazer isso dentro de sua própria versão da Lei de Moisés. Decidem tirar os corpos da cruz para evitar que permaneçam ali no "grande dia de Sábado", que era a preparação para a Páscoa. Porém em Deuteronômio 21, a Lei determinava que quem morresse no madeiro devia ser sepultado no mesmo dia, independente de ser sábado ou não.

Eles decidem apressar a morte dos condenados, mas isso não é feito com um golpe de misericórdia na cabeça; suas pernas são quebradas. Duas ou mais marretadas esmigalham seus ossos, impedindo que eles continuem apoiados nos próprios pés. Pendurados pelos braços e incapazes de tomar fôlego, tem início uma nova agonia: a morte por asfixia.

Mas os ossos de Jesus não são quebrados, pois ele já está morto. Será que os judeus repararam no significado disso? Quando Deus instituiu a Páscoa, ao libertar os israelitas do Egito, ele ordenou que nenhum osso do cordeiro sacrificado fosse quebrado Éxodo 12:46. Jesus é sacrificado aqui com seus ossos intactos.

Para certificar-se de que Jesus está morto, o soldado enfia a lança no seu cadáver. Sangue e água vertem da ferida. Se você já tem a certeza de estar pronto para se encontrar com Deus, e isto não por seus próprios méritos, saiba que é a água e o sangue de um corpo morto que lhe dão esse privilégio. 

No Salmo 51 o rei Davi se conscientiza de seu pecado -- adultério e morte do marido traído -- reconhecendo-se sujo e incapaz de apagar suas transgressões:

"Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões. Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado. Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue. Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me. Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe. Sei que desejas a verdade no íntimo; e no coração me ensinas a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei. Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria; e os ossos que esmagaste exultarão. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável" (Sl 51:1-10).
Se você quiser viver eternamente no céu precisará reconhecer a perdição que existe dentro de você: o pecado que o corrói. Jesus disse que não veio "chamar justos, mas pecadores ao arrependimento" (Lc 5:32). Você se considera justo? Então não conte com a salvação que Jesus oferece. Você se reconhece pecador? Então é por você que Jesus morreu.                                                                          ."Muitas são as aflições do [consistentemente] justo, mas o SENHOR de todas o livra. Preserva-lhe todos os ossos, nem um deles sequer será quebrado."
(Salmos 34:19-20)
Davi escreveu este salmo por volta de 1000 a.C. Nestes surpreendentes versículos, Deus afirma que jamais permitirá que nenhum osso do justo seja quebrado.
De forma profética, o Espírito Santo de Deus estava revelando a Davi o que aconteceria a Jesus mil anos depois, no episódio de Sua crucificação, conforme João 19:31-36:
"Então, os judeus, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação, pois era grande o dia daquele sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados. Os soldados foram e quebraram as pernas ao primeiro e ao outro que com ele tinham sido crucificados; chegando-se, porém, a Jesus, como vissem que já estava morto, não lhe quebraram as pernas. Mas um dos soldados lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu (fluiu) sangue e água. Aquele que isto viu testificou (a testemunha), sendo verdadeiro o seu testemunho; e ele sabe que diz a verdade, para que também vós creiais. E isto aconteceu para se cumprir (verificar, confirmar) a Escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado."
Os romanos foram os inventores da cruz. A cruz não é uma criação divina. O costume romano, após crucificar um malfeitor, era o de lhe quebrar os ossos das pernas para poder retirá-lo da cruz, já sem vida. Entretanto, o costume romano não prevaleceu contra Jesus. Antes, Deus faz cumprir Sua profecia, exatamente como está escrito em Salmos 34:20 (acima).
Ainda mais surpreendente é o que está escrito em Números 9:12:
"Dela nada deixarão até à manhã e dela não quebrarão osso algum; segundo todo o estatuto da Páscoa, a celebrarão."
Jesus foi considerado o Cordeiro pascal (1 Coríntios 5:7). Foi crucificado justamente durante a celebração da Páscoa judaica, mas nenhum osso Dele foi quebrado, também cumprindo Números 9:12.
Deus cumpre suas promessas de forma precisa e literal. Se foi assim com Jesus, assim será também com sua vida. Se Deus diz que o mal não chegará à sua tenda, é porque não chegará, por mais que haja ameaças inimigas. Apenas creia, confie Nele, e Ele tudo mais o fará por você. Exercite sua fé a todo tempo.
http://sedeigreja-unidosemumasofe.blogspot.com.br/
http://igrejaunidosemumasofe.com.br/
BISPO Anderson Camargo

Nenhum comentário:

Postar um comentário