sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Os Ossos de José...
“Também levou Moisés consigo os ossos de José, pois havia este feito os filhos de Israel jurarem solenemente, dizendo: Certamente, Deus vos visitará; daqui, pois, levai convosco os meus ossos.” (Ex 13.19)
Quando o povo de Israel estava saindo do Egito em direção à terra prometida, eles fizeram algo que o Espírito Santo me chamou a atenção: levaram consigo os ossos de José. José havia sido colocado no posto de segundo homem mais importante na corte de faraó. Já nos últimos dias de sua vida, pediu que os filhos de Israel prometessem a ele que quando Deus os visitasse e os tirasse daquele lugar – o Egito – e os levassem para a terra dos cananeus – a terra prometida – eles também levariam seus ossos dali juntamente com eles (Gn 50 24,25).
Entre esse pedido de José e a concretização da promessa de Deus em libertar seu povo da escravidão do Egito, passaram-se quatrocentos anos. Então, quando Moisés saiu com o povo de Israel das terras do Egito rumo à região de Canaã, ele cumpriu a promessa que havia sido feita há quatrocentos anos atrás. O que Deus me ensinou nesse texto, foi que eu também preciso reunir os meus “ossos de José” e carregá-los comigo enquanto eu caminho em direção à minha terra prometida – o reino de Deus.
Mas, afinal de contas, o que seriam esses “ossos de José” ou que poder eles teriam? Eu entendo que enquanto Moisés levava esses ossos e olhava para eles – pelo menos, daquilo que restou deles, pois José foi embalsamado – ele recebia uma motivação a mais para ele continuar essa caminhada rumo ao desconhecido. Moisés poderia pensar: Bem, Deus foi fiel em cumprir Sua promessa de libertar o povo de Israel e certamente Sua fidelidade nos levará até à terra prometida. Eu sei que Ele não mente e cumpre tudo o que promete, então continuarei crendo que, apesar de não conhecer esse caminho que Ele está me levando a passar, não conhecer a terra que passaremos a habitar, Ele é fiel e sempre tem o melhor para nós.
Você entende o que é carregar esses “ossos” por todo o deserto significava para Moisés? Se você deseja chegar à sua “terra prometida”, você também precisa reunir seus “ossos”, e caminhar olhando para eles. Você precisa reunir as promessas que Deus já cumpriu em sua vida, as experiências que você já teve com Deus, olhar bem para elas e deixar que essa certeza da imutabilidade do caráter de Deus preencha todo seu interior e o motive cada vez mais a perseverar nessa caminhada em direção ao cumprimento da próxima promessa. Os “ossos de José” têm o poder de estimular minha fé em Deus.
Carregar os “ossos” significa carregar o cumprimento de uma promessa concretizada por Deus a seu favor bem pertinho do seu coração e dos seus olhos. É permitir que seus olhos e pensamentos fiquem mais presos aos “ossos” do que nas circunstâncias adversas que possam surgir no meio da caminhada. Os obstáculos surgirão? Sim, mas não dê mais valor a eles que aos “ossos”. Gigantes aparecerão? Sim, mas não olhe mais para eles do que para os “ossos”. Nenhuma dificuldade que você encontrar nessa sua jornada pode ser maior que a visão dos “ossos de José”.
O cristianismo não é uma religião, mas um “amontoado” de experiências com Deus. Quanto mais próximo eu ando de Deus – através de oração e meditação em Sua Palavra – certamente mais “ossos” eu terei para carregar. Quanto mais “ossos” eu carrego, mais certeza da próxima vitória eu tenho. Quanto mais certeza – fé – mais vitória.
Se você está caminhando em meio ao “deserto” e as circunstâncias que estão aparecendo estão tentando lhe parar e fazer com que você volte para o “Egito”, fortifique seu coração e restaure seu ânimo carregando seus “ossos de José”, olhando para aquilo que Deus já fez por você e sabendo que Ele é um Deus imutável e fiel, Ele não pode voltar atrás naquilo que Ele já falou ao seu coração. Deus é fiel para levá-lo até a sua próxima promessa!
BISPO Anderson Camargo

Nenhum comentário:

Postar um comentário