segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Jesus Ressuscita a Filha de Jairo
Jairo era um importante homem da sinagoga, tinha uma filha única, de apenas doze anos de idade. A menina estivera muito doente, chegando a óbito. Era costume judaico contratar lamentadores profissionais e instrumentalistas para o velório. A Bíblia diz que eles estavam presentes na casa de Jairo, no dia do luto: “E Jesus chegando a casa daquele chefe, e vendo os instrumentalistas, e o povo em alvoroço...” Mt 9:23
O popular homem em Israel, “chefe na sinagoga”, representava religiosidade, respeito, alguém que era procurado para dar conselhos e fazer preces, mas que se viu impotente diante da morte da filha. Aquela situação mexeu com o “forte” homem que tantas vezes tinha ouvido falar de Jesus, sem, contudo se render ao Seu Senhorio.
A história de Jairo é narrada em três Evangelhos: Mateus, Marcos e Lucas. Uma tremenda lição de fé, que por ser contada simultaneamente ao milagre da Mulher com Fluxo de sangue, fica em segundo plano. Na verdade, era exatamente ali, que essa narrativa deveria estar. Não por acaso Jairo e a Mulher Com fluxo de Sangue, nos ensina a vencer o medo, os preconceitos e os murmurinhos da multidão.
Jairo, determinado, cheio de fé, deixa a multidão chorosa em sua casa e parte ao encontro de Jesus. O barulho dos pranteadores é alto, pode ser ouvido ao longe. Mas, o homem da sinagoga não consente a derrota, se nega a fazer parte daquele coro, procura alguém que lhe conforte, mas não encontra. Lembra de Jesus. Em algum momento, em meio a mais profunda dor, Jairo volta o coração para o alto em busca de milagre.
Sai dali apressadamente e apesar da agitação do lugar, sentem sua falta, partem em sua busca. Marcos relata que ao encontrarem com Jairo adorando Jesus, de joelhos aos seus pés dizem: “A tua filha está morta; por que enfadas mais o mestre? E Jesus, tendo ouvido estas palavras, disse ao principal da sinagoga: Não temas crê somente” Mc 5:36, 37.
Vencendo os Pessimismos do Mundo.
O que Jesus falou a Jairo, é o mesmo que fala para todos os que partem ao Seu encontro: “Não temas, crê somente”. O mundo diz o contrário: “Não tem jeito, já está morta a tua causa”. Quando nos entregamos à vontade do mundo, que urge com boca maldita, matamos o agir de Deus para nós. Porque a fé, não se baseia em vista, nem em sentimentos, mas na Palavra de Deus.
É incrível a atitude de Jairo! Ele se “desamarrou” das lisonjas daqueles que procuravam confortá-lo festejando a morte. A passagem que fala profundamente ao meu coração é: “E, logo que o povo foi posto para fora, entrou Jesus, e pegou-lhe na mão, e a menina levantou-se” Mt 9:24.
Deixe Que o Povo Saia
Os lamentadores tiveram que partir para que Jesus pudesse entrar e realizar o milagre! Eles estavam impedindo o fluir do Espírito! Temos que retirar os lamentos de morte do nosso ser, da nossa boca, para que Jesus possa agir! Não há lugar para vinho novo em odres velhos! Mt 9: 17. Aquelas pessoas sorriram quando Jesus disse “A menina dorme” Mt 9:23. Corações endurecidos, homens naturais que alegravam-se com a desgraça alheia. O mundo marcha nessa direção, esse é o seu curso natural. Mas o sobrenatural está elevado, voa na direção oposta sustentado pela voz do Todo Poderoso! Jairo virou às costas para o mundo, não se importou com o que iriam pensar dele. E viveu um grande milagre!
Eram Dois na Multidão
Jairo e a Mulher Com fluxo de Sangue. Duas vidas cheias de fé, entre centenas de outras vidas incrédulas. A menina ressuscitada por Jesus tinha doze anos. A Mulher curada de uma hemorragia ,sofria também há doze anos. Eles venceram a si mesmos, quando deixaram para trás as opiniões alheias, as balburdias que conspiravam a favor da morte. Quando fecharam os ouvidos para o mundo, os corações se abriram para Deus: “O povo foi posto para fora, Jesus entrou” MT 9:24.
Se queremos transformar os ambientes de morte, fazer calar os instrumentos de pranto e os lábios inflamados pelo inferno, olhemos para Jesus: “Autor e consumador de nossa fé” Hb 12:2. Jesus, em seu momento mais terrível, quando da crucificação, experimentou os murmuradores da multidão insana que o rejeitava. Mas, Ele prosseguiu olhando para Deus, e mesmo quando exclama “Eli, Eli, Lema Sabactâni” Deus meu Deus meu, por que me desamparaste?Mt 27:46 Não se deixa abater pelo ato de impiedade dos homens. Com uma prece intercede por eles: “Pai, perdoa-lhes não sabem o que faz” Lc 23:34.
E poderia prosseguir: Nem o que dizem, falam do que não conhecem, estão obedecendo ao Maligno. Ele não lamenta, não aceita as imposições da multidão enfurecida. Jesus era um na multidão, seu testemunho alcançou o ladrão que padecia ao seu lado. Agora eram dois também na multidão. Não são muitos os que vencem através da fé, apenas os que andam na contramão da multidão.
BISPO Anderson Camargo

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

PREPARAÇÃO PARA A BATALHA.
II Crônicas 31.20,21 e 32.1-8 e 21-23
-Introdução: Ezequias foi um grande homem de Deus, um importante rei de Judá. através dele que o povo de Deus restituiu o culto, a páscoa, os sacrifícios e abolindo a idolatria no meio do povo de Deus.
O texto diz que mesmo assim, “depois de toda sua fidelidade’, o inimigo, representado por Senaqueribe, o temido rei do império da Assíria o tentou destruir. Acontece que Ezequias era um homem temente a Deus e não quis lutar sozinho, mas pediu forças ao Senhor.
Como lutar junto com Deus?
Vamos refletir no exemplo de Ezequias e aprender como enfrentar os problemas com ajuda de Deus:
1- Ser fiel: II Crônicas 31.20,21
Como Ezequias, devemos ser fiel ao Senhor, em todo o tempo “em toda obra”, em todo lugar “em todo Judá”, e com integridade “de todo o coração”, pois a fidelidade faz com que o inimigo não tenha legalidade para nos derrotar, e liberar a bênção de Deus como Ezequias que “prosperou”, por causa de sua fidelidade.
2- Depender de Deus: II Crônicas 32.1
Mesmo sendo fiéis, enfrentamos lutas que servem para nos ensinar a depender de Deus ara tudo em nossa vida. Enquanto estivermos neste mundo enfrentaremos lutas e obstáculos que servirão para engrandecer o nome de Deus em nossas vidas.
3- Tapar as fontes para o inimigo: v.3,4
Ezequias teve uma idéias maravilhosa. Para subir a Jerusalém é muito alto e a pessoa vai subindo devagar, por isso o povo de Deus, fez fontes de água nas subidas para que conseguissem chegar no alto da cidade ao caminhar. Essas fontes eram um alívio para o caminhante da cidade santa, mas para os inimigos seria uma força para derrotar o próprio povo de Deus. Por isso Ezequias resolveu tapar todas as fontes. Junto com o povo fizeram isso. Assim o inimigo não iria usufruir de sua água, nem mesmo ter forças para subir ao alto de Jerusalém.
Do mesmo modo que Ezequias precisamos aprender a tapar todas as fontes do inimigo em nossas vidas. Esgotar tudo aquilo que alimenta o pecado. Enfraquecer o inimigo de nossas vidas para que não nos alcance mais alto na presença de Deus.
4- Restaurar os muros: v. 5
Os muros da cidade estavam defeituosos e precisavam ser reformados e reforçados para que quando o inimigo chegasse, já sem forças, não conseguisse romper as barreiras.
Deste modo também precisamos restaurar os muros de nossas vidas e nos proteger contra toda investida do inimigo. Tapar as brechas para não ser pego de surpresa.
Ezequias fez outras três coisas para reforçar a proteção do povo de Deus:
-ergueu torres nos muros para que soldados estivessem de vigia olhando de onde vem o inimigo e anunciando qualquer perigo. Isso significa VIGILÂNCIA, estar alerta a todo o tempo (Marcos 14.38).
-fez outro muro por fora do muro já reforçado e com torres. Isso significa colocar alguém por perto, estar cercado por outras pessoas para não correr risco de ser pego sozinho. Isso é possível através da COMUNHÃO na igreja com outros irmãos (Hebreus 10.25).
-providenciou mais armamento para o povo. Isso significa PREPARAÇÃO para a batalha. Todos devemos estar armados com a Armadura da Fé (Efésios 6.10-17).
5- Fortalecer o coração: v.6
De nada adiantaria enfraquecer o inimigo tapando as fontes de água, restaurar os muros, fazer torres, outro muro por fora e armar o povo se estes estivessem com o coração temeroso e desanimado. Ezequias “falou ao coração do povo” para que ficassem mais animados para lutar e confiantes no Senhor.
Por isso precisamos nos equipar para a Batalha, mas também nos preparar interiormente. Ter força espiritual para batalhar.
6- Crer que Deus é maior: v.7,8
Além de tudo é preciso ter fé de que Deus é maior do que tudo e todos. A fé de Ezequias era em um Deus que tem o “braço forte” e que “luta as nossas batalhas”.
7- Receber a vitória por INTERVENÇÃO Divina: II Crônicas 32.21-23
Nesta batalha Ezequias não teve que fazer nada, além de ver Deus defendendo ele dos seus inimigos e como Diz o texto ele teve “paz por todos os lados”, porque o Senhor o defendeu. Do mesmo modo, quando confiamos no Senhor ele nos defende e intervém ao nosso favor derrotando o inimigo.
Deixe Deus lutar por você!
-CONCLUSÃO:
Creia no Senhor que luta por você e te defende porque Ele é maior do que tudo e todos!
BISPO Anderson Camargo

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

MISSÃO DO ESPIRITO SANTO.
BISPO Anderson Camargo
ESPÍRITO SANTO
“Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei” João 16.7
-Introdução: Quando Jesus fala do Consolador, usa a palavra Paracleto que vem do grego Parákletos (Paravklhtov) e significa literalmente, “chamado para o lado de alguém”, ou seja, “ajudador, auxiliador, consolador” 1.
A expressão PARACLETO é formada por duas palavras:
PARÁ (parav) preposição ao lado de, junto a;
KALEO (kalevw) verbo chamar.
O termo Paracleto significa então: alguém chamado para ajudar ao lado de outro. O título de Paracleto era usado no tribunal para se referir ao assistente legal apresentado com defensor ou advogado.
Qual é a missão do Consolador?
Vamos estudar os textos que trazem a palavra Consolador e conhecer sobre sua missão:
1- COMPANHEIRO: João 14.16 “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco”.
A primeira missão do Consolador é ser nosso companheiro, estar ao nosso lado como nosso Paracleto. Jesus disse isso porque os discípulos temiam ficar sozinhos caso Jesus partisse. Esta garantia da companhia Divina é a presença do Espírito Santo enviado por Jesus quando prometeu “estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos” (Mateus 28.20).
O sentido usado para o Paracleto aqui é de Ajudador. Saber que não estamos sozinhos nos momentos difíceis da vida, já é um grande consolo. Tudo se torna mais fácil se temos alguém para nos ajudar.
O Espírito Santo é o nosso Companheiro!
2- MESTRE: João 14.26 “mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito”.
A segunda missão do Consolador é ser o nosso Mestre. Jesus ficou o tempo todo ensinando seus discípulos como viver na presença de Deus. Por isso explicou aos discípulos que quando voltasse para junto do Pai, enviaria o Espírito Santo que ensina “todas as coisas” e faz lembrar as Palavras de Jesus.
Quando o Espírito Santo está conosco, podemos perguntar qualquer coisa. Nossas dúvidas são resolvidas com a certeza interior que o Espírito Santo nos dá, pois “o próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Romanos 8.16). O Paracleto está ao nosso lado para nos orientar e ensinar.
Quando conhecemos uma pessoa mais experiente e que saiba das coisas, logo lhe perguntamos o que desejamos aprender. O Espírito Santo é a pessoa que mais sabe de tudo, a maior fonte de conhecimento e a melhor de todas as memórias.
O Espírito Santo é o seu Mestre!
3- TESTEMUNHA: João 15.26 “Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim”.
A terceira missão do Consolador é ser nossa Testemunha. O Paracleto está ao nosso lado para testemunhar ao nosso favor e principalmente ministrar o testemunho do que Deus quer de nossas vidas, “porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir” (João 16.13b).
Quando o Espírito Santo está em nossas vidas, temos uma Testemunha das verdades das Escrituras. Por isso, quando nos convertemos, passamos a crer na Palavra de Deus, pois embora não estávamos lá para testemunhar e não tenhamos nenhum sobrevivente para ser testemunha dos fatos, temos uma Testemunha verdadeira que estava lá, que inspirou os escritores e nos revela ao ler a Palavra.
Diante das mentiras do mundo, o Espírito Santo nos guia para a verdade, por isso Jesus disse que “quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade” (João 16.13ª ). Se você precisa de uma testemunha, saiba que o Espírito Santo está com você e vê todas as coisas.
O Espírito Santo é a sua Testemunha!
4- DEFENSOR: I João 2.1 “Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.
A quarta missão do Consolador é nos Defender. Quando pecamos nos tornamos réus condenados pelos nossos erros e por isso nos apresentaremos diante do Justo Juiz. Mas quando nos arrependemos e confessamos os pecados, não vamos mais sozinhos diante de Deus, pois o Espírito Santo, o Paracleto, vai junto para ser nosso Advogado.
Desta vez a palavra Paracleto tem o sentido único de Defensor, por isso, sua melhor tradução é a palavra Advogado. Sua missão é ser Defensor de todos que foram convencidos de seus pecados (João 16.8-11).
O Espírito Santo é o seu Advogado!
O Consolador tem uma Missão em sua vida!
-CONCLUSÃO:
A Missão do Consolador é ser seu Companheiro em todos os momentos, seu Mestre para te ensinar o quer precisa aprender, sua Testemunha diante de Deus e seu Advogado para te defender.
Deixe o Espírito Santo realizar sua missão em sua vida!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

JESUS CRISTO: “Tetelestai” - Está consumado.
Esta foi a sexta palavra que Jesus disse na cruz, está registrada em Jo 19.30. Quando comparamos os registros do Evangelho, descobrimos que Ele gritou em voz alta: "Está consumado!". Esta declaração não foi o gemido de um homem derrotado, mas o grito triunfante da vitória do Filho de Deus, nosso Salvador. Aos trinta e três anos, a maioria das pessoas costuma afirmar: "É o começo". Mas, nessa mesma idade, Jesus dizia: "Está consumado!" Ele não disse: "Estou acabado". Não se tratava do lamento de uma vítima vencida pelas circunstâncias, mas o grito de um vencedor derrotando todos os seus adversários. Na língua grega, o significado destas palavras é: "Está consumado, permanece consumado e estará sempre consumado".
"Tetélestai" – Um termo comum.
Embora esta palavra não seja conhecida nos dias hodiernos, ela era corriqueira no período em que o Senhor Jesus exerceu seu ministério na terra. Arqueólogos descobriram vários documentos, escritos em grego que continham esta expressão. Quando o Espírito Santo inspirou os escritores do NovoTestamento, guiou-os para usarem uma linguagem comum do povo dos dias de Jesus. Tetélestai era uma expressão grega muito utilizada no dia a dia das famílias e com seus vários significados, mas todos eles com muito sentido em sua vida.
Avaliada em seus vários contextos, podemos compreender mais efetivamente o que significa uma das últimas palavras de Jesus na cruz.
Servos
Os servos e escravos usavam esta palavra sempre que terminavam um trabalho e levavam o fato ao conhecimento de seus senhores. O servo dizia: "Tetélestai", terminei a tarefa que me deste para fazer". Isto significa que o serviço fora feito como o senhor determinara e na hora que estabelecera.
Jesus Cristo se fez carne e habitou entre nós como Servo, o Santo de Deus (Fp. 2.5-11). O profeta Isaías o descreveu como o servo sofredor de Deus (Is. 42.1-4; 49.1-6; 50.4-9; 52.13 – 53.12). Em seus primeiros sermões, registrados no livro de Atos, Pedro se refere a Jesus como "servo" por quatro vezes. Os quatro Cânticos do Servo oferecem diferentes imagens do servo do Senhor. No primeiro, (Is. 42.1-4) o servo é retratado com um mestre, ensinando com mansidão, dotado do Espírito e alcançando os povos. No segundo, (Is 49.1-6) o servo é retratado como um evangelista. A ênfase agora está nas nações distantes. No terceiro, o servo é retratado como um discípulo (Is. 50.4-9), pois é evidente que não se pode ensinar sem primeiro ouvir e aprender. É por esta razão que Deus desperta o ouvido do seu servo "manhã após manhã" (v. 4). Ele primeiro precisa abrir seu ouvido antes de abrir a boca, mesmo que o que ele aprenda ou ensine seja impopular ou provoque perseguição. Por fim, o servo é retratado como o Salvador sofredor (Is. 52.13 – 53.12), aquele que (falando profeticamente) foi ferido pelas nossas iniquidades e carregou em seu corpo os nossos pecados.

Jesus Cristo veio à terra como servo por ter uma obra especial a fazer. "Consumei a obra que me confiaste para fazer" (Jo. 17.4). Quando os seus discípulos estavam discutindo sobre qual deles era o maior, Jesus censurou-lhes o egoísmo, dizendo: "Pois, no meio de vós, eu sou como quem serve" (Lc. 22.27). Ele tomou até o lugar de servo e lavou os pés deles (Jo. 13.1-17), mas seu maior ato de serviço foi quando morreu por eles e por nós na cruz.

Sacerdotes

Os sacerdotes também usavam esta palavra. Sempre que os adoradores levavam ao templo sacrifícios ,os sacerdotes tinham de examinar o animal para certificar-se de que era perfeito. Se o sacrifício fosse aceitável, o sacerdote dizia: "Tetélestai , não tem defeito". Os sacerdotes judeus seguiam um procedimento similar no templo e usavam o equivalente hebreu ou aramaico deste termo. Era importante que o sacrifício fosse perfeito. Após um exame minucioso, não sendo achado qualquer defeito ou mácula, o sacerdote declarava: Tetelestai. Jesus é o cordeiro de Deus: “eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, sem mancha, sem mácula, sem defeito, pois, como ovelha muda, foi conduzido até os Seus tosquiadores, ofereceu-se em sacrifício uma vez por todas e, “por meio de Suas pisaduras nós fomos sarados”.

Jesus Cristo é o sacrifício perfeito e imaculado de Deus. O Cordeiro de Deus que morreu para tirar o pecado do mundo (Jo. 1.29). Como sabemos que Cristo é um sacrifício perfeito? Deus Pai afirmou isso. Quando o Senhor Jesus foi batizado, o Pai falou do céu, dizendo: "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo" (Mt. 3.17). Com estas palavras, Deus Pai colocou o selo da aprovação sobre Deus Filho. A seguir, Deus, o Espírito Santo, desceu como pomba e pousou sobre Jesus, acrescentando assim seu testemunho ao do Pai (Mt. 3.16).

Os inimigos de Cristo tiveram que admitir que Ele "foi" irrepreensível, pois se viram obrigados a alugar mentirosos para dar falso testemunho d’Ele em seu julgamento. Nenhum dos apóstolos jamais disse: "ouvi Jesus contar uma mentira", ou "vimos Jesus cometer um pecado". Ele é o Salvador perfeito, o Cordeiro de Deus "sem mancha e sem mácula" (I Pe. 1.19).

Pilatos, o governador romano, admitiu: "Não vejo neste homem crime algum" (Lc. 23.4). Até o traidor Judas confessou: "Pequei, traindo sangue inocente" (Mt. 27.4). Todos os que conheceram a Jesus podiam dizer: "Tetélestai! – Ele é o sacrifício perfeito, impecável".

Artistas

Quando um artista ou escritor completava seu trabalho, contemplavam a obra, e diziam: "Tetélestai, está pronto. Isso significava que a morte de Jesus na cruz "completa o quadro" que Deus estava pintando, na história que vinha escrevendo havia séculos.

Para a pessoa que não conhece a Jesus Cristo, o AntigoTestamento será algo muito difícil e sombrio de se entender. No A.T. você encontra cerimônias, símbolos e profecias que não parecem ajustar-se a um padrão lógico. O A.T. é um livro de muitas cerimônias não explicadas e profecias que se cumpririam no futuro. Portanto, você não consegue a "chave hermenêutica" até que conheça a Jesus Cristo. A menos que você conheça a Jesus, o A.T. é como andar numa galeria de pintura com as luzes apagadas. Quando Jesus veio ao mundo, Ele completou o quadro e acendeu as luzes! Na sua vida, morte, ressurreição e ascensão, Jesus cumpriu os símbolos, profecias, e explica o significado da "pintura" que estava sendo confeccionada pelo Pai.

O evangelho de Lucas, no capítulo 24, ilustra esta verdade. Dois discípulos desanimados estão andando pela estrada de Emaús, discutindo a morte de Cristo e tentando descobrir o que ela significava. De repente, o Cristo ressurreto se junta a eles e os discípulos lhe contam sobre suas esperanças desfeitas e mentes confusas. Então, Jesus lhes disse: "Ó néscios e tardos de coração para crer tudo que os profetas disseram!" (Lc. 24.25). Depois, começando com Moisés e todos os profetas, o Senhor falou sobre as Escrituras do A.T. e explicou o panorama geral. Ele acendeu as luzes. Sua obra no Calvário havia completado o quadro, de modo que o grande plano da salvação de Deus estava agora claro para todos. Hoje podemos ler o A.T. e ver este quadro maravilhoso, embora ainda haja certas dificuldades e coisas difíceis de entender. Por causa da obra consumada de Jesus na cruz, podemos ver a tela completa pintada por Deus.

Mercadores

"Tetélestai" era uma palavra empregada por mercadores. Para eles, o termo significava "a dívida está completamente paga". Se você comprasse algo "a prazo", quando fizesse o último pagamento, o negociante lhe daria um recibo com a palavra "tetelestai", ou seja, "quitado". O débito fora totalmente pago.
Conclusão

"Tetélestai" foi dita por um Salvador fiel sobre uma obra consumada. Quando Ele gritou a palavra, isso significou que todas as profecias do A.T. referentes à sua obra na cruz estavam então cumpridas e terminadas. A partir de Gênesis 3.15, Deus prometera que um Salvador derrotaria Satanás. Todos os retratos de Cristo existentes nos rituais e objetos do tabernáculo, do ministério sacerdotal e do sistema sacrificial estavam completamente terminados e cumpridos. Os símbolos e profecias do A.T. foram cumpridos. O véu do templo se rasgou em dois, e o homem pôde então entrar na presença de Deus. O caminho da salvação foi aberto.

Por isso o apóstolo Paulo afirma aos Colossenses: “Ele cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz”,

"Está consumado" significa que a Lei da Antiga Aliança estava terminada. Não vivemos mais sob a escravidão da lei; em vez disso, vivemos na liberdade da graça de Deus (Rm. 6.15).

Por isso nós podemos nos consolar pelo fato de que, tendo nós também uma relação de pecados cometidos contra Deus e contra o nosso semelhante, Jesus também carimbou essa relação com as palavras "tetélestai", isto é, está tudo pago. Isso quer dizer que Cristo expiou nossos pecados passados, nossos pecados presente e se por ventura pecarmos, também os nossos pecados futuros.

Viva em plena graça, receba JESUS CRISTO como seu S A L V A D O R!!
BISPO Anderson Camargo

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

 "Consumado és"
Quando o nosso Senhor pronunciou as suas últimas palavras na cruz do Calvário, os chamados "gemidos da cruz" nos dão um vislumbre da profundidade da obra que estava realizando ali em sua morte.
Consideremos brevemente entre esses "gemidos" a expressão: "Consumado és". A palavra grega usada em João 19:30 é'tetelestai'. Esta era uma palavra de uso comum entre o povo daquela época, e expressa uma rica gama de significados. Pelo menos quatro classes de pessoas a utilizavam usualmente.
Por exemplo, os comerciantes a usavam para declarar paga uma dívida, emitindo para ela ao devedor um recibo com a palavra 'tetelestai', que significa 'cancelada'. O apóstolo Paulo nos diz que o nosso Senhor anulou o decreto de dívidas que nos era contrário, cravando-o na cruz (Col. 2:14). Que tremendo preço pago!
Os sacerdotes, fossem judeus ou pagãos, também a utilizavam logo depois de examinar os sacrifícios que seriam oferecidos, declarando-os 'sem defeito'. O nosso Senhor foi examinado pelas autoridades religiosas e políticas, e um deles declarou: "Não acho nele nenhum delito".João 19:4 . Que perfeito sacrifício! O nosso Senhor "...entrou no Lugar Santíssimo, uma vez para sempre, tendo obtido eterna redenção".
Os servos também a usavam para comunicar a seus amos o término de um serviço que lhes tinha encomendado. O sentido de 'tetelestai' aqui é 'terminei' ou 'terminado'. Em sua oração ao Pai, nosso Senhor diz: "Eu te glorifiquei na terra; acabando a obra que me deste para fazer". A palavra 'acabar' aqui em João 17:4 também é 'tetelestai'. Quão grande é nossa segurança ao ouvir o próprio Filho de Deus declarar que a sua obra está concluída, e que em nada pode ser diminuída!
Finalmente, os artistas também a usavam, como, por exemplo, os pintores. Quando um pintor, ao concluir uma tela, tomava distância dela para observar a beleza de sua obra, podia declarar 'tetelestai', porque ali estava sua bela obra de arte, concluída. ---O nosso Senhor nos fez "feitura sua" (a palavra aqui é 'poema', que também é uma obra de arte). Fomos criados em Cristo Jesus "para as boas obras…". A igreja se tornou a galeria de arte de Deus, onde ele expressa agora e no futuro a sua multiforme sabedoria, por causa da obra consumada na cruz do Calvário.
Quão grande privilégio para nós, pecadores destituídos da glória de Deus, ter sido feito obra das suas próprias mãos! Que o Senhor conceda que os nossos olhos sejam iluminados para ver mais da sua glória, da glória de sua obra consumada na cruz, e de "...as riquezas da glória de sua herança nos santos"                                                                              Apesar de matarem um inocente, os judeus tentam fazer isso dentro de sua própria versão da Lei de Moisés. Decidem tirar os corpos da cruz para evitar que permaneçam ali no "grande dia de Sábado", que era a preparação para a Páscoa. Porém em Deuteronômio 21, a Lei determinava que quem morresse no madeiro devia ser sepultado no mesmo dia, independente de ser sábado ou não.

Eles decidem apressar a morte dos condenados, mas isso não é feito com um golpe de misericórdia na cabeça; suas pernas são quebradas. Duas ou mais marretadas esmigalham seus ossos, impedindo que eles continuem apoiados nos próprios pés. Pendurados pelos braços e incapazes de tomar fôlego, tem início uma nova agonia: a morte por asfixia.

Mas os ossos de Jesus não são quebrados, pois ele já está morto. Será que os judeus repararam no significado disso? Quando Deus instituiu a Páscoa, ao libertar os israelitas do Egito, ele ordenou que nenhum osso do cordeiro sacrificado fosse quebrado Éxodo 12:46. Jesus é sacrificado aqui com seus ossos intactos.

Para certificar-se de que Jesus está morto, o soldado enfia a lança no seu cadáver. Sangue e água vertem da ferida. Se você já tem a certeza de estar pronto para se encontrar com Deus, e isto não por seus próprios méritos, saiba que é a água e o sangue de um corpo morto que lhe dão esse privilégio. 

No Salmo 51 o rei Davi se conscientiza de seu pecado -- adultério e morte do marido traído -- reconhecendo-se sujo e incapaz de apagar suas transgressões:

"Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões. Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado. Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue. Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me. Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe. Sei que desejas a verdade no íntimo; e no coração me ensinas a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei. Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria; e os ossos que esmagaste exultarão. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável" (Sl 51:1-10).
Se você quiser viver eternamente no céu precisará reconhecer a perdição que existe dentro de você: o pecado que o corrói. Jesus disse que não veio "chamar justos, mas pecadores ao arrependimento" (Lc 5:32). Você se considera justo? Então não conte com a salvação que Jesus oferece. Você se reconhece pecador? Então é por você que Jesus morreu.                                                                          ."Muitas são as aflições do [consistentemente] justo, mas o SENHOR de todas o livra. Preserva-lhe todos os ossos, nem um deles sequer será quebrado."
(Salmos 34:19-20)
Davi escreveu este salmo por volta de 1000 a.C. Nestes surpreendentes versículos, Deus afirma que jamais permitirá que nenhum osso do justo seja quebrado.
De forma profética, o Espírito Santo de Deus estava revelando a Davi o que aconteceria a Jesus mil anos depois, no episódio de Sua crucificação, conforme João 19:31-36:
"Então, os judeus, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação, pois era grande o dia daquele sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados. Os soldados foram e quebraram as pernas ao primeiro e ao outro que com ele tinham sido crucificados; chegando-se, porém, a Jesus, como vissem que já estava morto, não lhe quebraram as pernas. Mas um dos soldados lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu (fluiu) sangue e água. Aquele que isto viu testificou (a testemunha), sendo verdadeiro o seu testemunho; e ele sabe que diz a verdade, para que também vós creiais. E isto aconteceu para se cumprir (verificar, confirmar) a Escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado."
Os romanos foram os inventores da cruz. A cruz não é uma criação divina. O costume romano, após crucificar um malfeitor, era o de lhe quebrar os ossos das pernas para poder retirá-lo da cruz, já sem vida. Entretanto, o costume romano não prevaleceu contra Jesus. Antes, Deus faz cumprir Sua profecia, exatamente como está escrito em Salmos 34:20 (acima).
Ainda mais surpreendente é o que está escrito em Números 9:12:
"Dela nada deixarão até à manhã e dela não quebrarão osso algum; segundo todo o estatuto da Páscoa, a celebrarão."
Jesus foi considerado o Cordeiro pascal (1 Coríntios 5:7). Foi crucificado justamente durante a celebração da Páscoa judaica, mas nenhum osso Dele foi quebrado, também cumprindo Números 9:12.
Deus cumpre suas promessas de forma precisa e literal. Se foi assim com Jesus, assim será também com sua vida. Se Deus diz que o mal não chegará à sua tenda, é porque não chegará, por mais que haja ameaças inimigas. Apenas creia, confie Nele, e Ele tudo mais o fará por você. Exercite sua fé a todo tempo.
http://sedeigreja-unidosemumasofe.blogspot.com.br/
http://igrejaunidosemumasofe.com.br/
BISPO Anderson Camargo

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

O Porquê Cristo foi no quarto dia?

Texto: João. 11.1 – 46;
Introdução: Jesus operou três ressurreições em seu ministério terreno sendo a filha de Jairo, o filho da viúva de Naim e a de Lázaro. Jesus sempre aparece nos momentos mais inusitados e apreensivos das nossas vidas como foi nas bodas de Caná e quando Jesus acalma uma tempestade e entre outras circunstâncias.

Frisa - se que Jesus o amava; V. 3 – 5;
Após saber que Lázaro adoecera permaneceu onde estava por mais dois; V.6;
Jesus atestou a morte de lazaro; V.14;
Jesus disse que se alegrava por eles por não estar lá em Betânia quando Lázaro adoecera; V.15; (possivelmente também Jesus demorou – se propositalmente pelo fato que havia uma doença chamada letargia, se Jesus fosse ao primeiro dia para ressuscitar a Lazaro as pessoas poderiam dizer que ele estava dormindo ou em coma e Jesus somente o despertou, mas isso só perpetuava por 3 dias e por isso que Jesus foi no quarto dia)
Lázaro era estimado por todos e por isso havia uma grande multidão em seu sepultamento; V.19;
Marta declara que se Jesus estivesse lá em Betânia Lázaro não haveria de morrer (todos estavam achando que iriam decepcionar com Jesus inclusive os seus discípulos e Marta e Maria, mas Jesus haveria de surpreendê-los com o milagre). V.21;
 Marta manifestou certa fé; V.22;
Cristo fez a promessa da ressurreição; V.23;
Jesus se declarou como a ressurreição e a vida; V.25;
Ela confessou a sua divindade e o reconheceu como o filho de Deus; V.27;
O diálogo com Maria; V.29-33;
Jesus pergunta onde o puseram e vai até o sepulcro, e se comove em si e chora; {* "Movendo-se muito", de emoção"} V.34 -38;
Ele ordena para que a pedra do sepulcro seja removida, mas marta coloca obstáculo dizendo que já cheira mal por ser o defunto de quatro dias; (se fosse nos dias hodiernos Jesus poderia ser preso por violar um tumulo, pela ciência no segundo dia o defunto já não tem mais os olhos porque já se decompôs .). V.39;
Jesus encoraja a família de Lázaro e emiti uma palavra de esperança e as fazem lembrarem de suas palavras anteriormente; V.40;
A pedra da entrada do sepulcro é retirada e o milagre esta preste a acontecer a qualquer momento; V.41;
Jesus ora ao Pai (apresentando desta forma a sua dependência e unidade e submissão). V.42
Ele ordena que a ressurreição aconteça (Jesus não deixava os profissionais funerais, ou seja, os pranteadores lucrarem porque aonde Ele ia e havia morte transformava em vida). V.43;
O milagre ocorre e Ele manda desatá-lo das ataduras e bandagens e deixa – lo ir, ou seja, ao encontro de Jesus; V.44;
Conclusão:
Temos que ser Maria num mundo de marta. Marta e Maria prefiguram dois mundos ou dois comportamentos. Maria com uma aparente ociosidade; Marta ela estava tomada pela apreensão e ansiedade. 
Durante a visita inicial de Jesus, tanto Maria e Marta lhe serviram embora de diferentes formas. E tinha Marta uma irmã chamada Maria, a qual também, tendo-se assentado ao lado dos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. (Lc. 10.39;).
Mas Marta estava preocupada acerca de muitos serviços; e, tendo-se aproximado, disse: Senhor, não se te dá que minha irmã me deixou servir sozinha? Portanto, dize-lhe que me ajude. (Lc. 10.40;). E Jesus lhe disse, havendo respondido: Marta, Marta, anseias com cuidados e estás afadigada acerca de muitas coisas, mas há necessidade de uma só; (Lc. 10.41;). E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. (Lc. 10.42;). Marta e sua apreensão pelas coisas desta vida tipificam “Cronos” o tempo do homem, já Maria estando aos pés de Cristo ouvindo a sua palavra tipifica “Kairos” o tempo de Deus.

Por isso, o SENHOR espera, para ter misericórdia de vós, e se detém, para se compadecer de vós, porque o SENHOR é Deus de justiça; bem-aventurados todos os que nele esperam.

Isaías 30:18

BISPO Anderson Camargo 

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

VIGILA DA VIRADA BENÇÃO PURA PALAVRA MINISTRADA
Isaías 43:18-19 "Esqueçam o que se foi;
não vivam no passado. Vejam, estou fazendo uma coisa nova!
Ela já está surgindo! Vocês não a reconhecem?
Até no deserto vou abrir um caminho
e riachos no ermo.