sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Aprendendo com três adolescentes da Bíblia
Elegi alguns adolescentes da Bíblia que servem de referencial para os demais adolescentes e para todo povo de Deus... O que se revela deles ficou como lições que podem nortear e ajudar na formação da vida cristã e na convivência social em geral. Cada um desses adolescentes viveram em épocas diferentes e atravessaram seus desertos em estações diferentes também. De Samuel a Rode há uma grande distância temporal. Samuel viveu cerca de 800 anos antes de Cristo e Rode em 62 d. C, quando as perseguições a cristãos eram frequentes e violentas (como ainda são hoje).
Contudo, vale lembrar que a Bíblia é sempre atual e o que está escrito por inspiração Divina não caduca (O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar, Mt 24:35). Vamos aprender com Samuel, a escrava Israelita e Rode.
Samuel:
Samuel era filho de Ana e Elcana. Seus pais o apresentaram no templo em Siló e lá o deixaram para seguir ministério ao lado do sacerdote Eli. A mãe de Samuel era estéril, orou a Deus pedindo um filho e concebeu por milagre. Por gratidão, Ana doou o filho para trabalhar na obra de Deus. Treze anos de idade, é o que deveria ter Samuel quando foi entregue no templo, pois,nessa idade é que os meninos judeus são considerados capazes de fazer escolhas, são então chamados de “filhos do mandamento” B'nai Mitzvah.
A Bíblia diz que certa noite, dormia Eli em seu conforto e Samuel dormia dentro do templo, próximo a arca da aliança. Deus falou diretamente com Samuel, o chamou por três vezes, ele levantou e foi até Eli achando que era ele quem o tinha chamado. Eli, então reconhece que o próprio Deus falará a Samuel e o instrui a responder a voz: “fala Deus, que o teu servo te escuta”. (I Samuel 3: 1 a 10).
I Samuel 2: 21: E o jovem Samuel crescia diante do Senhor.
Breves lições em Samuel:
Eli estava cansado e já não tinha o mesmo zelo e vigilância pela obra do Senhor. Samuel tinha sede de Deus, zelo pelo templo e sabia quão importante era a arca da aliança, por isso dormia no templo.
Samuel tinha disposição para aprender
Respeitava os mais velhos
Era humilde
O adolescente Samuel levantou todas as vezes que ouviu chamarem-no. Se mostrou pronto a servir e a aprender a discernir entre voz de Deus e voz de homem. Samuel era responsável e já demonstrava maturidade porque compreendia a importância de obedecer a Deus e respeitar o próximo.
A menina vendida como escrava para casa do Naamã.
“Subiram tropas da Síria e da terra de Israel, levaram cativa uma menina que ficou a serviço da mulher de Naamã. Disse ela a sua senhora: Tomara o meu Senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria, ele o restauraria de sua lepra. Então, foi Naamã e disse ao seu senhor: Assim e assim falou a jovem que é de Israel” II Reis 5: 2 a 4
Escrava, adolescente, natural de Israel (nação que constantemente guerreava com a Síria), a menina escrava se situava em um contexto social complicado e desfavorável. Contudo, havia algo de especial nessa menina que fizera com que o capitão Naamã e sua esposa a considerassem digna de confiança: a palavra da menina sobre o profeta Eliseu foi prontamente ouvida e seguida. Consideremos algumas características dessa pequena mensageira de Deus:
Ela conhecia ao Deus de Israel
Tinha fé no Deus de Israel (Naamã seria restaurado da lepra se o buscasse)
Trabalhava sem murmurar, era disposta.
Prudente no agir e no falar
Altruísta, se importava com a dor do próximo
Rode
Para mim foi uma grata surpresa estudar sobre essa garota. Nunca ouvi qualquer pregação, estudo,artigo ou o que seja sobre ela, mas quando Deus me conduziu a conhecer sua história, compreendi porque ela recebeu destaque no livro de Atos. É uma passagem pequenina, porém com grandes revelações, vejamos:
“E batendo Pedro à porta do pátio, uma menina chamada Rode saiu a escutar. E, conhecendo a voz de Pedro, de alegria não abriu a porta, mas ela afirmava que assim era. E diziam é o seu anjo.” Atos 12: 13 a 16.
Lições em Rode.
Haviam muitos adultos no pátio, mas Rode foi a única que correu até à porta; ela era diligente, observadora, prestativa.
Mas Rode não abriu a porta, por que? Ora, Pedro vinha de uma situação de perigo, fora preso por soldados romanos, estava em sua primeira situação de liberdade. Rode foi prudente, por mais que estivesse alegre com o retorno de Pedro não agiu impetuosamente porque sabia que poderia se tratar de uma armadilha: e se houvessem soldados com Pedro? Poderiam capturar os cristãos que estavam ali reunidos em oração. Rode nos ensina a não abrirmos a porta para o perigo.
O pátio era o lugar onde a igreja se reunia em jejum e oração, se Rode estava presente é porque se alegrava em participar dos cultos. Ela era uma garota que não dava trabalho aos pais, participava da obra do Senhor e prestava muita atenção as pregações. Tanto é que reconheceu imediatamente a voz de Pedro.
Rode se alegrou com a soltura de Pedro, ela se alegrava em rever os irmãos e se alegrava com o agir de Deus na vida dos irmãos.
Rode foi uma garota cristã formidável!
Certamente que encontraremos outros bons exemplos de adolescentes na Bíblia, mas por enquanto ficamos por aqui.
Deus os abençoe.
Bispo Anderson Camargo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário