sábado, 29 de outubro de 2016

Brasa,Peixe e Pão
João cap: 21;3 ao 9.
Depois da ressurreição Jesus se apresentou a um povo muito especial, aqueles que tanto amava.
A bíblia diz que se aproximando as ultimas horas, Jesus anuncia que morreria, mais ao terceiro dia ia ressucitar, mais Pedro se preocupou e até quis se colocar no lugar de Jesus, Jesus olha para Pedro e diz:
- Não se engane, antes que o galo cante , três vezes me negarás.
Irmãos não se preocupem com o que sai da boca dos outros a seu respeito, mais se preocupe com o que sai da boca de Jesus, porque o que sai dele não sai em vão, Jesus conhece tudo na sua essência.
Jesus nos conhece de uma maneira impar e busca de nós o que somos de verdade, Pedro amava Jesus e Jesus amava Pedro, no entanto Pedro negou a Jesus, Jesus sempre analisa nossas ações e não deixa satanás tocar naqueles que são fiéis em seus atos, pois quem guarda é o próprio Deus que chamou.
Brasas de fogo vão se acender quando satanás tentar te desanimar.
Quando Jesus chega em meio ao grande mar e vê os discípulos a pescar, pergunta :
-Tendes algo para comer?
Pedro que encostava o barco porque não haviam pescado nada ignora a pergunta e então aquela voz diz:
-Lança a rede ao lado direito e pegaram 153 peixes, então João reconheceu a voz do mestre e falou a Pedro e Pedro temeu, mais enquanto eles desistiam da pesca Jesus já havia preparado em BRASA QUE REPRESENTA O PODER DO ESPÍRITO SANTO,,,,PEIXE QUE REPRESENTA O CRISTIANISMO QUE ERA ELES,,,,E O PÃO QUE REPRESENTA CONHECIMENTO... para que todos comecem, imagino que Pedro comia se sentindo envergonhado porque sabia que o mestre conversaria com ele a respeito de sua traição e Jesus fala para eles ,que enquanto eles se preocupavam com uma pesca que daria certo,ele já havia cuidado de tudo em terra firme, porque quem chamou vocês não foi o homem, fui EU!
Não se preocupem queridos e não desanimem, mesmo que pareça que a pesca não vai da certo, lembre-se que Deus cuida de tudo em terra firme para você, mesmo que a sua atitude tenha sido como a de Pedro, ele te perdoa e prepara uma mesa para você se saciar, afinal ele é o Deus que te chamou!!!!...Devemos entender o RECADO de JESUS !!!...Que não podemos VIVER sem ás BRASAS (ESPÍRITO SANTO)..PEIXE (CRISTIANISMO QUE SOMOS NÓS)...PÃO (CONHECIMENTO DA PALAVRA )...Elementos Essenciais para uma Vida Cristã Abençoada !!!!
Fiquem na na Paz do Senhor Jesus Amém Amados !!!!!
Bispo Anderson Camargo.

sábado, 22 de outubro de 2016

I Crônicas 19:1-6
A história relatada neste capítulo de I Crônicas refere-se a um lamentável incidente diplomático que envolveu Davi e a casa real dos amonitas, representada pelo rei Hanum, sucessor de seu pai, Naás, que havia morrido. Conforme lemos no primeiro verso, Davi mantivera boas relações diplomáticas com Naás e por isso sentiu-se na obrigação de expressar suas condolências ao novo rei. Davi não sabia das terríveis implicações que seu gesto de amizade lhe trariam. Tal história é um alerta para nós, acerca de problemas a que estamos sujeitos em nossos relacionamentos.
Pois o texto bíblico conta que Davi resolveu agir com bondade para com o novo rei amonita e mandou uma delegação para transmitir a Hanum seu pesar pela morte do pai (v. 1). Não há dúvida de que o gesto de Davi era totalmente nobre. A maneira como Hanum respondeu a ação de Davi nos alerta para o fato de que por vezes poderemos colher frutos semelhantes. Quem sabe você acabe por até se identificar com Hanum – é bem possível que você, em algum momento de sua vida tenha agido de forma semelhante e que hoje seja tocado a rever seus atos e restaurar relacionamentos.
Conselhos ímpios, palavras diabólicas. Líderes amonitas expressaram palavras cheias de maldade ao rei e contaminaram seu coração com relação a Davi: Achas que Davi está honrando teu pai ao enviar mensageiros para expressar condolências? Não é nada disso! Davi os enviou como espiões para examinar o país e destruí-lo. (I Cr 19:3). Você sabe que há pessoas que enxergam tudo com maldade – é como se usassem um par de óculos infernais que lhes fazem entender tudo sob uma visão maliciosa. Sobre isto, Paulo escreveu a Tito: Para os puros, todas as coisas são puras; mas para os impuros e descrentes, nada é puro. De fato, tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas. (Tt 1:15).
O que os conselheiros de Hanum fizeram foi semear contenda entre ele e Davi. Este tipo de papel é apontado pelo Senhor como algo odiável e detestável: o semear discórdia entre irmãos (Pv 6:19). No mesmo capítulo e Provérbios, há uma referência a este tipo de pessoa perversa: O perverso não tem caráter. Anda de um lado para o outro dizendo coisas maldosas; pisca o olho, arrasta os pés e faz sinais com os dedos; tem no coração o propósito de enganar; planeja sempre o mal e semeia discórdia. (Pv 6:12-14). Você não pode estar aberto a receber influência de pessoas assim! Mais do que isto, se recuse a ter qualquer semelhança com este tipo de gente. Até porque o verso seguinte descreve a desgraça que certamente vem como recompensa: Por isso a desgraça se abaterá repentinamente sobre ele; de um golpe será destruído, irremediavelmente. (Pv 6:15).
Recebendo o mal como paga a sua bondade. De acordo com I Cr 19:4, o rei amonita tratou de “humilhar profundamente” a comitiva de Davi – e por conseguinte ao próprio rei de Israel: raspou-lhes a barba, cortou suas roupas, deixando-lhes as nádegas expostas e os expulsou. Como reagir diante de tanta afronta? Pagando na mesma moeda? A Palavra do Senhor nos ensina a não pagarmos o mal com mal – você sabe quanto isto é difícil! Por exemplo, em Romanos 12 temos uma série de mandamentos com relação a não retribuir o mal: Abençoem aqueles que os perseguem; abençoem, e não os amaldiçoem (v. 14); Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos (v. 17); Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: Minha é a vingança; eu retribuirei, diz o Senhor. Ao contrário, se o teu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber... (v. 19,20); Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem (v. 21).
Se em resposta ao seu bem, ele se faz seu inimigo... A narrativa bíblica sobre a ingratidão dos amonitas não para por aqui. Hanum contratou mercenários que se aliaram a seu exército para atacar Israel: gastaram 35 toneladas de prata para ter tropas estrangeiras ao lado deles, sendo que somente de carros de guerra, eram trinta e dois mil! (I Cr 19:6). No verso 14, somos informados que tanto os amonitas como os arameus contratados, fugiram de Israel. Uma segunda investida ocorreu, tendo sido contratados outros soldados para enfrentarem Israel. Os versos 17 a 19 descrevem a vitória completa de Davi e de Israel frente a seus inimigos. Agindo com bondade e confiança no Senhor, Deus sempre agirá em seu favor, como agiu em favor de Davi e de Israel.

Caso você tenha agido como os conselheiros de Hanum, proferindo palavras maliciosas, contaminando corações de irmãos e patrocinando guerras ao invés de ser pacificador, o Espírito Santo agirá em seu coração agora e o levará a quebrantar-se. Hoje é um tempo de cura para você. Quem sabe você se deixou levar e pagou a alguém com mal o bem que esta pessoa lhe fez. Pois hoje o Senhor o levará a restaurar seus relacionamentos.


Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

No Fundo do Poço com a Promessa de Deus
"Então tomaram a Jeremias, e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no átrio da guarda; e desceram a Jeremias com cordas; mas na cisterna não havia água, senão lama; e atolou-se Jeremias na lama." Jer 38.6
A expressão no "fundo do poço" tem um sentido literal que nos transmite as seguintes idéias: cavernas, buracos, escuridão, mau cheiro, insetos e animais peçonhentos. Mas também, pode ser utilizada como metáfora, ou sentido figurado, para explicar as múltiplas situações que atingem a vida do ser humano, que o colocam para baixo, como estar abatido, deprimido, sem saída e sem esperança.
Podemos encontrar na Bíblia diversos exemplos de situações na vida de pessoas que seguiam a Deus, e que se viram no "fundo do poço".No trecho do livro do Profeta Jeremias que foi mencionado no início dessa mensagem, esse personagem também foi colocado no fundo de um poço. Na verdade o texto trata de uma cisterna, que no sentido original da palavra se remete a um poço, que em algumas épocas do ano não tinham água, e que muitas vezes eram usados como locais para prender pessoas.
Vamos primeiro pensar no personagem principal desse contexto, o profeta Jeremias, cujo nome significa "aquele a quem Jeová nomeou". Seu ministério estendeu-se de 627 a.C a 586 a.C, quando Jerusalém caiu totalmente nas mãos de Nabucodonozor, rei de Babilônia, ou seja, seu ministério durou cerca de 50 anos.
Um homem chamado Baruque era o escriba desse profeta, que ditava tudo o que recebia de Deus, para ele escrever em rolos.
Devido a natureza de suas mensagens foi constantemente posto em perigo, principalmente, devido ao pecado que estava entranhado no meio do povo, de cima a baixo da sociedade judaica da época. Jeremias sofreu muito por levar os arcanos de Deus para seu povo.
Podemos entender com todos os exemplos encontrados na Bíblia sobre situações de pessoas que chegaram ao "fundo do poço", que este não é o fim. Não é o final da sua vida, embora pareça que nada mais dê solução, mas entenda, não acabou, por três principais motivos descritos a seguir:
I - Deus faz planos para cada um de nós (Jer 1.5)
"Antes de formá-lo no ventre eu o escolhi; antes de você nascer, eu o separei e o designei profeta às nações". 
Cada pessoa tem um plano feito por Deus para sua vida, e nehum plano do Senhor se frustra. O que siginifica dizer que ele irá gerar situações para cumprir cada desígnio dele em nossas vidas, então observe algumas coisas:
1 - Deus se utiliza de muitas coisas para realizar seus planos, como:
a) Permitir que pessoas ruins intentem nos fazer mal (Gn 37)
Como aconteceu com José, que foi jogado no poço por seus irmãos, e depois foi vendido como escravo.
b) Permitir que situações calamitosas ocorram (Rt 1)
Como aconteceu com Noemi e Rute, e também com Jó.
Essas coisas que o Senhor permite acontecer são para nos levar a posição espiritual que ele deseja que alcancemos. Ocorre que quando essas coisas acontecem muitos se afastam de Deus, quando o que ele quer é um contato maior.
2 - Três coisas que Deus não permite em seus planos.
a) Que sejamos vacilantes (Jer 1.6-7)
"Mas eu disse: Ah, Soberano Senhor! Eu não sei falar, pois ainda sou muito jovem." Jeremias foi vacilante quando o Senhor o chamou, mas Deus o reprendeu, conforme vemos no verso 7. Não podemos ser vacilantes, a fim de que os planos de Deus sejam cumpridos em nossas vidas.
b) Que tenhamos medo (Jer 1.8)
"Não tenha medo deles, pois eu estou com você para protegê-lo", diz o Senhor." O Senhor falou que o profeta não precisaria se preocupar, pois seria com ele. A promessa é a mesma para nós, não devemos temer qualquer coisa que seja, pois Deus está conosco todo o tempo, por meio do Espírito Santo.
c) Que tenhamos uma visão limitada (Jer 1.11-13).
"E a palavra do Senhor veio a mim: O que você vê, Jeremias? Vejo o ramo de uma amendoeira, respondi. O Senhor me disse: Você viu bem, pois estou vigiando para que a minha palavra se cumpra. A palavra do Senhor veio a mim pela segunda vez, dizendo: O que você vê? E eu respondi: Vejo uma panela ferven­do; ela está inclinada do norte para cá." Não podemos ter uma visão limitada. A visão que temos das nossas situações está limitada pela nossa carne, mas precisamos ter a visão de Deus. Como quando o moço do profeta viu os exércitos inimigos e ficou com medo pelo número que era muito grande, mas quando o profeta orou e pediu a Deus para abrir seus olhos, ele viu carros e cavalos de fogo. Temos que ter esse tipo de visão, para não sermos impedidos de receber o cumprimento dos planos de Deus para nós.
Outra coisa que devemos entender é que:
II - O fundo do poço faz parte dos planos de Deus (Jer 1. 10, 38.6)
"Veja! Eu hoje dou a você autoridade sobre nações e reinos, para arrancar, despedaçar, arruinar e destruir; para edificar e plantar." e "Então tomaram a Jeremias, e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no átrio da guarda; e desceram a Jeremias com cordas; mas na cisterna não havia água, senão lama; e atolou-se Jeremias na lama." Quando estamos lá no fundo escuro e úmido de um poço, achamos que tudo acabou, e não percebemos que aquilo faz parte do plano de Deus. Precisamos passar por ele, para chegar ao destino final. 
1 - Quando descemos parece que tudo acabou, mas na verdade estamos caminhando. (Gn37)
José foi levado como escravo, mas depois se tornou o segundo no Egito.
a) É melhor descer ao fundo do poço do que morrer.
Os irmãos de José queriam matá-lo mas um deles intentou jogá-lo no poço para depois vendê-lo. Da mesma forma com relação a Jeremias, alguns príncipes queriam matá-lo mas outros preferiram jogar o profeta no poço. Assim olhe para sua situação, é melhor passar por isso do que morrer sem ver a promessa de Deus cumprida.
b) Do fundo do poço é possível olhar mais para cima.
Quando estamos no fundo do poço a visão é turva por causa da escuridão, e o único lugar para onde desejamos olhar é para a luz que fica acima. Talvez Jeremias tenha se lembrado do Salmo de Davi, "Olho para os montes, de onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor." No fundo do poço precisamos olhar para Deus.
2 - O poço não é lugar de tristeza, mas de esperança em Deus.
Pode parecer estranho pensar dessa forma, mas o Senhor espera que nesse momento de dor, sua decisão seja confiar nele. quando isso ocorre Ele providencia o livramento. Como aconteceu com o profeta, que recebeu ajuda de um homem, servo do rei, para sair do poço.
III - O servo de Deus permanece firme na vontade do Senhor.
O verdadeiro servo do Senhor mesmo nas mais profundas dificuldades, continua sendo fiel. O profeta fiel, mesmo apanhando, sendo caluniado e jogado em prisões e poços, sempre dirá, "assim diz o Senhor".
Quando fazemos assim:
1 - Isso faz com que nos tirem do poço;
2 - Isso faz com que os planos de Deus se cumpram; e 
3 - Isso faz com que outros vejam Deus na nossa vida.
Como aconteceu, de Nabucodonozor por ficar sabendo de Jeremias, determinou a um dos seus Generais que o procurasse e lhe protegesse, dando o que quisesse, além de deixá-lo ir pra onde quisesse. É assim que Deus quer fazer conosco. Permaneça firme, mesmo no fundo do poço, pois há um plano pra você preparado por Deus.
Que o Senhor te abençoe!!!
Bispo Anderson Camargo.
A QUE HORAS ESTAMOS DA NOITE?
Sentença contra Duma. Gritam-se de Seir: Guarda, a que hora estamos da noite? Guarda, a que horas? Respondeu o guarda: Vem a manhã, e também a noite; se quereis perguntar, perguntai, voltai, vinde”. (Isaías 21.11,12).
Contexto Histórico & Significados
Duma. No capítulo 21, versículos 11 e 12 de Isaías, acha-se registrada a profecia contra Edom. 
. Diz o texto: “Sentença contra Duma. Gritam-se de Seir: Guarda, a que hora estamos da noite? Guarda, a que horas? Respondeu o guarda: Vem a manhã, e também a noite; se quereis perguntar, perguntai, voltai, vinde”. 
Seir, uma das cidades de Edom e um dos seus nomes. Portanto, a profecia é para Edom. 
Dumá, era um oásis no Norte da Arábia, fora de Edom, mas que durante algum tempo deve ter sido ligada e significa “Silêncio”, palavra usada para designar o reino dos mortos, ou região do silêncio, conforme Salmo 94.17: “Se não fora o auxílio do SENHOR, já a minha alma estaria na região do silêncio”, e no Salmo 115.17: “Os mortos não louvam o SENHOR, nem os que descem à região do silêncio”. 
Então, podemos dizer, que Duma significa terra de silêncio mortal, e, como agravante, em função do texto, está coberta pelas trevas. 
. O patriarca tribal, Edom ou Esaú, irmão gêmeo de Jacó, tipifica a pessoa que despreza as bênçãos da graça, conforme Hebreus 12.16: “nem haja algum impuro ou profano, como foi Esaú, o qual, por um repasto, vendeu o seu direito de primogenitura”. 
Simboliza a troca do eterno pelo temporal; do espiritual pelo material. A angústia de seu ancestral Esaú passa agora para todos os seus descendentes, que estão no lugar do silêncio mortal. Lugar sem esperança. Sem alento.
O Guarda: Do alto de sua torre, poderia dizer com mais precisão se a aurora estivesse chegando, e, até mesmo por sua experiência, saberia interpretar melhor o progresso da noite. A tradução mais correta aqui poderia ser: Sentinela. 
O profeta é procurado, tendo em vista que profere oráculos a respeito de outras nações. É possível que embaixadores de Edom estivessem em Judá, devido às numerosas negociações políticas daqueles dias, ou mesmo, em uma visão de Isaías.
A Ênfase: “Guarda, a que hora estamos da noite? A que horas?”, ou ainda: ”quanto tempo resta da noite?”, demonstra angústia, medo, preocupação, insistência; urgência: Guarda! A que hora estamos da noite? 
A ênfase é precedida pelo grito. “Gritam de Seir”. Isso significa desespero. Desamparo. Desesperança. 
. Os edomitas pergunta a respeito da noite; seu país está aparentemente em estado de angústia e opressão (talvez causada pela Assíria), e estavam abrasados de ansiedade por conhecer quanto tempo ainda se passaria antes de surgir a luz matutina da libertação.
A resposta do profeta soa enigmática, e a interpretação mais apropriada, parecer ser que: apesar de estar perto o amanhecer, a noite permanece. É um amanhã que não se transforma em dia; um mal sai apenas para dar lugar a outro mal. 
O profeta, termina dando permissão para reperguntas, não fugindo à sua responsabilidade. Quem sabe, através de outras perguntas o enigma é solucionado.
De o­nde vem a Pergunta?
Do Lugar do Silêncio Mortal. A pergunta vem de Duma, o lugar do silêncio mortal. 
. É paradoxal que do lugar do silêncio mortal emanem gritos em forma de perguntas: “Guarda, a que hora estamos da noite?”. 
Nos dias de hoje, existem perguntas tácitas que nos são feitas diariamente. São gritos mudos.
Aplicação Prática. Pessoas perplexas caminham caladas pelas ruas. Sem rumo e sem destino. Saem de casa cedo, dizendo que vão procurar um emprego, embora não tenham sequer lugar o­nde procurar. Passam o dia perambulando pela cidade, esperando a noite chegar para voltarem para casa, e a pergunta deles é: “Guarda, a que hora estamos da noite?”.
O Silêncio é mortal, porque já se esvaiu toda a vida. Há somente morte e espírito de morte. Não há esperança, e o­nde não há esperança não há vida.
Aplicação Prática: Quantos estão hoje em Duma, lugar do silêncio mortal, e apesar disso, gritam: “Guarda, a que hora estamos da noite?”. Não há mais esperança para sair das dívidas; não há mais esperança de reatar um relacionamento; não há mais esperança de reaver o que perdeu.
O Silêncio é Mortal por que cessaram todas as atividades produtivas (teares e máquinas paradas). O Silêncio é mortal por que se foi a alegria. O Silêncio é mortal por que as mulheres pararam de dar luz, em face do medo e da incerteza. O silêncio é mortal por causa do desânimo. 
O Silêncio é Mortal porque as pessoas não acreditam que possa haver socorro. Estão todas na mesma situação. Não há mais escape. Estão roucas de gritar, não houve resposta, por isso desistiram. Optaram pelo silêncio. O desespero impede que lhes saia a fala. Não há com quem reclamar ou a quem buscar por socorro, mas, assim mesmo, o profeta ouve o grito de forma audível: “Guarda, a que hora estamos da noite?”.
O Silêncio é mortal, mas é como se perguntassem: Quanto falta para acabar nossa dor; nosso sofrimento? Falta muito para, finalmente sermos exterminados?
Guarda, a Que Hora Estamos da Noite?
É a pergunta que não quer calar. Será válida em nossos dias? São feitas pergunta desse tipo em nossos dias? Será que o mundo pergunta: “Guarda, a que hora estamos da noite? A que horas?” Quem responde? Há incertezas! Quem responde? Há medo! Quem responde? 
Não nos esqueçamos que esta pergunta está eivada de medo, apreensão; angustia. “Guarda, a que horas estamos da noite?”.
“Guarda, A Que Horas Estamos Da Noite?”.
Noite, no contexto lido, significa trevas, escuridão, falta de perspectiva. Há trevas pairando sobre a humanidade. 
Trevas da ignorância com relação à pessoa de Deus; 
Trevas da ignorância com relação à pessoa de Jesus Cristo; 
Trevas da ignorância com relação aos acontecimentos futuros e aos perigos da própria noite. 
Trevas nos relacionamentos entre: marido e mulher; pai e filho; patrão e empregado; governantes e governados; políticos e eleitores; primeiro mundo e demais mundos; ricos e pobres; letrados e incultos. Trevas. Há trevas.
.“Guarda, A Que Horas Estamos Da Noite?”. Incerteza Total. Não é o caso de ser meia noite; horário o­nde grandes catástrofes acontecem, a exemplo do Titanic, que à meia noite bateu num iceberg e começou a naufragar, matando 1.513 pessoas. É a meia noite da incerteza total, do caos total. Qualquer incerteza é pior do que a pior das certezas. 
Incerteza Total quanto ao término do sofrimento prolongado. O pior, na verdade, é o que nos está acontecendo agora. Já sofremos muito, mas, ainda há mais o que sofrer? 
Prolongação da incerteza; da dor; do sofrimento; da desesperança; da falta de solução; 
Prolongação do medo; da falta de diálogo com o esposo/esposa; 
Prolongação da falta de solução para um problema que insiste em te perseguir; para uma doença que insiste em permanecer te fustigando; de uma insatisfação profissional; de uma insatisfação ministerial.
“Guarda, a que horas estamos da noite?”.
Quem Responde a Essa Pergunta?
Isaías, o filho de Amóz. Homem comprometido com sua vocação, cujo nome já é uma resposta. Isaías significa: YHWH É SALVAÇÃO. 
Isaías, responde através da sua própria vida. Já a partir do nome de seu pai que significa “forte, corajoso”; 
Isaías responde andando nu (apenas com as roupas íntimas e descalço), despido da túnica de profeta, utilizando apenas a roupa de baixo, comum a todos, inclusive a escravos. 
Isaías responde através dos nomes dados aos seus filhos: “Um Resto Volverá”; “Rápido Despojo Presa Segura”; 
Isaías responde através de profecias pronunciadas, a partir de um contato íntimo com seu Deus.
O Que Responde Isaias?
Isaías responde com um enigma, eis que não tinha naquele instante não tinha outra resposta para aquele povo, a não ser que o sofrimento continuaria. 
Naquele momento específico, a promessa do Emanuel não era para o povo de Edom, portanto, Isaías respondeu segundo o entendimento que tinha da situação.
Quem Deve Responder Hoje?
A Igreja do Senhor Jesus Cristo. 
Nós, a Igreja de Cristo, temos as respostas. A pergunta não quer calar: “Guarda, a que horas estamos da noite?”.
Efésios 3:10: “para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais”. 1Tm 3:15: “para que, se eu tardar, fiques ciente de como se deve proceder na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade”.
Nós, a Igreja de Cristo, somos os guardas; os atalaias; os profetas; os guardiões. Nós temos a mensagem. Nós temos as respostas. Não podemos fazer nossos ouvidos moucos. Existe um clamor: “Guarda, a que horas estamos da noite?”. E nós temos a resposta.
Qual a resposta?
Jesus Cristo É A Resposta.
Mas, ou Porque... Apesar da situação, eis a solução.
Isaías 9:6: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.
A Esperança Nasceu. O povo tinha perdido a esperança em seus governantes. Mas agora, nos nasceu (futuro realizado) alguém em quem eles podiam esperar dias melhores. Havia esperança.
Maravilhoso Conselheiro: Transcende aos limites da explicação humana. Inexplicável. Foge ao senso comum de raciocínio. Ungido com o Espírito de Sabedoria. Suas soluções não são convencionais, mas são corretas. Seus conselhos são fantásticos. Suas soluções são fantásticas. Ele é maravilhoso.
o­nde alguns incitam a desforra; a vingança, ele aconselha o perdão. o­nde alguns incitam o ódio, ele aconselha o amor. Maravilhoso Conselheiro.
Deus Forte. Não se trata de um Deus comum; um Deus qualquer; um Deus que tem nariz, mas não cheira; tem olhos, mas não vê; tem ouvidos, mas não ouve; tem mãos e braços, mas não se estendem na direção do pobre do necessitado e do aflito; tem pernas e pés, mas não vai na sua direção. Ele é o nosso Deus Forte. O El Shadai, o Todo Poderoso. O que venceu a morte; o diabo; o inferno.
Pai da Eternidade. Ele sempre foi. Ele era; Ele É e sempre Será. Estava no princípio da criação; criou todas as coisas por intermédio de sua palavra, e nada do que foi feito se fez.
Se Ele é o Pai da eternidade, pode dar vida eterna. Sua paternidade é perene e não terá fim. Viveremos eternamente com Ele. “Na casa de meu pai, há muitas moradas, vou preparar-vos lugar”.
Príncipe da Paz. Não é meramente cessação de lutas. Paz aqui se refere à salvação; bênção e felicidade. Após a libertação da opressão inimiga, Jesus nos promete uma vida de paz em meio à turbulência.
.Jesus é a Resposta Para os Aflitos.
Isaías 9.1 “Mas para a terra que estava aflita não continuará a obscuridade. Deus, nos primeiros tempos, tornou desprezível a terra de Zebulom e a terra de Naftali; mas, nos últimos, tornará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, Galiléia dos gentios”.
Jesus Cristo é a resposta para aqueles que estão aflitos. A promessa é de que a terra aflita não continuará. Há esperança para os aflitos.
Jesus é a Resposta Para os Que Estão na Escuridão.
Isaías 9:2: “O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz”.
Jesus Cristo é a luz do mundo, e quem o segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.
Jesus é a Resposta Para os Que Estão Tristes.
Isaías 9:3 “Tens multiplicado este povo, a alegria lhe aumentaste; alegram-se eles diante de ti, como se alegram na ceifa e como exultam quando repartem os despojos”.
Alegria proveniente do sucesso na colheita; alegria proveniente do sucesso das lutas diárias. Esta palavra está falando em recompensa. Não estamos mais sujeitos às maldições.
Jesus é a Resposta Para os Oprimidos.
Isaías 9:4. “Porque tu quebraste o jugo que pesava sobre eles, a vara que lhes feria os ombros e o cetro do seu opressor, como no dia dos midianitas”.
Este texto faz menção à opressão midianita, quando os israelitas plantavam e os midianitas roubavam a colheita. Eram anos de jugo, de opressão, até que se levantou Gideão e deu vitória ao seu povo.
Aplicação Prática: Será que você está sob algum jugo. Jugo do diabo; jugo desigual; Jugo é tudo aquilo que te oprime; que te obriga a fazer o que não quer; que te prejudica; que te aprisiona.
Jesus Cristo quebrou todo o jugo.Na cruz do Calvário.
Isaías 9:5. “Porque toda bota com que anda o guerreiro no tumulto da batalha e toda veste revolvida em sangue serão queimadas, servirão de pasto ao fogo”.
Quem sabe você se encontra em guerra com seu marido; com seu filho; com sua esposa; com seu chefe. Em Jesus Cristo nós temos a Paz, porque Ele é o príncipe da Paz.
Conclusão.
“Guarda, a que hora estamos da noite?”. 
Na época em que Isaías ouviu essa pergunta, ele não podia responder da forma como nós podemos responder hoje, uma vez que a profecia do Messias não fora pronunciada para os edomitas especificamente. 
Mas hoje, não. Jesus Cristo não é um privilégio de um povo; de uma raça; de uma tribo; ou de uma nação. Jesus Cristo é privilégio para todos os que o receberam como Senhor e Salvador. 
Essa graça, esse alívio, está disponível para todos os que agem diferentemente de Esaú, ou seja, para aqueles que aceitam a graça de ter Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas. 
Quem sabe, hoje você está indagando: “Guarda, a que horas estamos da noite?”.
Noite de Angústia;
Noite de Incerteza;
Noite de Silêncio mortal.
A resposta é: 
Você não precisa mais viver na obscuridade; 
Seu clamor foi ouvido; 
Deus; na sua imensa soberania, proveu para você um socorro perpétuo; eficaz e definitivo. 
A resposta para você, nos dias atuais é:
Isaías 60:1-2 “Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR nasce sobre ti. 2 Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o SENHOR, e a sua glória se vê sobre ti”.
Bispo Anderson Camargo.